Pular para conteúdo

Pular para sumário

Como devemos tratar os idosos?

Como devemos tratar os idosos?

 O Conceito da Bíblia

Como devemos tratar os idosos?

DURANTE o verão de 2003, milhares de pessoas morreram em toda a Europa em resultado duma onda de calor, considerada uma das piores a atingir o continente nos últimos 60 anos. A maioria dos mortos eram idosos. Na ocasião, alguns deles se encontravam sozinhos, visto que os parentes haviam saído de férias. Outros, segundo consta, acabaram sendo negligenciados pelas exaustas equipes de saúde de hospitais e casas de repouso. O jornal Le Parisien relatou que, somente em Paris, 450 corpos não foram procurados pelos familiares. “Que mundo é esse em que as pessoas não fazem caso de pais, mães e avós?”, perguntou o jornal sobre as circunstâncias em que morreram as vítimas — sozinhas e no anonimato.

Num mundo onde a população com mais de 65 anos aumenta em inéditas 795 mil pessoas todo mês, cuidar das necessidades dos idosos se tornou uma das questões de maior importância. “Nunca houve tantos idosos no mundo e nós precisaremos avaliar mais de perto como os países reagem aos desafios e às oportunidades que surgem com o envelhecimento”, disse Nancy Gordon, diretora-adjunta de programas demográficos do Departamento de Estatísticas, dos EUA.

Nosso Criador também se interessa pelos idosos. Na verdade, sua Palavra, a Bíblia, nos dá orientações sobre como eles devem ser tratados.

Respeito pelos idosos

A lei de Deus, dada a Moisés, estimulava o respeito pelos idosos. Ela declarava: “Deves levantar-te diante do cabelo grisalho e tens de mostrar consideração para com a pessoa dum homem idoso.” (Levítico 19:32) Os adoradores obedientes de Deus deviam ‘levantar-se’ diante de uma pessoa idosa (1) como sinal de respeito e (2) como evidência do temor reverente que tinham de Deus. Assim, os idosos deviam ser honrados e tidos como pessoas valiosas. — Provérbios 16:31; 23:22.

Embora hoje os cristãos não estejam sob a Lei mosaica, seus princípios revelam os pensamentos e as prioridades de Jeová, não deixando nenhuma dúvida a respeito da grande consideração que ele tem pelos idosos. Os membros da congregação cristã do primeiro século estavam familiarizados com esses princípios. No livro bíblico de Atos encontramos evidência disso. Entre os cristãos em Jerusalém, naquele tempo, havia algumas viúvas necessitadas. Com certeza várias eram idosas. Os apóstolos designaram sete “homens acreditados” para certificarem-se de que essas mulheres recebessem alimentos diariamente, de maneira ordeira, considerando esse cuidado especial como uma “incumbência necessária” da congregação. — Atos 6:1-7.

O apóstolo Paulo aplicou à congregação cristã o princípio de ‘levantar-se diante do cabelo grisalho’. Ele disse ao jovem superintendente cristão Timóteo: “Não critiques severamente um ancião. Ao contrário, suplica-lhe como a um pai,  . . . as mulheres mais idosas, como a mães.” (1 Timóteo 5:1, 2) Embora o jovem Timóteo tivesse certa autoridade sobre cristãos idosos, ele foi orientado a não menosprezar um homem de idade. Pelo contrário, devia tratá-lo respeitosamente como a um pai. E devia mostrar a mesma consideração pelas mulheres idosas na congregação.  Na verdade, o apóstolo Paulo estava admoestando Timóteo — e por extensão todos os membros da congregação cristã — a ‘se levantar diante do cabelo grisalho’.

É claro que as pessoas que respeitam a vontade de Deus não precisam de leis para tratar os idosos com dignidade e respeito. Considere o exemplo bíblico de José, que não poupou esforços nem dinheiro para levar Jacó, seu pai, então com 130 anos de idade, para o Egito, salvando-o assim de uma falta generalizada de alimentos. Ao encontrá-lo, não o tendo visto por mais de duas décadas, José “lançou-se-lhe imediatamente ao pescoço e verteu lágrimas ao seu pescoço, vez após vez”. (Gênesis 46:29) Bem antes de o princípio de tratar os idosos com compaixão e profundo respeito tornar-se lei para os israelitas, José refletiu o conceito de Deus por fazer isso.

Durante seu ministério, o próprio Jesus mostrou consideração pelos idosos. Ele condenou fortemente os líderes religiosos que justificavam sua atitude negligente para com os pais idosos por conta das tradições religiosas a que estavam apegados. (Mateus 15:3-9) Jesus também mostrou muito carinho e preocupação com sua própria mãe. Mesmo sentindo dores horríveis na estaca de tortura, ele certificou-se de que sua mãe idosa recebesse os devidos cuidados de seu amado apóstolo João. — João 19:26, 27.

Deus não abandona os que lhe são leais

O salmista orou: “Não me lances fora no tempo da velhice; não me deixes quando meu poder falhar.” (Salmo 71:9) Deus não ‘lança fora’ seus servos fiéis mesmo quando eles próprios acham que já passaram da idade e não são mais úteis. O salmista não se sentia abandonado por Jeová, mas reconhecia sua própria necessidade de confiar cada vez mais no seu Criador à medida que ia envelhecendo. Jeová corresponde a essa lealdade providenciando apoio durante toda a vida da pessoa. (Salmo 18:25) Muitas vezes esse apoio vem da parte de companheiros cristãos.

Em vista do que já foi mencionado, fica claro que todos os que desejam honrar a Deus devem também honrar os idosos, pois eles são, de fato, preciosos aos olhos de nosso Criador. Visto que fomos criados à imagem de Deus, que sempre manifestemos o conceito dele sobre “as cãs”. — Salmo 71:18.

[Foto na página 23]

Os cristãos honram e respeitam os idosos