Pular para conteúdo

Pular para sumário

Deus tem nome!

Deus tem nome!

 Deus tem nome!

Qual é o nome de Deus? Todos os seres humanos têm nome. A maioria das pessoas dá nome até para seus bichinhos de estimação! Não acha razoável que Deus também tenha nome? Ter e usar nomes distintivos é, sem dúvida, parte vital dos relacionamentos e contatos humanos. Será que nosso relacionamento com Deus deveria ser diferente? Ironicamente, milhões de pessoas que professam ter fé no Deus da Bíblia não usam Seu nome pessoal. Mas o nome de Deus é conhecido há séculos. Ao ler esta série de artigos, descobrirá que houve épocas em que o nome de Deus era amplamente usado. Mais importante ainda, você saberá o que a Bíblia diz sobre conhecer a Deus por nome.

NO SÉCULO 17, vários países europeus cunhavam moedas que traziam o nome de Deus. Uma moeda alemã cunhada em 1634 trazia o nome Jeová em destaque. Essas moedas ficaram conhecidas como táleres, ou moedas, de Jeová e estiveram em circulação durante décadas.

Jeová * é a tradução conhecida há séculos para o nome de Deus. Em hebraico, idioma lido da direita para a esquerda, o nome é escrito com quatro consoantes: יהוה. Esses quatro caracteres hebraicos — transliterados YHWH — são conhecidos como Tetragrama. O nome de Deus também foi inscrito dessa forma em moedas européias por décadas.

Também pode-se encontrar o nome de Deus em prédios, monumentos e obras de arte, bem como em muitos hinos religiosos. Segundo a enciclopédia alemã Brockhaus, houve época em que era costume os príncipes protestantes usarem a insígnia de um sol estilizado junto com o Tetragrama. Esse símbolo, também usado em bandeiras e moedas, era conhecido como insígnia Jeová-Sol. É evidente que os europeus muito religiosos dos séculos 17 e 18 sabiam que o Deus Todo-Poderoso tem nome. Mais interessante ainda é que eles não tinham medo de usá-lo.

O nome de Deus também não era nenhum mistério na América Colonial. Veja, por exemplo, o caso do soldado revolucionário americano Ethan Allen. Segundo suas memórias, em 1775 ele exigiu que seus inimigos se rendessem “em nome do Grande Jeová”. Posteriormente, durante a presidência de Abraham Lincoln, vários conselheiros fizeram freqüentes menções a Jeová em suas cartas ao presidente. Outros documentos históricos dos Estados Unidos que contêm o nome de Deus estão disponíveis para pesquisa pública em muitas bibliotecas. Esses são apenas alguns exemplos de como, durante séculos, o nome de Deus recebeu destaque.

E hoje? Será que o nome de Deus foi esquecido? De modo algum. Várias traduções da Bíblia trazem o nome pessoal de Deus em diversos versículos. Uma visita rápida a uma biblioteca ou alguns minutos de pesquisa em dicionários provavelmente revelará que “Jeová” é  a forma amplamente aceita em português como equivalente do Tetragrama. Por exemplo, a Enciclopédia Barsa afirma que Jeová é o “nome dado a Deus no Antigo Testamento”. Também a Enciclopédia Brasileira Mérito define Jeová como “Deus, na linguagem bíblica”, e acrescenta: “O nome de Jeová empregava-se na antiga literatura judaica, especialmente na Bíblia, com referência a Deus.” — O grifo é deles.

‘Mas’, talvez você se pergunte, ‘será que o nome de Deus é algo com que as pessoas hoje devam se preocupar?’ O nome de Deus, de uma forma ou de outra, ainda aparece em muitos lugares públicos. Por exemplo, o nome Jeová está inscrito na pedra angular de um edifício de Nova York. Na mesma cidade encontra-se o nome, escrito em hebraico, em um mosaico colorido que decora uma movimentada estação de metrô. É quase certo, porém, que poucas pessoas dentre as milhares que já passaram por esses lugares deram importância a essas inscrições.

E no lugar onde você mora, as pessoas consideram importante o nome de Deus? Ou será que a maioria se refere ao Criador como “Deus”, como se esse título fosse Seu nome? Talvez já tenha notado que muitas pessoas não dão a mínima importância à questão de se Deus tem nome ou não. E você? Sente-se à vontade para dirigir-se a Deus usando Seu nome pessoal, Jeová?

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 4 Nesta série de artigos, aparecem 39 formas do nome Jeová, conforme usadas em mais de 95 idiomas.

[Quadro/Foto na página 4]

Um rei que tornou conhecido o nome de Jeová

Em 1852, um grupo de missionários partiu do Havaí rumo às ilhas da Micronésia. Eles levavam uma carta de apresentação com o selo oficial do Rei Kamehameha III, que então governava as ilhas havaianas. Essa carta, originalmente escrita em havaiano e endereçada aos vários governantes das ilhas do Pacífico, dizia em parte: “Estão para ir visitá-los em suas ilhas certos instrutores do Deus Altíssimo, Jeová, para ensinar-lhes Sua Palavra visando sua salvação eterna.  . . . Considero esses bons instrutores dignos da sua estima e amizade e os incentivo a escutar suas instruções.  . . . Aconselho-os a jogar fora seus ídolos, a aceitar o Senhor Jeová como seu Deus, a adorá-lo e amá-lo, e Ele os abençoará e salvará.”

[Foto]

Rei Kamehameha III

[Crédito]

Hawaii State Archives

[Foto na página 3]

O Tetragrama, que significa “de quatro letras”, é o nome pessoal de Deus escrito em hebraico