Pular para conteúdo

Pular para sumário

De Nossos Leitores

De Nossos Leitores

 De Nossos Leitores

Santería. Vocês iniciam o artigo “O fascínio da santería” na Despertai! (8 de julho de 2000) dando a entender que Cuba é a terra da santería, e que foi de lá que ela se difundiu aos poucos para outros países. Mas o artigo deixa transparecer que a santería foi levada a todas as ilhas do Caribe por escravos africanos procedentes da Nigéria. A matéria não foi escrita por um cubano, mas por alguém do México. Isso se chama de reportagem tendenciosa, que prejudica sua credibilidade.

V. R., Estados Unidos

Não era nossa intenção dar a entender que Cuba é “a terra da santería”. Pelo contrário, mostramos que a “santería” é amplamente praticada em outras partes do mundo, inclusive no México e nos Estados Unidos. Quanto à sua difusão, a “Encyclopædia Britannica” diz que a santería é um “culto religioso que se originou em Cuba e se espalhou para ilhas vizinhas . . . Tem raiz nas tradições do povo ioruba (das atuais Nigéria e Benin). — RED.

Endometriose. Agradeço imensamente pelo artigo “Minha luta contra a endometriose” (22 de julho de 2000). Eu também recebi o diagnóstico de endometriose e tenho sofrido muito com isso. Alguns dos meus irmãos cristãos não conseguiam entender por que eu andava sempre adoentada. Mas após lerem o artigo, passaram a ter um conceito diferente.

G. S., Jamaica

Ler sobre Deborah Andreopoulos foi como ler a minha própria história! Eu tenho sofrido por muitos anos, e esse artigo foi uma resposta às minhas orações, dando-me o encorajamento de que tanto precisava.

J. C. F., Irlanda

Há dois meses e meio foi detectado que tenho endometriose. Fiquei muito aliviada de saber que não sou a única e que muitas mulheres estão passando pelo mesmo problema.

A. W., Guatemala

Muito obrigada por mostrar o impacto dessa doença não só sobre a paciente, mas também sobre os amigos e a família. Ler esse artigo me fez ver que Jeová realmente se importa conosco e entende o que estamos passando.

N. A., Canadá

Dentro de poucos dias vou fazer uma cirurgia e a experiência de Deborah Andreopoulos me deu muita força. Agora acho que posso enfrentar meu problema com mais coragem.

M. B., Itália

Antártida. Li e reli o artigo “Antártida: a última fronteira” (22 de julho de 2000). O redator da Despertai! na Austrália e o ilustrador capricharam! Eu me lembrei que, no Ano Internacional da Geofísica, há uns 45 anos, um grupo de cientistas dos Estados Unidos foi designado para estudar a Antártida. Foram necessários três volumes grandes, encadernados, para narrar sua história. Sendo artista gráfica free lance, fui contratada para fazer as ilustrações. Hoje sou Testemunha de Jeová e já sou evangelizadora por tempo integral das boas novas há 16 anos. Mas o meu estúdio continua repleto de fotos e mapas da Antártida. Muito obrigada pelo artigo!

C. M., Estados Unidos