Pular para conteúdo

Pular para sumário

De Nossos Leitores

De Nossos Leitores

 De Nossos Leitores

Doenças transmitidas por insetos. Sou professora universitária e supervisora de laboratórios de microbiologia, parasitologia e bioquímica há 24 anos. Vocês apresentam assuntos científicos de maneira muito simples. Fiquei encantada com a série “Doenças transmitidas por insetos” (22 de maio de 2003). Às vezes, há pontos nos compêndios de ciência que eu não compreendo. Mas da maneira que vocês apresentam esses pontos, eu os compreendo imediatamente. Obrigada por seu bom trabalho.

M. R., México

Colar. Obrigado pelo artigo “Os Jovens Perguntam  . . . O que há de mais em colar?” (22 de janeiro de 2003). Meus colegas me oferecem muito dinheiro para fazer provas no lugar deles. Quando me recuso dizendo que isso não é correto, eles não gostam e dizem que sou intratável. O artigo me deu força para continuar a defender os padrões de Deus e a não ceder.

F. A. C., Nigéria

Eu nunca fazia meus deveres de casa, simplesmente copiava dos meus colegas de classe. Esse artigo me ajudou a entender que colar é a mesma coisa que roubar. E ainda que meus colegas de escola não concordem com isso, estou decidida a não colar mais.

Y. D., Rússia

Ônibus elétrico. Vivo e trabalho na Itália, e sou muito grata à senhora, Testemunha de Jeová, que me traz as revistas em russo. Li o artigo “Uma viagem de ônibus elétrico na linha mais extensa do mundo” (22 de março de 2003). Ele fala da costa da Criméia, na Ucrânia, onde eu morava. Obrigada por essa breve, mas agradável, visita à minha terra.

Z. B., Itália

Diabetes. Quando li na série “Aprenda a viver com o diabetes” (8 de maio de 2003) que urinar com freqüência é um sintoma do diabetes, eu me dei conta de que também podia estar sofrendo desse mal. Fui ao hospital e os exames constataram que sou diabético. Isso já faz mais de um mês, e desde esse dia venho me esforçando para abaixar o nível de açúcar no sangue com medicamentos, dieta e exercício. Se não tivesse visto essa revista, talvez ainda não soubesse que sou diabético.

Y. N., Japão

Não sou Testemunha de Jeová, mas tenho uma vizinha querida que me dá as revistas. Gostei demais da série de artigos sobre o diabetes. Fiz um trabalho sobre isso no curso de enfermagem geriátrica. Se tivesse recebido a revista uns dias antes, teria me poupado de pesquisar tantos livros. Seus artigos são muito úteis.

A. S., Alemanha

Minhocas. Fiquei impressionada com o artigo “O incrível mundo da minhoca” (8 de maio de 2003). Eu estava ouvindo a rádio local quando começaram a falar da minhoca. Imediatamente peguei a revista Despertai! que trata desse assunto. Por incrível que pareça, o locutor estava citando partes do artigo. Isso me mostrou como a Despertai! é útil no mundo todo.

F. B., Nigéria

Fiquei surpresa ao ler que há mais de 1.800 espécies de minhoca. Suponho que se não fosse pelo trabalho desses pequenos “lavradores”, teríamos de passar o dia inteiro cavando em terra dura. Não é que esse artigo me fez gostar das minhocas, mas aprendi a valorizá-las.

Y. N., Japão