Pular para conteúdo

Pular para sumário

E se eu encontrar um colega de escola?

E se eu encontrar um colega de escola?

 Os Jovens Perguntam . . .

E se eu encontrar um colega de escola?

“Ir para a escola na segunda-feira era uma tortura. Se algum dos meus amigos tinha me visto, eu inventava uma história qualquer. Por exemplo, dizia a eles que estava pedindo contribuições para o Partido Trabalhista.” — James, Inglaterra.

“Os colegas que tinham me visto caçoavam de mim. Eu era muito pressionada.” — Débora, Brasil.

POR QUE esses jovens tinham tanto medo de ser vistos pelos colegas? Estavam envolvidos em alguma atividade ilegal? Muito pelo contrário, realizavam o trabalho mais nobre e mais importante que está sendo feito na Terra atualmente. Participavam da obra que Jesus ordenou que fosse feita, ao dizer: “Ide, portanto, e fazei discípulos de pessoas de todas as nações, . . . ensinando-as a observar todas as coisas que vos ordenei.” — Mateus 28:19, 20.

De acordo com uma pesquisa Gallup, dos Estados Unidos, mais de 90% dos adolescentes acreditam em Deus. Cerca da metade vai à igreja toda semana. Mas embora muitos jovens estejam envolvidos em atividades promovidas por igrejas, como cantar em coral, poucos falam sobre Deus aos colegas de escola. As Testemunhas de Jeová, porém, são conhecidas no mundo todo pela pregação de casa em casa. Milhares de jovens entre elas participam dessa atividade.

Se você é uma Testemunha de Jeová jovem, sem dúvida participa da pregação. Mas isso não significa necessariamente que ache isso fácil. Como os jovens mencionados no início, talvez tenha medo de encontrar um colega de escola enquanto realiza essa atividade. “Uma das coisas de que mais tinha medo”, admite Jennie, da Grã-Bretanha, “era que um colega de escola me visse toda arrumada, de saia e carregando uma bolsa — bem diferente de como eu ando na escola”.

O medo de encontrar um colega de escola pode ser tão grande que alguns recorrem a certos artifícios. Leon diz: “Conheço um jovem que sai no campo [no trabalho de evangelização] vestindo uma jaqueta com capuz. Quando avista um colega de escola, ele puxa o capuz e esconde  o rosto.” Outros jovens simplesmente evitam trabalhar em determinados lugares. “Lembro que eu orava para que não fôssemos trabalhar numa determinada rua”, conta Simon, “porque sabia que muitos da minha escola moravam ali”.

É normal sentir-se um pouco constrangido ao encontrar na pregação alguém que conhece. Mas deixar que o medo o domine não é nada bom. “Eu tinha uma atitude tão ruim com relação à pregação”, admite Alicia, uma jovem alemã, “que isso prejudicou minha espiritualidade”.

Mas por que você tem de pregar, se é algo que acha tão difícil? Para responder a essa pergunta, vejamos por que Deus ordena que façamos isso. A seguir mostraremos como — com esforço e determinação — você pode superar esse medo.

A obrigação de pregar

Em primeiro lugar, você talvez se sinta melhor se levar em consideração que falar sobre as suas crenças com outros não é nada novo ou diferente. Desde os tempos antigos, homens e mulheres que temiam a Deus faziam isso. Noé, por exemplo, é conhecido principalmente como o construtor de uma enorme arca. (Gênesis 6:14-16) Mas conforme 2 Pedro 2:5, ele também era “pregador da justiça”. Noé se sentiu no dever de falar a outros sobre a destruição que estava para vir. — Mateus 24:37-39.

Tempos depois, embora os judeus não recebessem ordens específicas para pregar a não-judeus, muitos falaram sobre as suas crenças com outros. Foi assim que uma estrangeira chamada Rute veio a conhecer Jeová. Sentindo-se grata a Noemi, sua sogra judia, Rute lhe disse: “Teu povo será o meu povo, e teu Deus, o meu Deus.” (Rute 1:16) Mais tarde, o Rei Salomão indicou que muitos não-judeus ouviriam falar a respeito do “grande nome” de Jeová e O adorariam no Seu templo. — 1 Reis 8:41, 42.

Se esses servos de Deus dos tempos antigos divulgavam a sua fé — apesar de não terem recebido ordens diretas para fazer isso —, quanto mais devem os cristãos hoje se sentir induzidos a pregar! Afinal de contas, recebemos a ordem de pregar “estas boas novas do reino”. (Mateus 24:14) E assim como no caso do apóstolo Paulo, nos foi imposta a necessidade de declarar as boas novas. (1 Coríntios 9:16) Nossa própria salvação está em jogo. Romanos 10:9, 10 diz: “Se declarares publicamente essa ‘palavra na tua própria boca’, que Jesus é Senhor, . . . serás salvo. Porque com o coração se exerce fé para a justiça, mas com a boca se faz declaração pública para a salvação.”

Onde é que você pode fazer essa “declaração pública”? Embora a pregação informal tenha o seu valor, o ministério de porta em porta ainda é um dos meios mais eficazes de contatar as pessoas. (Atos 5:42; 20:20) Será que você não precisa participar nesse trabalho só porque é jovem? De forma alguma. A Bíblia ordena, no Salmo 148:12, 13: “Vós, jovens e também vós, virgens, vós, homens idosos junto com os rapazes. Louvem eles o nome de Jeová.”

O desafio de pregar aos colegas

Encontrar alguém da escola no ministério pode realmente gerar um certo constrangimento e nervosismo. Afinal, é natural a pessoa querer ser aceita por outros. Ninguém gosta de ser alvo de provocações, zombaria nem de insultos. E como disse a jovem Tanya, “os colegas de escola podem ser muito cruéis”. Assim, é normal que você fique preocupado com a reação dos colegas se eles o virem bem vestido e com uma Bíblia na mão. Infelizmente, é bem provável que eles zombem de você. “Tinha um jovem da minha classe que morava no meu prédio”, lembra Felipe, do Brasil. “Ele dizia: ‘Lá vai você de novo falar da Bíblia. O que é que você tem nessa pasta?’ ”

Esse tipo de zombaria não é apenas uma brincadeira inocente. A Bíblia nos diz que Ismael  zombou cruelmente do seu meio-irmão, Isaque, filho de Abraão. (Gênesis 21:9) O apóstolo Paulo não considerou isso como de pouca importância. Em Gálatas 4:29, ele classificou esse proceder como ‘perseguição’.

Da mesma forma, Jesus alertou que alguns seriam hostis para com seus seguidores. Ele disse: “Se o mundo vos odeia, sabeis que me odiou antes de odiar a vós. Se vós fizésseis parte do mundo, o mundo estaria afeiçoado ao que é seu. Agora, porque não fazeis parte do mundo, mas eu vos escolhi do mundo, por esta razão o mundo vos odeia.” — João 15:18, 19.

Assim, como cristão, você deve estar preparado para sofrer alguma medida de perseguição. (2 Timóteo 3:12) Mesmo que nunca diga uma palavra sobre a Bíblia a seus colegas, alguns talvez o persigam simplesmente por você manter padrões elevados de conduta e não participar das coisas erradas que eles fazem. (1 Pedro 4:4) Mas Jesus nos consola com as seguintes palavras: “Felizes sois quando vos vituperarem e perseguirem, e, mentindo, disserem toda sorte de coisas iníquas contra vós, por minha causa.” (Mateus 5:11) Como você pode sentir-se feliz sendo alvo de zombaria e provocação? É por saber que está alegrando o coração de Jeová! (Provérbios 27:11) E por agradar a Deus, poderá ser recompensado com a vida eterna! — Lucas 10:25-28.

Felizmente, é pouco provável que todos os seus colegas de escola — ou a maioria deles — o tratem mal se você os contatar no ministério. Angela, da Grã-Bretanha, lembra: “Muitas vezes, quando você encontra um colega de escola ao trabalhar de casa em casa, ele fica mais assustado do que você!” Alguns podem até ficar curiosos para saber o que você tem a dizer. De qualquer forma, muitos jovens cristãos são muito bem-sucedidos em falar a colegas de escola sobre as suas crenças. O próximo artigo desta série abordará algumas maneiras de você também fazer isso.

[Foto na página 21]

Muitos jovens têm medo de encontrar um colega de escola no ministério

[Foto na página 23]

Nunca permita que a zombaria o faça sentir vergonha de sua fé