Pular para conteúdo

Pular para sumário

Quais são as causas?

Quais são as causas?

 Quais são as causas?

“Em geral, a depressão de adolescentes não é causada por um único fator, mas por uma combinação de coisas estressantes.” — Dra. Kathleen McCoy.

O QUE causa a depressão em adolescentes? Vários fatores podem estar envolvidos. As mudanças físicas e emocionais resultantes da puberdade podem deixar os jovens inseguros e com medo, o que os torna especialmente suscetíveis a pensamentos negativos. Também, é comum que os adolescentes fiquem mais vulneráveis a emoções negativas quando são rejeitados pelos colegas ou pela pessoa por quem nutriam sentimentos românticos. Além disso, como mencionado no artigo inicial, os adolescentes hoje crescem num mundo deprimente. De fato, vivemos em “tempos críticos, difíceis de manejar”. — 2 Timóteo 3:1.

Algo que agrava o problema é que os jovens estão enfrentando as pressões da vida pela primeira vez e não têm nem a habilidade nem a experiência dos adultos. De modo que muitas vezes eles se sentem como turistas em uma terra desconhecida: assustados com o que os rodeia e, em muitos casos, sem vontade de pedir ajuda. Essas condições podem preparar o terreno para que germinem as sementes da depressão.

Mas há muitos outros fatores que contribuem para a depressão de adolescentes. Vejamos alguns deles.

Depressão e perda

Às vezes, a depressão surge em resultado de uma grande perda: talvez a morte de uma pessoa querida ou ficar separado de um dos pais devido ao divórcio. Até a morte de um bichinho de estimação pode fazer o adolescente mergulhar no desespero.

Há também tipos menos evidentes de perda. Por exemplo, mudar-se para outro lugar significa deixar para trás um ambiente conhecido e amigos queridos. Até mesmo atingir um objetivo há muito aguardado — como se formar na escola — pode levar o jovem a ter sentimentos de perda. Afinal, ao iniciar uma nova fase na vida a pessoa perde o conforto e a segurança do passado. Há também jovens que têm de suportar uma doença crônica. Nessas circunstâncias,  a dor de ser diferente dos colegas — e talvez até ser ignorado por eles — pode fazer o adolescente se sentir anormal.

É verdade que muitos jovens enfrentam essas perdas sem serem totalmente dominados por elas. Ficam tristes, choram, se lamentam, ficam aflitos, mas com o tempo se adaptam às circunstâncias. Por que, então, ao passo que a maioria dos adolescentes suporta as pressões da vida e se adapta a elas, outros sucumbem à depressão? Não é fácil encontrar a resposta, pois a depressão é uma doença complexa. Mas parece que alguns adolescentes são mais vulneráveis.

O fator bioquímico

Muitos profissionais da área de saúde acham que um desequilíbrio bioquímico no cérebro tem um papel destacado na depressão. * Tudo indica que esse desequilíbrio é transmitido geneticamente, pois os pesquisadores descobriram que, quando um dos pais sofre de depressão, o adolescente tem mais probabilidade de também ter a doença. “Na maioria dos casos, pelo menos um dos pais de crianças deprimidas também sofre de depressão”, diz o livro Lonely, Sad and Angry (Solitário, Triste e Furioso).

Isso levanta a questão: Será que as crianças realmente herdam a depressão ou apenas aprendem a ser deprimidas ao conviver com pais deprimidos? A culpa é da genética ou do ambiente? É difícil responder a essa questão polêmica, porque o cérebro e os muitos fatores que podem contribuir para a depressão de adolescentes são incrivelmente complexos.

Depressão e ambiente familiar

A depressão tem sido chamada de questão familiar e com boas razões. Como já mencionado, talvez haja um componente genético que faz com que uma geração após outra seja propensa à depressão. Mas o ambiente familiar também pode influir. “Quando os pais maltratam os filhos, estes correm mais risco de ter depressão”, escreve o Dr. Mark S. Gold. “O mesmo acontece com crianças cujos pais são excessivamente críticos ou que se concentram nas fraquezas dos filhos.” Pais superprotetores ou que “sufocam” os filhos também podem contribuir para a depressão. Há, porém, um fato interessante: uma pesquisadora descobriu que as crianças são ainda mais propensas à depressão quando os pais simplesmente não mostram interesse nelas.

Isso não significa, porém, que todos os adolescentes deprimidos sejam vítimas de pais incapazes. Uma afirmação arbitrária como essa não levaria em conta os muitos outros fatores que podem contribuir para o problema. Contudo, em alguns casos o ambiente familiar é um aspecto importante da questão. “Crianças em lares em que há constante tensão entre os pais correm mais riscos de ter depressão do que as que vivem em ambientes menos atribulados”, escreve o Dr. David G. Fassler. “Uma razão é que os pais que vivem brigando ficam tão envolvidos em suas disputas que negligenciam as necessidades dos filhos. Outra, é que os pais muitas vezes tornam os filhos o centro de suas desavenças, fazendo os jovens se sentirem culpados, furiosos e ressentidos.”

Esses são apenas alguns dos fatores que podem contribuir para a depressão de adolescentes. Existem outros. Por exemplo, alguns especialistas afirmam que fatores ambientais (desnutrição, toxinas e uso de drogas ou álcool) podem levar à depressão. Outros indicam certos medicamentos (alguns anti-histamínicos e tranqüilizantes) como possíveis fatores. Parece também que crianças com deficiências de aprendizado são especialmente propensas à depressão. Isso se dá, possivelmente, porque sua auto-estima tende a diminuir quando percebem que não conseguem acompanhar os colegas de classe.

Não importa qual seja a causa, porém, é vital analisar a questão: Como ajudar os adolescentes deprimidos?

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 11 Alguns suspeitam que, embora muitas vítimas já nasçam com o desequilíbrio, outras nascem saudáveis, mas se tornam mais suscetíveis à depressão quando um evento traumático altera a química do cérebro.

[Fotos nas páginas 8, 9]

Tensões familiares muitas vezes servem de catalisadores para a depressão