Pular para conteúdo

Pular para sumário

O dia em que ninguém mais se sentirá solitário

O dia em que ninguém mais se sentirá solitário

 O dia em que ninguém mais se sentirá solitário

O TEXTO de Gênesis 2:18 declara que quando o primeiro humano foi criado, “Jeová Deus prosseguiu dizendo: ‘Não é bom que o homem continue só. Vou fazer-lhe uma ajudadora como complemento dele.’” Os humanos foram criados para estar ao lado de pessoas e depender delas.

O melhor Amigo que podemos ter é Jeová Deus. O apóstolo Paulo reconhece a Jeová como “o Pai de ternas misericórdias e o Deus de todo o consolo, que nos consola em toda a nossa tribulação”. (2 Coríntios 1:3, 4) O próprio Jeová demonstra pesar com o sofrimento de qualquer um de seus servos. Ele é um Deus de empatia. “Ele mesmo conhece bem a nossa formação, lembra-se de que somos pó.” (Salmo 103:14) Você se sente atraído a Jeová Deus e agradecido por sua atenção amorosa, bondosa e compreensiva?

Jeová ampara os solitários

Diversos servos de Deus na antiguidade passaram por circunstâncias em que se sentiram solitários. Jeová era para eles uma fonte de amparo e consolo. Veja, por exemplo, o caso de Jeremias, que foi convocado para ser profeta quando ainda era rapaz. Entre os 40 escritores da Bíblia, Jeremias foi provavelmente quem mais escreveu a respeito de suas emoções. Ele se achava tímido e inadequado para cumprir sua primeira designação, recebida de Deus. (Jeremias 1:6) Para cumpri-la, ele teve de confiar plenamente em Jeová. De fato, Jeová estava com ele “como um poderoso guerreiro”. — Jeremias 1:18, 19; 20:11, Almeida, revista e atualizada.

 Uns 300 anos antes de Jeremias, quando a Rainha Jezabel ficou sabendo da morte de seus profetas de Baal, jurou que Elias seria morto. Ele percorreu cerca de 450 quilômetros, fugindo para Horebe, na península do Sinai. Chegando lá, ele entrou numa caverna para passar a noite e Jeová Deus lhe fez a seguinte pergunta: “Que estás fazendo aqui, Elias?” Ele explicou que se sentia como se fosse o único adorador de Jeová em todo o Israel e o único profeta que era zeloso pelo serviço de Deus. Jeová assegurou-lhe que não estava sozinho, que estava com ele e mais 7.000 de seus conterrâneos também estavam com ele, embora Elias não soubesse disso. Jeová consolou e reanimou Elias e edificou sua fé. Ele tocou o coração de Elias, encorajando-o a não desistir de sua designação. (1 Reis 19:4, 9-12, 15-18) Se algum dia, assim como Elias, nos sentirmos solitários e inúteis, poderemos orar a Jeová e pedir que ele nos fortaleça. Além disso, por usar de discernimento, anciãos cristãos podem falar consoladoramente aos fiéis, ajudando-os a perceber qual é seu papel no desenrolar dos propósitos de Deus. — 1 Tessalonicenses 5:14.

Esses e outros exemplos nos ajudam a perceber a disposição de Jeová de amparar e dar consolo amoroso aos que se sentem solitários. Sim, “Jeová se tornará uma altura protetora para todo o esmagado, uma altura protetora em tempos de aflição”. — Salmo 9:9; 46:1; Naum 1:7.

Um homem de sentimentos profundos, que demonstrava empatia

Jesus Cristo é um exemplo de alguém a ser admirado por seu equilíbrio perfeito de emoções, em imitação de Jeová. Lucas descreve a reação de Jesus ao encontrar um cortejo fúnebre na cidade de Naim: “Um morto estava sendo carregado para fora, o filho unigênito de sua mãe.  . . . Avistando-a o Senhor, teve pena dela e disse-lhe: ‘Pára de chorar.’  Com isso se aproximou e tocou no esquife, e os portadores ficaram parados, e ele disse: ‘Jovem, eu te digo: Levanta-te!’ E o morto sentou-se e principiou a falar, e ele o entregou à sua mãe.” (Lucas 7:12-15) Jesus ficou profundamente comovido; ele era compassivo. Imagine a alegria que Jesus proporcionou à viúva solitária quando ressuscitou seu filho! Ela não se sentia mais solitária.

Nós também podemos ter a certeza de que Jesus é alguém que se ‘compadece das nossas fraquezas’. Sem dúvida, ele compreende os sentimentos das pessoas justas que se sentem solitárias. De fato, por intermédio dele, ‘obtemos misericórdia e achamos benignidade imerecida para ajuda no tempo certo’. (Hebreus 4:15, 16) Se imitarmos a Jesus, desenvolveremos empatia por aqueles que sentem pesar, aflição e solidão. A probabilidade de sentirmos solidão será bem menor se ajudarmos outras pessoas. Há, porém, outra maneira em que podemos obter ajuda para superar sentimentos negativos relacionados à solidão.

A Palavra de Jeová nos ajuda a superar a solidão

Muitos constataram que ‘por intermédio do consolo das Escrituras, eles têm esperança’. A Palavra de Deus está repleta de conselhos práticos que podem nos ajudar a superar a solidão. (Romanos 15:4; Salmo 32:8) Por exemplo, a Palavra de Deus nos exorta a ‘não pensar de nós mesmos mais do que é necessário’. (Romanos 12:3) Precisamos fazer ajustes na maneira de pensar a fim de aplicar esse conselho. Humildade e modéstia, ou seja, uma visão realística de nossas limitações, certamente vai nos ajudar a criar expectativas equilibradas e razoáveis. A Palavra de Deus também nos aconselha a desenvolver um interesse genuíno nos outros. (Filipenses 2:4) Essa é uma pista de mão dupla: à medida que se importar com outros, eles se importarão com você. Esse companheirismo saudável nos ajuda a aliviar a sensação de vazio e dá sentido à vida.

A Bíblia incentiva os cristãos a ‘não deixar de se ajuntar’. (Hebreus 10:24, 25) Portanto, empenhe-se em atividades benéficas, como assistir com regularidade às reuniões das Testemunhas de Jeová. Com certeza, as reuniões cristãs contribuem para o bem-estar espiritual, emocional e físico. Falar a outros sobre as boas novas do Reino de Deus é uma maneira agradável de preencher a vida com uma atividade sadia. Mantém a mente concentrada na direção certa, fortalece a fé e protege a esperança. — Efésios 6:14-17.

Achegue-se a Jeová em oração. Davi exortou: “Lança teu fardo sobre o próprio Jeová, e ele mesmo te susterá.” (Salmo 55:22) Se estudar a Palavra de Deus, você se sentirá feliz. (Salmo 1:1-⁠3) Caso sentimentos de solidão dominem você, medite no cuidado amoroso de Jeová conforme revelado por meio de sua Palavra. O salmista escreveu: “Minha alma tem-se apegado ao próprio pó. Preserva-me vivo, de acordo com a tua palavra.” — Salmo 119:25.

O dia em que ninguém mais dirá: “Sinto solidão”

Jeová Deus nos promete um novo mundo sem ansiedades, frustrações e sentimentos negativos. A Bíblia declara: “Enxugará dos seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem clamor, nem dor. As coisas anteriores já passaram.” (Revelação [Apocalipse] 21:4) Sim, entre as coisas anteriores que já terão passado estão a dor física, mental e emocional que sentimos hoje em dia.

A Terra estará repleta de pessoas amigáveis, que enriquecerão nossa vida. Por meio de seu Reino celestial nas mãos de Jesus Cristo, Jeová vai nos curar para sempre da solidão. Ele nos dará coisas novas e maravilhosas para fazermos no paraíso terrestre. Em breve, virá o dia em que nunca mais diremos: “Sinto solidão.”

 [Foto nas páginas 8, 9]

Com Jeová nos amparando, nunca sentiremos solidão, mesmo quando estivermos sozinhos

[Fotos na página 10]

O que nos ensinam os relatos bíblicos de Jeremias e Elias?