Pular para conteúdo

Pular para sumário

Existe solução para o problema das drogas

Existe solução para o problema das drogas

 Existe solução para o problema das drogas

“GRANDE apreensão de cocaína escondida em garrafas de vinho”. Sob essa manchete, um artigo de jornal explicou como a polícia de Johanesburgo, África do Sul, apreendeu um contêiner com 11.600 garrafas de vinho da América do Sul. Misturados no vinho estavam de 150 a 180 quilos de cocaína. Acredita-se que essa foi a maior remessa de cocaína a entrar no país até hoje.

Embora notícias como essa sejam positivas, a verdade é que, segundo se calcula, a polícia apreende apenas de 10% a 15% das drogas ilegais no mundo todo. Infelizmente, isso é parecido a um jardineiro que consegue arrancar algumas folhas de uma erva daninha, enquanto as raízes continuam no solo.

Devido aos imensos lucros gerados pelo tráfico, é difícil para os governos coibir a produção e a venda de drogas. Só nos Estados Unidos, o mercado ilegal de drogas chega a muitos bilhões de dólares por ano. Com tanto dinheiro em jogo, não é de admirar que alguns policiais e funcionários do governo, até em altos escalões, se tornem corruptos.

Alex Bellos, do jornal The Guardian Weekly, noticiou que um inquérito parlamentar “citou três deputados federais, 12 deputados  estaduais e três prefeitos . . . em uma lista de mais de 800 pessoas que, segundo se afirma, estão envolvidas com o crime organizado e o tráfico de drogas no Brasil”. A lista também incluía “policiais, advogados, empresários e fazendeiros de 17 dos 27 Estados”. Um professor de política da Universidade de Brasília fez o seguinte comentário sobre esses dados: “É uma grave acusação contra todos os setores da sociedade brasileira.” Pode-se dizer o mesmo de muitas sociedades em que as drogas exercem grande influência. O que agrava o problema são as leis de mercado da oferta e procura.

Visto que as restrições legais têm tido pouco efeito, alguns defendem a legalização (ou descriminação) de certas drogas. A idéia básica é que os usuários deveriam ter permissão de possuir pequenas quantidades de drogas para consumo próprio. Alguns acham que isso tornaria mais fácil para o governo controlar o problema e diminuiria os enormes lucros dos chefões das drogas.

Alguns se libertaram

A desintoxicação tenta primeiro fazer o viciado largar as drogas para depois melhorar sua saúde física. Infelizmente, há grandes probabilidades de que, após retornar ao seu ambiente, o dependente se sinta tentado a voltar a usar drogas. O escritor Luigi Zoja explica a razão disso: “É impossível simplesmente eliminar um comportamento sem redirecionar a mente do paciente para uma dimensão totalmente nova.”

Darren, mencionado no artigo anterior, encontrou uma ‘dimensão nova’ que mudou sua vida. Ele explica: “Eu professava ser ateu, mas com o tempo, embora estivesse drogado da manhã à noite, comecei a me dar conta de que deveria existir um Deus. Durante um período de dois ou três meses, tentei me livrar das drogas, mas meus amigos não me deixavam recusá-las. Embora ainda tomasse drogas, comecei a ler a Bíblia regularmente antes de ir para a cama. Passei a sair cada vez menos com meus amigos. Uma noite eu e meu colega de quarto estávamos ‘altos’, quando mencionei a Bíblia para ele. Na manhã seguinte, ele telefonou para o irmão, que era Testemunha de Jeová. Este nos indicou alguém que era Testemunha e morava na mesma cidade que nós. Fui visitá-lo.

“Ficamos conversando até as 11 horas da noite e, quando fui embora, levei um punhado de publicações para me ajudar no estudo da Bíblia. Comecei a estudá-la com ele e parei de usar drogas e de fumar. Cerca de nove meses depois, fui batizado como Testemunha de Jeová.”

Não é fácil abandonar as drogas. Michael, mencionado no artigo anterior, conta as dificuldades que  teve quando parou de usar drogas depois de 11 anos: “Achava muito difícil comer e por isso emagreci. Também sentia formigamento, suava muito e via halos luminosos ao redor das pessoas. Sentia um desejo terrível de voltar às drogas, mas achegar-me a Jeová em oração e estudar a Bíblia me ajudou a continuar ‘limpo’.” Esses ex-dependentes de drogas concordam que para eles foi essencial romper totalmente a associação com seus anteriores colegas.

Por que os esforços humanos falham

O uso de drogas ilegais é só uma faceta de um problema maior, global. O mundo inteiro está sob o controle de uma poderosa influência que induz as pessoas à maldade, à violência e à crueldade. A Bíblia diz: “O mundo inteiro jaz no poder do iníquo.” (1 João 5:19) Esse “iníquo” é identificado pelo apóstolo João em Revelação (Apocalipse) 12:9: “Assim foi lançado para baixo o grande dragão, a serpente original, o chamado Diabo e Satanás, que está desencaminhando toda a terra habitada; ele foi lançado para baixo, à terra, e os seus anjos foram lançados para baixo junto com ele.”

Além de terem de enfrentar suas próprias fraquezas, os humanos ainda têm de lidar com esse inimigo poderoso. Foi Satanás quem causou a ruína da humanidade no começo da História humana. Ele está decidido a afastar os humanos de Deus e a levá-los a um nível ainda mais baixo de degradação. Parece que o uso de drogas faz parte de sua estratégia. E ele está furioso porque sabe que “tem um curto período”. — Revelação 12:12.

A solução virá de Deus

A Bíblia revela a amorosa provisão do Criador para resgatar a humanidade de sua condição pecaminosa. Em 1 Coríntios 15:22, lemos: “Assim como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos serão vivificados.” Jesus voluntariamente veio à Terra como humano perfeito e sacrificou sua vida terrestre para resgatar a humanidade dos efeitos do pecado e da morte.

Saber a razão de existir a morte e a solução para os problemas da humanidade deu a muitos a motivação e a coragem de que precisavam para abandonar o vício das drogas. Mas a Bíblia não explica apenas como podemos, individualmente, lidar com o problema das drogas hoje. Ela fala do tempo, quando a influência de Satanás não existir mais, em que todos os males do mundo, incluindo o uso de drogas, serão permanentemente eliminados.

O livro de Revelação descreve “um rio de água da vida, límpido como cristal, correndo desde o trono de Deus e do Cordeiro”. (Revelação 22:1) Esse rio simbólico representa as provisões de Deus por meio de Jesus Cristo para restaurar a humanidade à vida perfeita numa Terra paradísica. Revelação descreve árvores da vida que florescem ao longo do rio, dizendo: “As folhas das árvores eram para a cura das nações.” (Revelação 22:2) Essas folhas simbólicas representam as provisões curativas de Jeová para restaurar a humanidade à perfeição física e espiritual.

Finalmente estaremos livres, não só das drogas, mas de todos os outros males e problemas que nos afligem no atual sistema degradado!

[Quadro/Foto na página 9]

A maconha é uma droga segura?

Vários países estão analisando a possibilidade de legalizar a maconha, especialmente para fins medicinais. Constatou-se que a droga alivia as náuseas causadas pela quimioterapia e parece que ajuda a estimular o apetite dos doentes de Aids. Também já foi usada para aliviar a dor.

Embora os resultados das descobertas ainda gerem polêmica, experiências mencionadas na revista New Scientist indicam alguns dos efeitos nocivos da maconha.

Uma pesquisa da Universidade Harvard comparou um grupo que fumava maconha diariamente com outro que a usava com menos freqüência. Descobriram-se poucas diferenças nos testes-padrão de desempenho mental. Mas os que com freqüência usavam maconha tiveram notas bem inferiores num teste para determinar a adaptabilidade.

Outra universidade acompanhou um grupo que fumava maconha regularmente e um grupo que fumava tabaco, por um período de 15 anos. Os do primeiro grupo em geral fumavam três ou quatro “baseados” por dia, enquanto os do segundo fumavam 20 ou mais cigarros diariamente. O número de pessoas que sofreram de tosse e bronquite foi idêntico em ambos os grupos. Exames dos pulmões revelaram que os dois grupos haviam sofrido danos celulares semelhantes.

Embora os usuários de maconha fumassem com muito menos freqüência, constatou-se que um único “baseado” libera três vezes mais alcatrão do que um cigarro. Além disso, New Scientist afirma: “Os usuários de maconha tragam mais fundo e prendem a respiração por mais tempo.”

Também se descobriu que as células do sistema imunológico nos pulmões dos usuários de maconha tinham capacidade 35% menor de combater bactérias em comparação com as células dos fumantes de tabaco.

[Crédito]

Foto da U.S. Navy

[Quadro na página 11]

“Denúncia dolorosa” contra os pais

Um editorial do jornal sul-africano Saturday Star expressou preocupação com o aumento alarmante do uso de drogas entre jovens na África do Sul e comentou:

“O fato de nossos filhos fazerem isso [usarem drogas] é uma denúncia dolorosa contra nós, pais, e contra a sociedade como um todo. Semana após semana corremos atrás do dinheiro, prestando adoração no templo do sucesso material. Nossos filhos exigem muito de nossa mente, de nossas forças. Tempo de qualidade? É fácil dar dinheiro a eles para que larguem do nosso pé. Isso é mais fácil do que os escutar — escutar seus medos, suas esperanças, suas preocupações. Hoje à noite, quando estivermos sentados à mesa do restaurante ou relaxando em frente à TV, será que saberemos o que eles estarão fazendo?”

Ou, poderíamos acrescentar: “Saberemos o que estarão pensando?”

[Foto na página 10]

Muitos conseguiram a motivação de que precisavam para abandonar as drogas