Pular para conteúdo

Pular para sumário

Observando o Mundo

Observando o Mundo

 Observando o Mundo

A insistência funciona!

“Uma nova geração de jovens muito sofisticados que vivem na moda são os novos fregueses que gastam horrores no comércio da Grã-Bretanha”, noticia o jornal londrino The Times. “Eles têm entre 10 e 13 anos. Na hora de decidir o que comprar, são como adultos: não precisam de palpite, pois sabem exatamente o que querem. Mas na hora de pedir aos pais que paguem os artigos caros que desejam, são crianças: insistem até conseguirem”, diz o jornal. Piers Berezai, da Datamonitor, uma companhia de pesquisa de mercado, comenta: “Com o aumento do divórcio e mais mulheres no mercado de trabalho, os pais passam pouco tempo com os filhos e para tranqüilizar a consciência muitos procuram compensar essa negligência com dinheiro. Os filhos já estão percebendo que a insistência funciona, e muito, para conseguir o que querem. Os pais que vêem os filhos apenas periodicamente são os que cedem mais facilmente aos caprichos e às extravagâncias deles.”

Igrejas admitem ter submetido pessoas a trabalhos forçados

Recentemente os alemães ficaram chocados de saber que durante a Segunda Guerra Mundial as Igrejas Católica e evangélicas submeteram pessoas a trabalhos forçados. Segundo um porta-voz da Conferência dos Bispos Católicos Alemães, “as pessoas trabalhavam nas propriedades da Igreja: na lavoura dos mosteiros e também em vinhedos e hospitais”, diz o Frankfurter Allgemeine Zeitung. As maiores instituições beneficentes e de caridade das Igrejas evangélicas na Europa “submeteram pessoas a trabalhos forçados durante toda a Segunda Guerra Mundial”, diz o Süddeutsche Zeitung. As duas alas das Igrejas prometeram indenizar com vários milhões de marcos alemães as pessoas que ainda estiverem vivas. Elas eram na maioria civis dos países da Europa Oriental.

Cigarros viciam rápido

Pesquisadores da Universidade de Massachusetts, EUA, confirmaram que algumas pessoas ficam viciadas “uns dias depois de fumar o primeiro cigarro”, diz um relatório da Associated Press. Esse estudo analisou durante um ano os hábitos de 681 jovens entre 12 e 13 anos e registrou sintomas indicando que já estavam viciados. “Vínhamos suspeitando que muitas pessoas se viciam bem rápido”, declarou o Dr. Richard Hurt, “mas essa é a primeira vez que temos algo de concreto para provar a suspeita”. O Dr. Joseph DiFranza, encarregado da equipe que fez a pesquisa, disse: “O resultado desse estudo ressaltou a importância de advertir os jovens que com o cigarro não se brinca e que não devem achar que dá para fumar só por algumas semanas e depois largar.”

Mais funcionários deprimidos

“Um em cada dez funcionários no mundo sofre de estresse, ansiedade ou depressão”, relata o diário parisiense International Herald Tribune. Um estudo realizado pela Organização Internacional do Trabalho, da ONU, chegou à conclusão de que o estresse causado pelo trabalho custa mais de 120 bilhões de dólares aos cofres da Europa e dos Estados Unidos. O aumento da depressão devido ao trabalho é atribuído em parte à revolução tecnológica que acabou colocando mais pressão sobre os funcionários. A reportagem diz que nos Estados Unidos cerca de “200 milhões de dias de trabalho são perdidos por ano em virtude de distúrbios mentais ocasionados pelo trabalho”. Na Finlândia, mais da metade da força de trabalho sofre de problemas relacionados com o estresse. E na Grã-Bretanha cerca de 30% dos funcionários têm distúrbios mentais e 5% sofre de depressão profunda.

Adultos consomem alimentos infantis

Mais e mais adultos estão consumindo alimentos infantis, relata a agência de notícias, dpa-Basisdienst. Dez por cento da produção de uma grande indústria de alimentos infantis da Alemanha é comprada por consumidores sem filhos. Pessoas de todas as idades e de todas as camadas sociais são loucas por pudim de leite e frutas cozidas para bebês. E como uma porção costuma ter apenas 100 calorias, muitos adultos que cuidam do peso comem alimentos infantis entre as refeições para tapear a fome. Os fabricantes, aproveitando-se dessa tendência,  estão recomendando alimentos infantis para “bebês e adultos” e fornecem receitas à base dos produtos. A Sociedade de Nutrição da Alemanha está preocupada com essa tendência. Anette Braun, porta-voz da Sociedade, disse que esses alimentos não fazem parte da dieta de adultos saudáveis. Só se a pessoa estiver sob restrição médica. Os adultos precisam mastigar os alimentos. “Não é para isso que temos dentes?”, pergunta ela.

Estranhos no templo

No Japão, um templo budista antigo não está atraindo só os fiéis. Desde 1955, ano em que o prédio foi restaurado, os pica-paus estão afluindo para o templo. Eles fizeram ‘tantos furos no prédio que alguns turistas acham que o templo foi projetado assim, para permitir que a luz entre e ilumine o interior’, diz o jornal Asahi Evening News. O principal sacerdote lamenta que até o momento fracassaram todas as tentativas de afugentar as aves. O Templo Daizenji foi construído em 1286 na prefeitura de Yamanashi. O auditório principal é considerado patrimônio nacional.

Cuidado com os petiscos para bichos de estimação

“Petiscos para bichos de estimação, feitos de orelha, pata e vísceras desidratadas e de osso de porco e de boi foram relacionados com casos de salmonelíase em humanos”, relata a revista FDA Consumer. Segundo autoridades sanitárias canadenses, em 12 meses, mais de 35 canadenses que manusearam orelhas de porco desidratadas foram tratados de salmonelíase. Gloria Dunnavan, diretora da Divisão de Cumprimento do Centro da Administração de Alimentos e Remédios para a Medicina Veterinária, recomenda aos consumidores que ao manusear esses órgãos desidratados tomem os mesmos cuidados que tomam com a carne crua. “Em outras palavras, depois de manusear os petiscos, lavem as mãos com sabonete e água quente, não os coloquem nas superfícies onde se colocam alimentos (como no balcão da cozinha) e não deixem as crianças tocar neles e depois pôr os dedos na boca”, diz a revista.

Cápsulas com câmara de vídeo

Uma firma israelense desenvolveu uma cápsula que, ao ser engolida, age como uma minúscula câmara de vídeo projetada para analisar doenças relacionadas com o intestino delgado, relata o jornal mexicano Excelsior. A minicâmera transmite sinais para um cinto especial nos quadris do paciente. As imagens são então processadas por um computador e depois analisadas por especialistas. A minicâmera é expelida do corpo pelas vias naturais. Segundo o Dr. Blair Lewis, uma das vantagens desse método de exame do intestino é que é indolor. O professor Paul Swain, um dos inventores da cápsula, disse que com ela “será possível obter uma imagem da parte inferior do intestino delgado sem precisar sedar o paciente ou até mesmo enquanto ele estiver andando”. A Administração de Alimentos e Remédios, dos Estados Unidos, aprovou o uso da cápsula para 20 pacientes em Nova York e em Londres.

Pastilhas de zinco ajudam a curar resfriado?

Há anos os pesquisadores discutem se o zinco realmente ajuda no tratamento do resfriado. Um estudo recente descobriu que “chupar uma pastilha de [zinco] no início do resfriado, algumas vezes ao dia, pode cortar a duração do resfriado pela metade”, relata a revista Science News. Além disso, constatou-se que os participantes da pesquisa que chuparam pastilhas de zinco de duas em duas horas ou de três em três horas, por quatro ou cinco dias, “tossiram menos e tiveram bem menos secreção nasal” do que os que tomaram placebos. Mas algumas pessoas tiveram efeitos colaterais como constipação intestinal e secura na boca, relata a revista.

Sacerdotes importados

A Igreja Católica, preocupada com a falta de padres nos países desenvolvidos, começou a importar sacerdotes, segundo a revista italiana L’Espresso. “Na Europa, inclusive na Itália, e na América do Norte, os seminários não estão formando novos sacerdotes em número suficiente e nas dioceses não há sacerdotes para substituir os que saem ou morrem”, diz a revista. Para preencher essas vagas, a Igreja está importando sacerdotes do Brasil, das Filipinas e da Índia. “Isso é algo novo”, relata a revista, “e representa uma grande mudança nas diretrizes da Igreja. . . . Na Itália, há no momento 1.131 sacerdotes de países de fora da União Européia na lista de pagamento do Episcopado, o que representa 3% do total”. Com isso, a Itália está se tornando um ‘território que precisa de missionários’, observa a revista.