Pular para conteúdo

Pular para sumário

Como lidar com o assédio sexual?

Como lidar com o assédio sexual?

 Os Jovens Perguntam . . .

Como lidar com o assédio sexual?

“Os rapazes assobiam e mexem com a gente.” — Carla, Irlanda.

“As meninas ficam ligando para a gente. Tentam nos vencer pelo cansaço.” — Jason, Estados Unidos.

“Ele ficava tocando no meu braço e tentando pegar na minha mão.” — Yukiko, Japão.

“As garotas ficam se insinuando para a gente.” — Alexander, Irlanda.

“Um menino ficou gritando para mim de dentro do ônibus escolar. Ele não queria sair comigo. Só estava me assediando.” — Rosilyn, Estados Unidos.

UM OLHAR insinuante, um “elogio” com segundas intenções, uma piada obscena, um toque claramente sensual — quando coisas assim são indesejadas e repetidas, muitas vezes podem constituir o que chamamos de assédio sexual. É difícil obter estatísticas em âmbito mundial, mas pesquisas indicam que a maioria dos jovens em idade escolar nos Estados Unidos já passou por essa situação.

O que exatamente é assédio sexual? O livro Coping With Sexual Harassment and Gender Bias (Como Lidar com o Assédio e o Preconceito Sexual), da Dra. Victoria Shaw, o define como “comportamento com conotação sexual que importuna a outra pessoa . . . O assédio pode ser físico (como tocar alguém de modo sensual), verbal (como comentários indesejados sobre a aparência da pessoa) ou não-verbal”. Às vezes o assédio envolve propostas indecentes.

A maior parte do assédio na escola provavelmente vem dos colegas. Mas em alguns casos são adultos, como professores, que assediam. Um artigo na revista Redbook especula que o número relativamente pequeno de professores condenados por ofensas sexuais “provavelmente é apenas a ponta do iceberg”.

Até nos tempos bíblicos as mulheres — e às vezes os homens — sofriam assédio. (Gênesis 39:7; Rute 2:8, 9, 15) E a Bíblia fez essa previsão sombria: “Nos últimos dias haverá tempos difíceis. Pois os homens serão egoístas, avarentos, orgulhosos, vaidosos, xingadores . . . Não terão amor para com os outros e serão duros, caluniadores, sem domínio próprio, violentos e inimigos do bem.” (2 Timóteo 3:1-3, A Bíblia na Linguagem de Hoje) Assim, é possível e até provável que você também venha a sofrer assédio sexual.

 O conceito de Deus

É verdade que nem todos os jovens se sentem incomodados com um comportamento sexualmente agressivo. Alguns o acham divertido, ou até o encaram como um elogio. Uma pesquisa feita nos Estados Unidos mostrou um dado preocupante: 75% das vítimas de assédio sexual admitiram que elas mesmas haviam assediado outros. Alguns adultos só pioram o problema porque subestimam a seriedade do comportamento sexualmente agressivo, achando que é apenas brincadeira de criança. Mas como Deus encara o assunto?

A Palavra de Deus, a Bíblia, claramente condena todas as formas de assédio sexual. Ela nos ensina que não devemos “usurpar os direitos” dos outros passando dos limites aceitáveis em questões sexuais. (1 Tessalonicenses 4:3-8) De fato, ela ordena especificamente aos rapazes que tratem “as mulheres mais jovens, como a irmãs, com toda a castidade”. (1 Timóteo 5:1, 2) Além disso, a Bíblia condena as “piadas obscenas”. (Efésios 5:3, 4) Portanto, você tem o direito de se sentir bravo, incomodado, confuso e até humilhado se for assediado.

O que devo dizer?

Como, então, você deve reagir se for vítima de assédio? Às vezes, uma reação fraca ou vaga só torna aquele que assedia mais persistente. A Bíblia nos conta que, quando a esposa do patrão de José lhe fez uma proposta indecente, ele não a ignorou simplesmente. Ele rejeitou com firmeza as propostas imorais dela. (Gênesis 39:8, 9, 12) Hoje, ser firme e direto ainda é o melhor modo de defender-se do assédio.

É verdade que a pessoa que o assedia talvez não queira ofendê-lo. O que parece assédio talvez seja na verdade uma tentativa desajeitada de atrair sua atenção. Assim, não pense que você também precisa ser mal-educado para acabar com a atenção indesejada. Simplesmente dizer algo como: “Não gosto desse tipo de conversa”, ou: “Por favor, não me toque” talvez deixe bem claro seu ponto de vista. Não importa como diga, seja firme. Deixe que o seu ‘não’ signifique ‘não’! A jovem Andrea diz: “Se a pessoa não entender suas indiretas, seja bem claro. Muitas vezes é só isso que precisa.” Uma expressão firme, como “Pare com isso!”, talvez resolva o problema.

 Se a situação piorar, não tente resolver o problema sozinho. Procure discutir o assunto com seus pais ou com outro adulto maduro. Eles talvez tenham sugestões práticas sobre como lidar com a situação. Eles talvez considerem, como último recurso, a possibilidade de falar com as autoridades escolares. Embora isso possa ser embaraçoso para você, poderá protegê-lo de assédios posteriores.

Como se prevenir contra o assédio

É claro que, também na questão do assédio, é melhor prevenir do que remediar. O que pode ajudar? Andrea aconselha: “Nunca dê a entender que você está um pouco interessada. Outros ficarão sabendo disso e a pressão vai continuar.” Analise também o seu estilo de roupa. A jovem Mara diz: “Não me visto como a minha avó, mas evito roupas que chamem a atenção para o meu corpo.” Se você rejeita o assédio sexual, mas usa roupas provocantes, os outros talvez fiquem confusos. A Bíblia recomenda que devemos nos vestir “com modéstia e bom juízo”. — 1 Timóteo 2:9.

Algo que também pode contribuir para você sofrer assédio é o tipo de pessoas com quem você anda. (Provérbios 13:20) Rosilyn diz: “Se você está com suas amigas e algumas delas mostram que gostam da atenção dos rapazes, eles vão pensar que as outras também gostam.” Carla menciona um ponto semelhante: “Se andar com pessoas que gostam dos comentários ou da atenção que recebem, você também será assediada.”

A Bíblia fala de uma jovem chamada Diná que era amiga das moças de Canaã — mulheres conhecidas por seu comportamento devasso. Por causa disso, ela acabou sendo violentada. (Gênesis 34:1, 2) Portanto, é com boas razões que a Bíblia aconselha: “Mantende estrita vigilância para não andardes como néscios, mas como sábios.” (Efésios 5:15) Se você for ‘estrito’ quanto a como se veste, como fala e com quem tem amizade, poderá se proteger contra o assédio.

Para os jovens cristãos, porém, um dos meios mais eficazes de evitar o assédio é simplesmente informar os outros sobre suas crenças religiosas. O jovem Timon, que é Testemunha de Jeová, lembra: “O pessoal sabia que eu era Testemunha, de modo que quase não era assediado.” Andrea afirma: “Dizer-lhes que você é Testemunha de Jeová faz uma grande diferença. Eles vão saber que, de muitos modos, você é diferente deles e que segue normas estritas de moral.” — Mateus 5:15, 16.

Se você for assediado

Por mais que você tente, não conseguirá evitar totalmente ser assediado por pessoas rudes. Mas se você for vítima de assédio, não é preciso se sentir culpado — desde que tenha se comportado como cristão. (1 Pedro 3:16, 17) Se o problema o deixa emocionalmente perturbado, converse com seus pais ou com pessoas maduras na congregação cristã, que lhe darão apoio. Rosilyn admite que não é fácil se sentir bem consigo mesmo quando se está sendo assediado. “Simplesmente ter companhia”, ela diz, “alguém com quem conversar, é muito bom”. Lembre-se também de que “Jeová está perto de todos os que o invocam”. — Salmo 145:18, 19.

Tomar posição firme contra o assédio não é fácil, mas vale a pena. Veja, por exemplo, o relato bíblico sobre uma jovem de Suném. Embora não tenha sido realmente assediada, conforme entendemos hoje essa expressão, ela de fato foi alvo de propostas indesejadas de Salomão, o rico e poderoso rei de Judá. Visto que estava apaixonada por outro homem, ela resistiu. Por isso, podia dizer sobre si mesma, com orgulho: “Sou uma muralha.” — O Cântico de Salomão 8:4, 10.

Mostre o mesmo caráter e determinação. Quando se confrontar com propostas indesejadas, seja uma “muralha”. Deixe que todos saibam que você é cristão. Fazendo isso, você poderá permanecer ‘inculpe e inocente’ e ter a certeza de que agradou a Deus. — Filipenses 2:15. *

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 27 Nos números de 22 de maio de 1996, 22 de agosto de 1995 e 22 de maio de 1991 de Despertai! encontram-se mais conselhos sobre assédio sexual.

[Foto na página 26]

Deixar que todos saibam de suas crenças cristãs pode servir de proteção

[Foto na página 26]

Para evitar o assédio, cuidado com o tipo de pessoas com quem você anda