Pular para conteúdo

Pular para sumário

De Nossos Leitores

De Nossos Leitores

 De Nossos Leitores

Minas terrestres. Parabéns por tornarem público o assunto das minas terrestres. (8 de maio de 2000) Um sentimento de vergonha varre nossa mente por saber que seres humanos têm coragem de planejar o mal nessa amplitude contra o próximo. É justo, pois, que Deus aja, removendo os ímpios de nossa bela Terra. Não há lugar para eles aqui.

G. S., Brasil

Pregador enfermo. O artigo “Tenho uma atitude positiva apesar de problemas de saúde” (22 de fevereiro de 2000) me comoveu muito. Sou jovem e às vezes acho que os meus problemas são grandes demais. A história de Konstantin Morozov foi muito encorajadora. O que ele disse calou fundo em meu coração: “Meu desejo é continuar a servir a [Jeová] enquanto meu coração continuar a bater.”

L. C., Itália

Gladíolo. Parabéns pelo artigo “O gladíolo: flor extraordinária, bela e delicada”. (22 de fevereiro de 2000) Gosto de receber a visita dos membros de sua igreja, embora duvido que um dia me torne um deles. De qualquer forma, o artigo foi escrito por alguém entendido em gladíolos. Neste mundo atribulado, cultivar gladíolos é uma maneira maravilhosa de relaxar e apreciar a vida.

C. M., Estados Unidos

Século 20. Felicito-os pelo seu trabalho de informação e formação. Sou jornalista de televisão de assuntos políticos e militares e, embora seja crítico, até hoje não encontrei nenhum outro relatório tão bem compilado como o da Despertai! sobre o século 20. (8 de dezembro de 1999) A capa em si já retratou cabalmente os acontecimentos mais marcantes do crítico século. Parabéns!

A. P., Angola

Suicídio. A série “Suicídio: quem corre mais risco?” (22 de fevereiro de 2000) era exatamente o que precisávamos. Minha mãe morreu de repente faz oito meses. Meu pai não estava em casa quando ela morreu e se sente culpado. Ele diz que perdeu a vontade de viver. Assim, os artigos foram muito úteis tanto para o meu pai como para mim.

R. Z., Alemanha

Meu avô se suicidou há dois anos. Depois da morte da esposa, seu estado mental deteriorou. Os artigos me ajudaram a entender as razões que poderiam tê-lo levado a fazer o que fez.

A. M., Estados Unidos

Em janeiro, meu irmão se suicidou. Ele tinha 48 anos. No dia seguinte ao funeral, meu pai, que não é Testemunha de Jeová, encontrou esse número de Despertai! na caixa do correio. Ele estava sem fala e tinha lágrimas nos olhos ao mostrar-nos a revista. Todos nós da família choramos de alegria e gratidão por essa série consoladora.

B. J., Estados Unidos

No nosso distrito escolar, seis crianças se suicidaram no último ano. Isso tem gerado tanta preocupação que o distrito escolar criou um alerta ao suicídio na escola. Oferecemos esse número às pessoas em áreas que em geral não são receptivas à nossa mensagem. Aconteceu de pessoas tomarem a revista de nossas mãos antes mesmo de terminarmos a apresentação!

C. C., Estados Unidos

Quando eu era adolescente, tentei me suicidar duas vezes depois da morte de meu pai. A própria palavra suicídio é considerada tabu por algumas pessoas. Muito obrigada por fazerem desse um assunto de capa da Despertai!. Achei que os artigos foram apresentados com muita franqueza, realismo e compreensão.

M. G., França