Pular para conteúdo

Pular para sumário

Observando o Mundo

Observando o Mundo

 Observando o Mundo

Internet frustra assalto

Mauricio, no Uruguai, se comunicava via webcam (câmera ligada à internet) com uma amiga no Brasil, quando ela interrompeu o “vídeo-papo” para atender à porta. Depois de algum tempo apareceram na tela dois homens desconhecidos, um deles armado. Mauricio assistiu a tudo, horrorizado. Os assaltantes, que não imaginavam estar sendo observados por alguém a longa distância, começaram a pegar as coisas de valor da casa. Mauricio, mais do que depressa, telefonou para um parente em São Paulo que acionou a polícia. Após três horas de cerco, os assaltantes se renderam. Não houve feridos.

 O abismo entre homem e macaco

Recente exame seqüencial do DNA de chimpanzés, de orangotangos, de certos primatas e de macacos da espécie Rhesus revelou que seu genoma é mais diferente do genoma humano do que os cientistas pensavam. “As diferenças de DNA que separam o homem dos macacos e outros primatas (e entre eles) não são nada pequenas, são grandes”, disse a revista britânica New Scientist. “Nos cromossomos há grandes omissões e grandes acréscimos”, explicou Kelly Frazer, da Perlegen Sciences, na Califórnia, EUA, a empresa de biotecnologia que realizou o exame. A revista definiu as diferenças como “um enorme abismo entre nós e os macacos”.

Familiares desaparecidos

Milhares de famílias no mundo não sabem o paradeiro de familiares desaparecidos em guerras ou em distúrbios civis. Recente congresso em Genebra, Suíça, com o tema “Desaparecidos”, abordou a situação trágica dessas famílias, conforme noticiado no jornal alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung. Segundo Sophie Martin, chefe do Projeto Desaparecidos, do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, “os [familiares] muitas vezes continuam sofrendo de ansiedade anos depois de ter terminado a guerra”. Em muitos casos, as famílias das vítimas “não conseguem mais levar adiante sua vida ou iniciar um processo de recuperação”. As facções que estavam em guerra geralmente não estão inclinadas a cooperar na busca dos desaparecidos, talvez não tanto por incapacidade como por falta de vontade. Isso, segundo um especialista, é porque revelar as circunstâncias da morte de desaparecidos pode trazer à tona atrocidades da guerra.

Bebês amamentados ao peito são mais inteligentes e mais saudáveis

“Pesquisadores de Queensland [Austrália] observaram que entre as quase 4.000 crianças de Brisbane, que participaram de uma pesquisa, no geral as que haviam sido amamentadas tinham QIs mais altos”, declarou o jornal The Daily Telegraph, de Sydney, Austrália. O Professor Jake Najman, da Universidade de Queensland, disse: “Quanto mais tempo a criança foi amamentada, mais inteligente ela é. E a vantagem sobre os outros não é pequena. Chega a oito pontos no QI — um número considerável. É a diferença entre ser uma criança de inteligência mediana e uma de inteligência razoavelmente brilhante.” Outra possível vantagem da amamentação é que pode ser um fator na redução de até 30% do risco de a criança se tornar obesa, disse o jornal The Sunday Telegraph, de Sydney. Segundo Joy Heads, consultora de amamentação, “o leite materno é quase todo aproveitado, havendo pouquíssimos resíduos. Mesmo que o bebê fique grande e rechonchudo, não há problema. Por outro lado, o bebê gordo, alimentado com mamadeira, corre maior risco de se tornar obeso ao crescer”.

Atendimento globalizado ao consumidor

Uma mulher na Filadélfia, EUA, digita um telefone de serviço ao consumidor. A jovem que atende do outro lado se identifica como Michelle, mas seu nome verdadeiro é Meghna, e ela se encontra na Índia onde são altas horas da noite. Centros de atendimento ao cliente como esse estão sediados na Índia mas representam grandes empresas além-mar como American Express, AT&T, British Airways, Citibank e General Electric, e empregam mais de 100.000 funcionários. O que ocasionou essa transferência de serviços para a Índia foi o custo mais baixo das tarifas internacionais, além da grande disponibilidade de funcionários instruídos que falam inglês, “cujos salários são 80% inferiores aos dos funcionários ocidentais”, relatou a revista India Today. Telefonistas como Meghna recebem meses de cursos para ter um sotaque bem americano, incluindo “assistir a filmes de sucesso de Hollywood a fim de conseguir adquirir uma variedade de sotaques regionais americanos”. O computador de Meghna fornece-lhe até a meteorologia em Filadélfia, para que ela possa comentar sobre isso. E ela encerra a conversa dizendo: “Um bom dia para a senhora.”

Sistema hidráulico submarino

Constatou-se que dois vulcões submarinos descobertos nas águas que banham o litoral da ilha de Vancouver, no Canadá, vêm agindo como um enorme sistema hidráulico sob o leito oceânico, relatou a revista Canadian Geographic. Cientistas sabem há muito que ali circula a água do mar. “O problema é que em grande parte do leito oceânico não há muitas rochas expostas permeáveis à água”, explica Andrew Fisher, hidrogeólogo da Universidade da Califórnia, em Santa Cruz, EUA. Fisher e seus colegas descobriram que a água do mar é puxada para dentro de um vulcão submarino, o qual atravessa a argila impermeável que cobre o leito oceânico. A água sai por um outro vulcão submarino a mais de 50 quilômetros de distância. Fisher espera que essa descoberta ajude a se ter uma melhor compreensão da composição da água do mar assim como dos micróbios que vivem na crosta oceânica.

Vivendo e aprendendo

No Nepal, onde o analfabetismo é generalizado, um homem idoso com mais de 12 netos ficou famoso pelos seus esforços para obter educação. Bal Bahadur Karki, conhecido como Escritor Baje, nasceu em 1917 e lutou na Segunda Guerra Mundial. Aos 84 anos, após quatro tentativas, ele conseguiu seu certificado de conclusão dos estudos. Hoje, aos 86 anos, está estudando na faculdade. Ele vai se formar em inglês e já dá aulas do idioma. Estar sentado à sua carteira, rodeado de jovens, o ajuda a esquecer a idade e se sentir jovem de novo, ele disse. Na sua última viagem à capital, Katmandu, ele ganhou prêmios e foi aplaudido em pé por suas realizações. Encorajou as pessoas a não desistirem de aprender por causa da idade. Mas o Escritor Baje fez uma queixa também. Teve de andar três dias para pegar um ônibus visto que não lhe deram desconto na passagem de avião. Disse ao jornal The Kathmandu Post: “As linhas aéreas deveriam me dar uma tarifa para estudante visto que sou estudante também.”

Crianças e jovens com distúrbios mentais

“Vinte e dois por cento das crianças e dos adolescentes na Espanha sofrem de algum tipo de distúrbio mental”, relatou o jornal espanhol ABC. “Os mais comuns são distúrbios de comportamento, ansiedade, depressão e distúrbios alimentares”, declarou a psiquiatra infantil María Jesús Mardomingo. Durante os últimos 30 anos, especialistas vêm observando um aumento marcante no número desses casos, levando-os a concluir que problemas emocionais costumam acompanhar o progresso financeiro. Notaram, por exemplo, mudanças dramáticas em valores sociais e culturais, incluindo uma queda significativa na autoridade dos pais. “Embora saibamos que ser inflexível e autoritário é destrutivo, a permissividade na educação é catastrófica. O importante é conciliar autoridade com amor”, declarou Mardomingo.