Pular para conteúdo

Pular para sumário

Nossa maltratada Terra

Nossa maltratada Terra

 Nossa maltratada Terra

EM 1805, os renomados exploradores Meriwether Lewis e William Clark depararam-se com o rio Colúmbia, situado no atual Estado de Washington, EUA. * O que chamou sua atenção, mais do que o próprio rio, foi a abundância de salmão. “Não é possível nem imaginar a quantidade de peixes”, escreveram no diário. “São tantos peixes nadando rio abaixo e perto da superfície, que os índios têm apenas de apanhar, partir e deixá-los secar em armações de madeira.” De fato, o salmão era tão abundante que os índios o secavam e usavam como lenha!

Hoje a história é bem diferente. “Os cientistas já sabem, há mais de uma década, que a taxa de reprodução dos peixes é menor do que sua pesca nos oceanos”, relata uma pesquisa da revista Newsweek. Por exemplo, estima-se que no Atlântico Norte, 90% dos salmões selvagens já não existam mais.

Mas não é apenas a quantidade de peixes que está diminuindo. Os recursos naturais como combustíveis fósseis, minerais e produtos silvestres estão sendo explorados numa velocidade alarmante. O Fundo Mundial para a Natureza declara que 30% dos recursos naturais da Terra foram perdidos entre 1970 e 1995. A exploração desses recursos é quase sempre uma espada de dois gumes, pois os métodos empregados podem destruir habitats.

Alguns acham que, já que foi o homem quem criou esses problemas, ele pode resolvê-los. Para citar um exemplo, em anos recentes a poluição diminuiu em muitas cidades industrializadas. Esse tênue fio de esperança significa que o homem está conseguindo controlar a situação?

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 2 Lewis e Clark haviam sido enviados para explorar e mapear o novo território adquirido, a oeste do rio Mississippi.

[Crédito da foto na página 3]

© Kevin Schafer/CORBIS