Pular para conteúdo

Pular para sumário

Conceito razoável sobre privacidade

Conceito razoável sobre privacidade

 Conceito razoável sobre privacidade

“OS OLHOS DE JEOVÁ ESTÃO EM TODO LUGAR, VIGIANDO OS MAUS E OS BONS.” — PROVÉRBIOS 15:3.

POUCAS pessoas se agradariam da idéia de ter outro ser humano monitorando todos os seus movimentos, escrutinando seus pensamentos secretos e detectando seus mais profundos desejos. Mas é exatamente isso que a Bíblia diz que Deus pode fazer. Hebreus 4:13 declara: “Não há criação que não esteja manifesta à sua vista, mas todas as coisas estão nuas e abertamente expostas aos olhos daquele com quem temos uma prestação de contas.” Não é isso uma invasão de privacidade? De forma alguma. Por que não?

 Para ilustrar: ao nadar numa praia, você talvez esteja sob o olhar sempre vigilante de um salva-vidas. Ninguém encara isso como invasão de privacidade. Na verdade, a presença dele dá à pessoa um senso de segurança. Ela sabe que, em caso de perigo, ele logo a socorrerá. De maneira similar, a mãe monitora constantemente os movimentos do bebê. Se não o fizesse, seria considerada negligente.

Do mesmo modo, Jeová monitora nossos pensamentos e ações, pois ele visa os nossos melhores interesses. Disse um profeta bíblico: “Quanto a Jeová, seus olhos percorrem toda a terra, para mostrar a sua força a favor daqueles cujo coração é pleno para com ele.” (2 Crônicas 16:9) Mas até que ponto Jeová realmente conhece ou vê nossos pensamentos e ações secretas? Vários incidentes envolvendo Jesus, o Filho de Deus, nos dão uma idéia.

A capacidade de ler corações e mentes

Enquanto Jesus jantava na casa de um fariseu, uma mulher conhecida como pecadora chegou e ajoelhou-se aos seus pés. Ela começou a chorar e então enxugou com o cabelo as lágrimas que caíram sobre os pés de Jesus. Diz o relato: “À vista disso, o fariseu que o convidara dizia no seu íntimo: ‘Este homem, se fosse profeta, saberia quem e que espécie de mulher é que o toca.’” A resposta de Jesus mostra que ele não só sabia o passado dessa mulher mas também o que o fariseu acabara de dizer “no seu íntimo”. — Lucas 7:36-50.

Em outra ocasião, Jesus foi confrontado por um grupo que se opunha à Sua realização de milagres. O relato em Mateus 9:4 diz: “Jesus, sabendo os seus pensamentos, disse: ‘Por que imaginais coisas iníquas nos vossos corações?’” A capacidade de Jesus de conhecer os pensamentos de outros não era apenas uma adivinhação inteligente.

Uma análise do relato da ressurreição de Lázaro revela que muito mais está envolvido. Lázaro, amigo íntimo de Jesus, estava morto havia quatro dias. Seus pensamentos haviam perecido e ele já estava em decomposição. (Salmo 146:3, 4) Quando Jesus mandou abrir a entrada do túmulo, Marta, irmã de Lázaro, objetou: “Senhor, ele já deve estar cheirando.” No entanto, com a ajuda do poder de Deus, Jesus ressuscitou Lázaro, incluindo todas as suas recordações íntimas e pessoais necessárias para que ele voltasse a ser a pessoa que era antes de morrer. — João 11:38-44; 12:1, 2.

 As palavras de Jesus sobre a oração atestam a capacidade de Jeová de conhecer os nossos pensamentos mais íntimos. Antes de ensinar o Pai-Nosso aos seus discípulos, Jesus disse: “Deus, vosso Pai, sabe de que coisas necessitais antes de lhe pedirdes.” Ele disse também: “Quando orares, entra no teu quarto particular, e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; então o teu Pai, que olha em secreto, te pagará de volta.” — Mateus 6:6, 8.

Os benefícios de saber que Deus nos vigia

Será que o fato de sabermos que Deus sonda todos os corações e discerne “toda inclinação dos pensamentos” atrapalha os nossos caminhos ou limita a nossa liberdade? (1 Crônicas 28:9) Pelo contrário, reconhecer que é impossível ocultar algo de Deus pode ser uma força poderosa em favor do bem.

Elizabeth, mencionada no primeiro artigo, diz que a razão principal para continuar honesta não são as câmeras que a vigiam no trabalho. O que importa, diz ela, “é saber que Jeová observa minha conduta, e isso me motiva a ser honesta em todos os meus tratos, mesmo fora do trabalho”.

Jim diz algo similar. Ele trabalha numa fábrica em que os furtos por parte de empregados são corriqueiros. Mas Jim se recusa a furtar do patrão. Ele diz: “Com certeza eu poderia furtar da empresa sem ser descoberto, mas eu prezo minha relação com Deus e sei que ele vê tudo o que faço.”

Saber que Deus conhece todas as nossas ações, junto com o desejo de ter uma boa relação com ele, pode motivar a pessoa a fazer grandes mudanças na vida. Por exemplo, Doug foi criado numa família cristã, mas nunca levou a sério o fato de que Deus podia ver suas ações. Por isso, ele levava uma vida dupla. Assistia às reuniões cristãs com a família, mas, fora disso, usava drogas com amigos. Gostava tanto de motocicletas que entrou numa gangue de motoqueiros notoriamente violenta. Para ser aceito pelo grupo, cometeu crimes graves.

Alguns anos depois, Doug voltou a estudar a Bíblia. Passou a encarar a Jeová como pessoa real, que conhece as ações das pessoas e é afetado por elas. Sentiu-se motivado a começar a viver à altura dos elevados padrões de moral de Deus. Embora fosse costume da gangue espancar severamente os desertores, Doug foi a uma reunião da gangue e anunciou formalmente a sua renúncia na frente de todos  os membros. Ele se lembra: “Quando me levantei para falar, meu coração batia forte. Eu me sentia como Daniel na cova dos leões. Mas orei silenciosamente a Jeová e daí expliquei com calma as razões da minha renúncia. Quando saí, todos menos um apertaram minha mão e desejaram-me boa sorte. Senti a veracidade de Isaías 41:13: ‘Eu, Jeová, teu Deus, agarro a tua direita, Aquele que te diz: “Não tenhas medo. Eu mesmo te ajudarei.”’” Doug acredita que Jeová supriu as forças de que ele precisava para mudar de vida.

Conceito razoável

É insensato pensar que podemos ocultar de Deus certas coisas. A Bíblia diz francamente: “O insensato disse no seu coração: ‘Não há Jeová.’” (Salmo 14:1) Como os artigos anteriores destacaram, os humanos produziram câmeras de vigilância capazes de reconhecer um rosto específico no meio de uma multidão. Desenvolveram aparelhos de escuta capazes de isolar uma voz específica dentre os muitos milhares de usuários do sistema telefônico. Certamente, então, o Criador do cérebro humano tem a capacidade de sondar os raciocínios de qualquer pessoa, sempre que achar apropriado.

Ao passo que o Criador tem o direito de conhecer todas as atividades particulares de uma pessoa, os humanos não têm esse direito. O apóstolo Pedro admoestou a todos os que querem ganhar o favor de Deus: “Nenhum de vós sofra como . . . malfeitor, ou como intrometido nos assuntos dos outros.” (1 Pedro 4:15) O apóstolo Paulo também advertiu contra ser ‘indiscreto e curioso’. — 1 Timóteo 5:13, Edição Claretiana.

Um exemplo extremo de ‘intrometer-se nos assuntos dos outros’ e ser ‘indiscreto e curioso’ é a tendência crescente, em alguns países, de pessoas comuns usarem mini-aparelhos de gravação de áudio ou de vídeo para espionar outros. No Japão, por exemplo, a maratonista Naoko Takahashi, que ganhou medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Sydney, descobriu recentemente que uma minicâmera havia sido escondida no seu banheiro e a havia filmado sem ela saber. Foi produzido um vídeo e já foram vendidas ilegalmente milhares de cópias.

Muito comum também é o roubo de identidade, a prática de usar tecnologia avançada para roubar detalhes pessoais. É razoável tomar medidas para proteger sua privacidade contra escrutínio não-autorizado. * Diz a Bíblia: “Argucioso é aquele que tem visto a calamidade e passa a esconder-se, mas os inexperientes passaram adiante e terão de sofrer a penalidade.” — Provérbios 22:3.

Prestação de contas

Com o aumento da criminalidade, da violência e do terrorismo, é provável que os governos vigiarão ainda mais de perto seus cidadãos. Em breve, porém, não haverá mais necessidade de câmeras de vigilância ou aparelhos de escuta. A Bíblia promete que, no futuro próximo, Jeová convocará todos os humanos para uma prestação de contas de suas ações, tanto públicas como em particular. — Jó 34:21, 22.

Daquele tempo em diante, a Terra ficará livre da violência, do ódio e das atividades criminosas que já há tanto tempo afligem a humanidade. Como será possível? Será possível porque, naquele tempo, Jeová conhecerá intimamente todos os viventes e todos os viventes conhecerão intimamente a Jeová. As palavras do profeta Isaías se cumprirão: “Não se fará dano, nem se causará ruína em todo o meu santo monte; porque a terra há de encher-se do conhecimento de Jeová assim como as águas cobrem o próprio mar.” — Isaías 11:9.

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 21 Veja o quadro “Cuidado!”

[Destaque na página 12]

Reconhecer que é impossível ocultar algo de Deus pode ser uma força poderosa em favor do bem

[Quadro/Foto na página 11]

Cuidado!

PRIVACIDADE E SITES DE EMPREGO ON-LINE: Candidatos a emprego que colocam seu currículo on-line enfrentam consideráveis ameaças à sua privacidade. Os currículos podem ser armazenados por anos em sites de emprego e até mesmo virar fonte de informações para roubo de identidade. Alguns sites pedem dados pessoais dos postulantes, como nome, endereço, idade e experiência profissional e daí passam esses dados a terceiros que, por sua vez, os vendem a publicitários, por exemplo.

PRIVACIDADE E COMUNICAÇÕES MÓVEIS: Não existe hoje uma maneira barata de garantir privacidade, tanto nos telefones sem fio como nos celulares. Se o assunto for confidencial, pode ser mais seguro usar um telefone convencional. Certifique-se de que a pessoa com quem você fala também esteja num telefone convencional. Os sinais de muitos telefones sem fio podem ser captados por antenas de rádio, alguns até mesmo por outros telefones sem fio ou por monitores de bebê. Se você compra algo por telefone e dá o número de seu cartão de crédito e a data de expiração, sua chamada por telefone sem fio ou por celular pode ser monitorada e você pode ser vítima de fraude. *

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 32 Informações adaptadas do site da Privacy Rights Clearinghouse na internet.

[Foto na página 9]

O olhar vigilante de um salva-vidas não é considerado invasão de privacidade

[Fotos na página 10]

Saber que Deus conhece as nossas ações motivou Doug a fazer mudanças na sua vida