Pular para conteúdo

Pular para sumário

Observando o Mundo

Observando o Mundo

 Observando o Mundo

Beleza destrutiva

O aguapé é uma planta aquática que produz lindas flores púrpura. Introduzida há algumas décadas no lago Vitória, na África, o aguapé proliferou tão rápido que hoje cobre 2.000 quilômetros quadrados da superfície do lago, atrapalhando a vital indústria da pesca que alimenta milhões de pessoas nos países fronteiriços do Quênia, da Tanzânia e de Uganda. Ele já causou graves problemas nas usinas hidrelétricas e centrais de tratamento de água em Uganda, entupindo os encanamentos da rede de água. Ele também fornece um ambiente ideal para o crescimento de mosquitos, caramujos e cobras, resultando num aumento no número de picadas de cobra e nos casos de malária e de esquistossomose (bilharziose). Foram trazidos gorgulhos que se alimentam exclusivamente de aguapé, mas até agora eles não conseguiram dar conta do crescimento explosivo da planta. Pescadores o tem removido à mão, colhendo milhares de toneladas. Mas isso é só uma solução temporária. O Banco Mundial está envolvido num projeto de muitos milhões de dólares para limpar o lago.

Fóssil emplumado pode ser uma fraude

Um fóssil encontrado na província de Liaoning, na China, foi descrito pela revista National Geographic como “um verdadeiro elo perdido na corrente complexa que liga os dinossauros às aves”. Afirmou-se que o fóssil, chamado Archaeoraptor liaoningensis, tinha cauda de dinossauro e peito e ombros de ave. Agora, porém, os cientistas estão cada vez mais convencidos de que “foram enganados por uma pequena falsificação fóssil”, diz a revista Science News. Paleontologistas que examinaram o fóssil começaram a suspeitar quando notaram que os ossos que ligam a cauda ao corpo estavam faltando e que a placa rochosa apresentava sinais de ter sido alterada. Philip Currie, do Museu Real de Paleontologia Tyrrell, em Drumheller, Alberta, Canadá, suspeita que alguém “tenha tentado aumentar o valor do Archaeoraptor colando um pedaço de cauda de dinossauro num fóssil de ave”, diz a notícia.

Pistoleiros submarinos

Parece um filme de bangue-bangue: os oponentes se enfrentam com as armas carregadas e engatilhadas. Depois que o primeiro dispara e recua, o outro mira e dispara. Quando os camarões-pistoleiros lutam, porém, ninguém se machuca, porque eles sempre se mantêm a uma distância segura um do outro. Mas conforme noticiado na revista Der Spiegel, os jatos de água que espirram de sua garra direita nem sempre são inofensivos. A pistola de água é também usada para atordoar e matar presas, como vermes, caranguejos e peixinhos. O jato de água, produzido pelo fechamento rápido e vigoroso da garra, é forte o suficiente até para quebrar a parede de vidro de um aquário. Se perde a arma, o camarão-pistoleiro se torna canhoto — a garra esquerda vira uma nova pistola enquanto a direita cresce de novo e se transforma numa garra comum.

Entronizado o buda vivo

“Autoridades chinesas presidiram a entronização de um menino de dois anos como um importante ‘buda vivo’ da religião tibetana”, noticia The New York Times. Soinam Puncog foi escolhido entre 670 meninos como o sétimo Reting Lama. Diz-se que, para escolher o lama, os monges usaram adivinhação. “Mas resta ver se a maioria do povo e dos monges tibetanos aceitará o menino como autêntico”, diz o jornal. Por quê? Porque o Dalai Lama, o maior líder religioso do Tibete, já havia anunciado o Reting Lama de sua escolha. No passado, os Reting Lamas serviam como regentes quando o Dalai Lama estava ausente.

Ídolos poluidores

Entre os hindus, é costume imergir ídolos no rio ou lago mais próximo depois de um feriado cerimonial. Isso não causava problemas ambientais quando os ídolos eram pintados com corantes feitos de flores ou de vegetais. Mas desde que os fabricantes passaram a usar tintas com metais pesados e carcinógenos, o problema da poluição da água começou a ficar sério em algumas regiões da Índia, pois milhares de ídolos são mergulhados nos rios e lagos. Para diminuir a poluição,  os moradores de uma cidade juntaram centenas de ídolos, levaram-nos para um terreno grande e os espatifaram. A revista Down to Earth sugere que isso seja feito em toda a Índia e que os fabricantes de ídolos voltem a usar os corantes tradicionais em vez de tintas sintéticas. “Se isso não for feito”, diz a revista, “os rios adorados pelos hindus talvez fiquem envenenados pelos ídolos que eles adoram”.

Pesquisa mundial sobre os jovens

Uma pesquisa com mais de 4.300 jovens entre 12 e 24 anos revela que os jovens de hoje prezam valores tradicionais, como confiabilidade, cortesia e trabalho árduo, noticia o jornal The Globe and Mail. Segundo o Grupo Angus Reid, que entrevistou jovens de 11 países, 95% disseram que o valor mais importante é ‘manter a palavra’. “Mostrar cortesia” foi indicado por 92% dos jovens como a segunda coisa mais importante e “trabalho árduo” foi considerado muito importante por 83% dos entrevistados. Embora “quase 8 em cada 10 jovens achem importante ter um parceiro por toda a vida”, apenas 56% acham importante se casar. Surpreendentemente, apenas 31% acham que “ser bem rico” é um valor importante. A pesquisa indicou também que apenas 45% “estão otimistas com o século 21”.

Fatos sobre a Internet

A Rede Mundial de computadores conecta milhões de máquinas em todo o planeta. Para descobrir sua extensão, Inktomi, um desenvolvedor de programas para a Internet, gastou quatro meses examinando e catalogando a Rede. O que descobriu? O número de páginas individuais chegou a mais de um bilhão! Entre os idiomas usados na Internet, o mais comum é o inglês, usado em mais de 86% das vezes. O francês aparece em pouco mais de 2% dos documentos na Rede e o holandês, em 0,5% dos documentos.

Remédio tóxico?

Erros médicos matam de 44.000 a 98.000 norte-americanos por ano, informa o Instituto de Medicina, dos EUA. Dizem que o problema se deve a falhas no modo de operação de hospitais, clínicas e farmácias. Por exemplo, muitas vezes o farmacêutico que manipula a receita não entende a péssima caligrafia do médico. Ele prescreveu 10 miligramas ou 10 microgramas? O que agrava o problema é que muitos remédios têm nomes parecidos, o que causa confusão entre médicos, enfermeiras, farmacêuticos e pacientes. O Instituto de Medicina exigiu uma redução de 50% nos erros médicos nos próximos cinco anos.

A Internet e os idosos

O correio eletrônico tem beneficiado idosos que moram em asilos. “Especialistas dizem que moradores de casas de repouso, até os mais frágeis, logo pegam gosto pelo computador e ganham novo ânimo na vida usando o e-mail e a Internet”, diz The New York Times. “Aqueles que aprendem a dominar a tecnologia ganham confiança que se reflete em outros aspectos da sua vida e muitos se orgulham de ajudar a ensinar seus colegas.” Além de permitir que os idosos entrem em contato com familiares que moram longe, com pessoal da área de saúde e com velhos amigos, o e-mail também ajuda muito a superar o desespero, o tédio e a solidão que afligem os confinados a casas de repouso e a cadeiras de rodas devido a doenças ou à idade avançada. O moral deles melhora e diminui a depressão. Alguns idosos até participam em programas educativos on-line, o que lhes permite passar para gerações futuras o conhecimento e a sabedoria que acumularam. Mas é preciso fazer algumas adaptações. Isso inclui teclados mais fáceis de usar e recursos para aumentar o tamanho das letras.

Escassez de alimento causada pelo homem

“Desastres causados pelo homem, como guerras civis e crises econômicas, contribuem mais para a escassez de alimentos do que catástrofes naturais”, noticia a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO). O Dr. Hartwig de Haen, diretor-geral assistente da FAO, disse: “Em 1984, os desastres causados pelo homem somavam apenas cerca de 10% das catástrofes. Hoje, são responsáveis por mais de 50%.” Calcula-se que 52 milhões de pessoas em 35 países sofram com a escassez de alimentos. A notícia acrescentou: “Esse é o maior número de pessoas a enfrentar grave escassez de alimentos desde que uma seca atingiu a África sub-saariana em 1984.”