Pular para conteúdo

Pular para sumário

Florestas tropicais — podem ser salvas?

Florestas tropicais — podem ser salvas?

 Florestas tropicais — podem ser salvas?

DO REDATOR DE DESPERTAI! NA BOLÍVIA

RAMIRO é dono de um vale coberto de floresta tropical nublada. * Situado no sopé dos Andes, na América do Sul, o vale é um dos poucos na região onde ainda existem árvores centenárias. As montanhas ao redor estão desnudas. Pesquisadores do mundo inteiro descobriram ali diversas espécies de animais nunca antes descritos. Ramiro tem profundo interesse na preservação. “Na minha floresta não vai haver extração de madeira”, diz.

Roberto, por outro lado, administra 5.600 quilômetros quadrados de floresta tropical úmida nas baixadas da bacia amazônica. Ele é silvicultor e trabalha com extração e exportação de madeira. Mas Roberto também tem profundo interesse em proteger as florestas tropicais e a vida selvagem. “É possível extrair madeira sem causar danos permanentes à diversidade biológica”, insiste ele.

Embora tenham diferentes pontos de vista, Ramiro e Roberto compartilham uma profunda preocupação com o futuro das florestas tropicais. E não são as únicas vozes em defesa da preservação. Em décadas recentes, a destruição indiscriminada das florestas tropicais úmidas tem-se acelerado de forma alarmante.

Será que as preocupações são exageradas? Afinal de contas, nos séculos passados grande parte das florestas temperadas foi convertida em áreas agrícolas. Então, por que tanto alarde com o desmatamento nos países tropicais? A razão é que existem diferenças fundamentais. Uma delas é que as florestas tropicais geralmente crescem em terrenos inférteis, impróprios para a agricultura. Além disso, a diversidade biológica dessas florestas é muito mais rica, e sua perda afeta toda a humanidade.

O preço do desmatamento

As florestas tropicais abrigam mais da metade das espécies vegetais e animais do planeta. Dos macacos-aranha e tigres às exóticas briófitas e orquídeas, das cobras e sapos a raras borboletas e psitacídeos — o número de espécies é grande demais para ser catalogado.

Diversas formas de vida proliferam nos muitos tipos de florestas tropicais como, por exemplo, nas florestas nubladas de altitude, de crescimento lento; nas florestas pluviais densas com dossel; nas florestas tropicais secas e nos bosques de árvores esparsas. A maioria das pessoas, porém, nunca viu pessoalmente uma floresta tropical. Você talvez seja uma delas. Então por que se preocupar com tais lugares?

A preservação das florestas tropicais úmidas é vital para todos nós porque inúmeras plantas cultivadas e de valor comercial de que precisamos dependem, de certa forma, das variedades silvestres originárias que ainda vicejam nas florestas. As plantas silvestres às vezes são utilizadas para desenvolver novas variedades mais resistentes a doenças e a pragas. Dessa forma, a diversidade genética proporcionada por matrizes originais é essencial.

Além disso, os pesquisadores estão sempre descobrindo produtos úteis extraídos das florestas tropicais.  Grande parte dos medicamentos hoje utilizados, por exemplo, foi desenvolvida a partir de plantas tropicais. Assim, a biodiversidade das florestas tropicais úmidas é muitas vezes comparada a uma biblioteca viva, só que, nessa biblioteca, a maioria dos “livros” ainda nem foi aberta.

Frágil cadeia da vida

O ambiente úmido dessas florestas exuberantes é frágil e extremamente complexo. As miríades de formas de vida são interdependentes. Por exemplo, a maioria das plantas depende de determinados pássaros, insetos ou animais para a polinização e dispersão de sementes. Num ciclo de vida admirável, a floresta recicla com eficiência toda a matéria orgânica resultante de plantas, animais, insetos e microorganismos que ali vivem. Surpreendentemente, esse ecossistema complexo geralmente repousa sobre um solo muito pobre. Uma vez destruída, pode ser difícil ou impossível recuperar a floresta.

Muitas pessoas subsistem das florestas tropicais. Além de permitir pesquisas científicas e favorecer o ecoturismo, as florestas fornecem produtos de grande importância comercial como madeira, nozes, mel, palmito, borracha e resina. Porém a exuberante cobertura verde está desaparecendo a um ritmo alarmante. Os números exatos são controversiais, mas uma coisa é certa: as florestas estão encolhendo rapidamente.

É triste dizer que essa perda ambiental com freqüência resulta em pouquíssimos benefícios permanentes. Inúmeros trechos de mata foram transformados em pasto. Muitas vezes a pastagem logo fica exaurida e é abandonada. No lado brasileiro da Amazônia, relata-se que 165.000 quilômetros quadrados de terra foram abandonados por esse motivo.

Que esperança há para as florestas tropicais e sua riquíssima fauna e flora? Ramiro, Roberto e muitos outros conservacionistas lutam para defender as florestas contra as pressões e as demandas do comércio internacional, da superpopulação e dos caçadores e madeireiros ilegais. Mas quais são as causas reais, subjacentes, do desmatamento? Existe alguma forma de utilizar os vastos recursos das florestas sem destruí-las?

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 3 A floresta nublada, ou floresta montana, é um tipo de floresta úmida situada a uma altitude superior a 1.000 metros.

[Destaque na página 3]

A maioria das espécies animais do planeta e uma imensa variedade de plantas são encontradas nas florestas tropicais

 [Fotos nas páginas 4, 5]

Os madeireiros e suas estradas de exploração podem causar a devastação da floresta