Pular para conteúdo

Pular para sumário

Como ser um bom pai

Como ser um bom pai

 Como ser um bom pai

UM ARTIGO na revista The Economist sobre a decadência familiar começava com a interessante declaração: “Colocar filhos no mundo é fácil, difícil é ser um bom pai.”

Embora muitas coisas na vida sejam difíceis de fazer, uma das mais difíceis — e ao mesmo tempo uma das mais importantes — é ser um bom pai. Todo pai deveria ter o desejo de ser bom, visto que estão em jogo o bem-estar e a felicidade da família.

Por que não é fácil

Em termos simples, a dificuldade de ser um bom pai deve-se principalmente à imperfeição humana — tanto dos pais como dos filhos. “A inclinação do coração do homem é má desde a sua mocidade”, diz a Bíblia. (Gênesis 8:21) Assim, um escritor bíblico reconheceu: “Em pecado me concebeu minha mãe.” (Salmo 51:5; Romanos 5:12) A inclinação para fazer o mal por causa do pecado herdado é apenas um dos obstáculos que torna difícil alguém ser um bom pai.

Este mundo, ou sistema de coisas, também é um enorme obstáculo. Por quê? Porque, como explica a Bíblia, “o mundo inteiro jaz no poder do iníquo”, ou do “Diabo e Satanás”, como ele é também conhecido. A Bíblia também o chama de “deus deste sistema de coisas”. Não é de admirar que Jesus tenha dito que, assim como ele, seus seguidores não devem ‘fazer parte do mundo’. — 1 João 5:19; Revelação (Apocalipse) 12:9; 2 Coríntios 4:4; João 17:16.

Para ser um bom pai é essencial ter sempre em mente a imperfeição herdada, Satanás e o mundo sob seu controle. Esses não são obstáculos imaginários; são reais! Mas a quem um homem pode recorrer para aprender a combatê-los e se tornar um bom pai?

Exemplos divinos

Para obter ajuda sobre como superar os obstáculos mencionados acima, o pai pode recorrer à Bíblia, que traz exemplos maravilhosos. Jesus identificou o melhor deles quando ensinou seus seguidores a orar: “Nosso Pai nos céus.” Ao descrever nosso Pai celestial, a Bíblia diz de forma simples: “Deus é amor.” Como um pai humano pode seguir esse exemplo amoroso? “Tornai-vos imitadores de Deus”, instou o apóstolo Paulo, “e prossegui andando em amor”. — Mateus 6:9, 10; 1 João 4:8; Efésios 5:1, 2.

 Se você é pai, considere o que pode aprender de apenas um exemplo de como Deus lidou com seu Filho, Jesus. Mateus 3:17 nos diz que, por ocasião do batismo de Jesus em água, ouviu-se a voz de Deus vinda do céu dizer: “Este é meu Filho, o amado, a quem tenho aprovado.” O  que podemos aprender disso?

Primeiro, pense no efeito sobre uma criança quando o pai, cheio de orgulho, diz a alguém: “Este é meu filho”, ou “esta é minha filha”. Os filhos se desenvolvem bem quando recebem atenção do pai ou da mãe, especialmente se for um reconhecimento por algo bom que tenham feito. É provável que o filho seja motivado a se esforçar ainda mais a fim de mostrar-se digno de receber elogios.

Segundo, Deus expressou seus sentimentos a respeito de Jesus ao se referir a ele como “o amado”. Essa expressão de carinho vinda de seu Pai deve ter feito Jesus se sentir muito feliz. Seus filhos também se sentirão animados se você demonstrar por palavras — bem como por seu tempo, atenção e preocupação — que os ama muito.

Terceiro, Deus disse ao Seu filho: “Eu te tenho aprovado.” (Marcos 1:11) É essencial que o pai faça isso, ou seja, dizer aos filhos que o que eles fazem o deixa feliz. Sim, o filho cometerá erros muitas vezes. Isso acontece com todos nós. Mas você, pai, procura oportunidades de mostrar que aprova as coisas boas que seu filho faz ou diz?

Jesus aprendeu bem com Seu Pai celestial. Enquanto esteve na Terra, ele mostrou por palavras e exemplos exatamente o que Seu Pai acha de Seus filhos terrestres. (João 14:9) Mesmo estando ocupado e sob pressão, Jesus tomava tempo para se sentar e conversar com as crianças. “Deixai vir a mim as criancinhas”, disse ele aos seus discípulos, “não tenteis impedi-las”. (Marcos 10:14) Será que você, pai, pode seguir mais plenamente o exemplo de Jeová Deus e de Seu Filho?

O bom exemplo é essencial

Nunca é demais enfatizar a importância de dar um bom exemplo para os filhos. É provável que seus esforços em “criá-los na disciplina e na regulação mental de Jeová” tenham pouco efeito, se você mesmo não se sujeitar à disciplina de Deus e não permitir que sua vida seja governada por ela. (Efésios 6:4) No entanto, com a ajuda de Deus, você pode superar qualquer obstáculo para cumprir o mandamento Dele de cuidar dos filhos.

Considere o exemplo de Viktor Gutschmidt, uma Testemunha de Jeová da ex-União Soviética. Em outubro de 1957, foi sentenciado a dez anos de prisão porque pregava sobre a sua fé. Ele teve de deixar para trás duas filhas pequenas e sua esposa, Polina. Enquanto estava na  prisão, permitiram-lhe escrever à sua família, mas proibiram-no de mencionar nestas cartas qualquer coisa sobre Deus ou assuntos religiosos. Mesmo diante dessa situação difícil, Viktor estava determinado a ser um bom pai e sabia que era de suma importância ensinar suas filhas a respeito de Deus. Assim, o que ele fez?

“Encontrei matéria nas revistas soviéticas Young Naturalist e Nature”, conta Viktor. “Eu desenhava animais e pessoas em cartões-postais e incluía uma história ou um relato sobre a natureza.”

“Assim que recebíamos os cartões-postais”, diz Polina, “imediatamente os relacionávamos com assuntos bíblicos. Por exemplo, quando os cartões retratavam a beleza da natureza, das florestas ou dos rios, eu lia Isaías capítulo 65”, que fala sobre a promessa de Deus de transformar a Terra num paraíso.

Uma das filhas de Viktor, Yulia, diz: “Mamãe então orava conosco e chorávamos. Esses cartões desempenharam um papel importante em nossa criação.” Polina diz que, em resultado disso, “desde a infância as garotas aprenderam a amar muito a Deus”. Qual é a situação dessa família atualmente?

Viktor explica: “Agora minhas filhas estão casadas com anciãos cristãos e ambas têm famílias espiritualmente fortes, com filhos que servem fielmente a Jeová.”

Estabelecer um bom exemplo muitas vezes requer não só criatividade, mas também grandes esforços. É provável que ver os pais realmente se esforçando toque o coração dos filhos. Um homem que passou muitos anos no serviço de tempo integral disse de modo apreciativo a respeito de seu pai: “Às vezes papai estava tão cansado do trabalho que mal conseguia ficar acordado, mas mesmo assim realizávamos nosso estudo familiar, o que nos ajudou a reconhecer a seriedade disso.”

É evidente que estabelecer um bom exemplo — tanto em palavras como em ações — é essencial para ser um bom pai. Você precisa agir assim se quiser comprovar a veracidade do provérbio bíblico, que diz: “Educa o rapaz segundo o caminho que é para ele; mesmo quando envelhecer não se desviará dele.” — Provérbios 22:6.

Portanto, lembre-se de que não é só o que você diz que importa, mas especialmente o que faz — o exemplo que dá. Um perito canadense em educação infantil escreveu: “A melhor maneira de fazer com que nossos filhos se comportem [como gostaríamos] é nós mesmos mostrarmos o comportamento desejado.” De fato, se quiser que seus filhos dêem valor a assuntos espirituais, é vital que você mesmo dê o exemplo.

Arranje tempo para eles

Seus filhos precisam ver seu bom exemplo. Isso significa que você precisa passar tempo com eles — bastante tempo, não apenas esporadicamente. Acate sabiamente o conselho bíblico de  ‘comprar tempo’, ou seja, deixe de lado coisas menos importantes para poder ficar com eles. (Efésios 5:15, 16) Realmente, o que há de mais importante do que seus filhos? Uma TV de alta definição, uma partida de futebol, uma bela casa, seu emprego?

Se o pai não reservar tempo para cuidar dos filhos enquanto ainda são crianças, ele sofrerá as conseqüências mais tarde. O pai cujos filhos se desviaram para um proceder imoral ou para um estilo de vida sem espiritualidade não raro sente profundo remorso. Lamenta não ter gastado mais tempo com seus filhos pequenos quando eles mais precisavam de um pai.

Lembre-se de que a hora de pensar nas conseqüências de suas escolhas é quando seus filhos são pequenos. A Bíblia chama os filhos de “uma herança da parte de Jeová”, algo que o próprio Deus lhe confiou. (Salmo 127:3) Portanto, nunca se esqueça de que você é responsável por eles perante Deus!

Há ajuda disponível

Um bom pai aprecia receber ajuda que será de benefício para os filhos. Após um anjo dizer à esposa de Manoá que ela daria à luz um filho, ele orou a Deus: “Por favor, deixa-o vir novamente a nós e instruir-nos quanto a que devemos fazer com o rapazinho que nascer.” (Juízes 13:8, 9) Assim como os pais hoje, que tipo de ajuda Manoá precisava? Vejamos.

Brent Burgoyne, professor na Universidade da  Cidade do Cabo, África do Sul, observou que “um dos maiores presentes que alguém pode dar a uma criança é ensinar-lhe um sistema de valores”. A necessidade de ensinar valores aos filhos pode ser vista numa reportagem do jornal japonês The Daily Yomiuri, que publicou: “[Uma] pesquisa mostra que 71% das crianças japonesas nunca foram instruídas pelo pai a não dizer mentiras.” Isto não é lamentável?

Quem pode prover um sistema de valores confiável? O mesmo que orientou Manoá — o próprio Deus! Para fornecer ajuda, Deus enviou Seu Filho amado, Jesus, como Instrutor — termo pelo qual ele era geralmente chamado. Atualmente o livro Aprenda do Grande Instrutor, cujas lições são baseadas nos ensinos de Jesus, está disponível em muitos idiomas para se usar ao ensinar os bem jovens.

Aprenda do Grande Instrutor não só explica valores tirados da Palavra de Deus, mas também ilustra o texto com mais de 160 gravuras acompanhadas de perguntas. Por exemplo, a gravura que você vê na página 32 desta revista é a do capítulo 22, intitulado “Por que não devemos mentir?”. O texto do livro onde aparece essa gravura diz: “Digamos que um menino fale para o pai: ‘Não, não fui eu que chutei a bola dentro de casa.’ Mas e se foi ele mesmo que fez isso? Será que é errado dizer que não fez?”

Outras lições valiosas são ensinadas nos capítulos intitulados “A obediência nos protege”, “Precisamos resistir às tentações”, “Uma lição de bondade”, “É errado roubar!”, “Será que Deus gosta de todo tipo de festa?”, “Como podemos deixar Deus feliz” e “Por que devemos trabalhar”, para se mencionar apenas alguns dos 48 que o livro contém.

O prefácio do livro conclui: “As crianças, em especial, precisam de orientação para recorrer à Fonte de toda a sabedoria: nosso Pai celestial, Jeová Deus. Jesus, o Grande Instrutor, sempre dava esse tipo de orientação. Esperamos sinceramente que este livro ajude você e sua família a levar a vida de um modo que agrade a Jeová. Isso lhes trará bênçãos eternas!” *

Vemos assim que ser um bom pai inclui estabelecer um bom exemplo para os filhos, passar bastante tempo com eles e ajudá-los a viver em harmonia com as normas de Deus, conforme reveladas na Bíblia.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 35 Meu Livro de Histórias Bíblicas, Os Jovens Perguntam — Respostas Práticas e O Segredo de Uma Família Feliz são outros livros que as Testemunhas de Jeová publicam para ajudar as famílias.

[Foto na página 8]

Embora preso, Viktor Gutschmidt conseguiu ser um bom pai

[Fotos nas páginas 8, 9]

Enquanto estava preso por causa de sua fé, Viktor desenhou estas gravuras para ensinar suas filhas

[Foto na página 9]

As filhas de Viktor em 1965

[Foto na página 10]

O pai deve envolver-se ativamente na educação dos filhos