Pular para conteúdo

Pular para sumário

Como posso ser eu mesmo e não o reflexo dos meus irmãos?

Como posso ser eu mesmo e não o reflexo dos meus irmãos?

 Os Jovens Perguntam . . .

Como posso ser eu mesmo e não o reflexo dos meus irmãos?

“Eu queria ser alguém, mas sempre senti que tinha de viver à altura da reputação das minhas irmãs. Sentia que nunca seria capaz de fazer as mesmas coisas que elas.” — Clara.

VOCÊ tem um irmão ou uma irmã que parece se sair bem em quase tudo? Seus pais estão sempre falando que você deveria ser mais parecido com ele ou ela? Se as respostas forem sim, talvez você tenha medo de ser sempre o reflexo dele ou dela — que seu valor sempre será medido por sua capacidade de refletir as consecuções de seu irmão ou irmã.

Os irmãos mais velhos de Bruno * são formados na respeitadíssima Escola de Treinamento Ministerial * e têm excelente reputação como cristãos. Bruno admite: “Minha autoconfiança ficou prejudicada porque me sentia como se não conseguisse viver à altura dos padrões estabelecidos por eles na pregação, ou ser tão bom quanto eles em oratória. Achava difícil ter amigos só meus, pois eu só servia de acompanhante quando eles eram convidados para algum lugar. Achava que as pessoas estavam sendo amigáveis comigo só por causa dos meus irmãos.”

É difícil não ficar com ciúme do irmão ou da irmã que é sempre o alvo de elogios. Nos tempos bíblicos, o jovem José se destacava entre seus irmãos. Como reagiram? “Começaram a odiá-lo e não eram capazes de falar pacificamente com ele.” (Gênesis 37:1-⁠4) Sem dúvida, José era modesto. No seu caso, pode ser que seu irmão ou irmã promovam rivalidade ou causem ressentimentos quando ficam constantemente lhe lembrando de suas consecuções.

Alguns jovens reagem a tudo isso com rebeldia — talvez tirando de propósito notas baixas na escola, não participando muito em atividades ministeriais ou fazendo algo errado. Talvez imaginem que, como não conseguem se sair tão bem quanto seus irmãos, não têm nem por que tentar. Mas no final das contas, rebelar-se só traz mágoas. Como você poderá ser autêntico e não o reflexo de seus irmãos e, ainda assim, sentir-se bem consigo mesmo?

 Não os ponha nas alturas

Ao perceber que se dá toda a atenção ao seu irmão ou irmã, você poderá até acreditar que ele ou ela seja a perfeição em pessoa e que você nunca, nem por um instante, conseguirá ser como ele ou ela. Mas é assim mesmo? A Bíblia diz categoricamente: “Todos pecaram e não atingem a glória de Deus.” — Romanos 3:23.

Sim, sejam quais forem as habilidades ou talentos de seus irmãos, eles ainda são “humanos, tendo os mesmos padecimentos” que todos nós. (Atos 14:15) Não há motivo para colocá-los nas alturas ou fazer deles ídolos. O único homem que um dia estabeleceu o exemplo perfeito foi Jesus Cristo. — 1 Pedro 2:21.

Aprenda com eles!

A seguir, tente enxergar a sua situação como oportunidade única de ganhar experiência. Veja o caso dos irmãos e das irmãs de Jesus Cristo. (Mateus 13:55, 56) Pense no que poderiam ter aprendido de seu irmão perfeito! No entanto, “seus irmãos, de fato, não estavam exercendo fé nele”. (João 7:5) Talvez o orgulho e o ciúme tenham atrapalhado a sua fé. Foram os irmãos espirituais de Jesus — seus discípulos — que aceitaram seu generoso convite: “Aprendei de mim.” (Mateus 11:29) Foi só depois da ressurreição de Jesus que seus irmãos carnais finalmente deram valor a ele. (Atos 1:14) Até então, haviam perdido oportunidades valiosíssimas de aprender com seu extraordinário irmão.

Caim cometeu um erro parecido. Seu irmão Abel era um notável servo de Deus. A Bíblia comenta que “Jeová olhava com favor para Abel e para sua oferenda”. (Gênesis 4:4) Por algum motivo, porém, Deus “não olhava com favor para Caim e para sua oferenda”. Caim bem que poderia ter demonstrado humildade e ter aprendido de seu irmão. Em vez disso, “acendeu-se muito a ira de Caim”, que acabou matando Abel. — Gênesis 4:5-8.

Não é que você tenha tanta raiva assim de seu irmão ou irmã. Mas também poderá perder oportunidades preciosas se deixar que o orgulho e o ciúme atrapalhem. Se você tem um irmão ou irmã que se sai muito bem em matemática, é um gênio em história, pratica muito bem seu esporte favorito, tem um conhecimento notável das Escrituras ou tem o dom da oratória, então você não deve deixar-se levar pelo ciúme! Afinal de contas, “o ciúme é podridão para os ossos” e isso vai apenas lhe prejudicar. (Provérbios  14:30; 27:4) Em vez de ficar magoado, tente aprender com seu irmão ou irmã. Aceite o fato de que ele ou ela tem habilidades que você não tem. Observe como seu irmão ou irmã faz as coisas — ou melhor ainda, peça ajuda.

Bruno, mencionado no começo, tirou proveito do bom exemplo que seus irmãos deram. Ele comenta: “Vi que meus irmãos ficavam muito felizes de estar ajudando as pessoas na congregação e no serviço de pregação. Então, decidi seguir o exemplo deles e comecei a ficar envolvido com construções tanto em Salões do Reino como em Betel. A experiência que ganhei me deu confiança e me ajudou a aprimorar meu relacionamento com Jeová.”

Descubra suas próprias virtudes

Talvez você tema que imitar as boas qualidades de seus irmãos signifique perder sua própria individualidade. Não necessariamente. O apóstolo Paulo incentivou os cristãos do primeiro século a ‘ser imitadores dele’. (1 Coríntios 4:16) Significa isso que Paulo queria que eles perdessem sua própria individualidade? De forma alguma. Há lugar de sobra para a variedade. Não se sair tão bem em matemática como seu irmão não indica que há algo errado com você. Significa apenas que você é diferente.

Paulo dá o seguinte conselho: “Prove cada um quais são as suas próprias obras, e então terá causa para exultação, apenas com respeito a si próprio e não em comparação com outra pessoa.” (Gálatas 6:4) Por que não se empenhar em desenvolver suas próprias habilidades? Aprender outro idioma, tocar um instrumento ou saber usar o computador poderá fazer com que você se sinta bem consigo mesmo, além de adquirir habilidades valiosas. Não se preocupe em fazer as coisas de maneira perfeita! Aprenda a ser metódico, consciencioso e competente. (Provérbios 22:29) Você pode não ter aptidão natural para certas coisas, mas “a mão dos diligentes é a que governará”, diz Provérbios 12:24.

No entanto, seu desenvolvimento espiritual é o que você deve querer realmente aprimorar. O valor das habilidades espirituais é bem mais duradouro do que o de quaisquer outros talentos que sejam objeto de mais atenção. Veja o caso dos gêmeos Esaú e Jacó. Esaú ganhou elogios de seu pai porque era “homem entendido na caça, homem do campo”. A princípio, seu irmão Jacó poderia ter sido facilmente deixado de lado porque havia se tornado “homem inculpe, morando em tendas”. (Gênesis 25:27) Esaú não desenvolveu a espiritualidade e acabou perdendo muitas bênçãos. Jacó, por outro lado, cultivou amor por coisas espirituais e foi ricamente abençoado por Jeová. (Gênesis 27:28, 29; Hebreus 12:16, 17) O que aprendemos disso? Desenvolva a espiritualidade, ‘deixe brilhar a sua luz’ e o ‘seu progresso será manifesto a todos’. — Mateus 5:16; 1 Timóteo 4:15.

Clara, mencionada no início, comenta: “Eu não me importava de ser o reflexo de minhas irmãs mais velhas, mas depois decidi seguir o conselho bíblico de ‘alargar’ minhas afeições. Participava no serviço de pregação com diferentes pessoas da minha congregação e procurava encontrar maneiras práticas de ajudar outros que precisassem de ajuda na congregação. Também convidava irmãos de diferentes idades para tomarem refeições e lanches em casa. O resultado é que tenho um círculo maior de amigos e estou mais confiante.” — 2 Coríntios 6:13.

De vez em quando, seus pais podem sem querer cair no erro de incentivá-lo a ser como seu irmão ou irmã. Mas levar em conta que eles querem o melhor para você poderá ajudá-lo a não ficar tão magoado. (Provérbios 19:11) Por outro lado, pode ser muito bom você falar, de maneira respeitosa, como se sente quando eles fazem comparações. Talvez encontrem outras maneiras de demonstrar suas preocupações.

Não se esqueça de que Jeová notará o serviço sagrado que você presta a ele. (1 Coríntios 8:3) Bruno resume isso ao dizer: “Noto que quanto mais eu sirvo a Jeová, mais feliz me sinto. As pessoas percebem agora quem eu sou e gostam de mim, da mesma forma como gostam de meus irmãos.”

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 5 Alguns nomes foram mudados.

^ parágrafo 5 Organizada pelas Testemunhas de Jeová.

[Foto na página 25]

Será que seu irmão ou irmã sempre é alvo de atenção?

[Foto na página 26]

Cultive seus próprios talentos e interesses

[Foto na página 26]

‘Deixe a sua luz brilhar’ ao desenvolver habilidades espirituais