Pular para conteúdo

Pular para sumário

Ter filhos é prova de que você é homem?

Ter filhos é prova de que você é homem?

 Os Jovens Perguntam . . .

Ter filhos é prova de que você é homem?

“Conheço muitos [rapazes] que dizem: ‘Tenho uma filha aqui e um filho em outro lugar.’ E pela maneira como falam, não estão nem aí para as responsabilidades.” — Harold.

TODO ano, quase um milhão de adolescentes ficam grávidas nos Estados Unidos. A grande maioria delas se tornam mães solteiras. Dessas, 1 em cada 4 acaba engravidando de novo dentro de dois anos. A revista Atlantic Monthly diz: “Se as coisas continuarem como estão, menos da metade das crianças nascidas hoje passará a infância morando com o pai e com a mãe. A maioria das crianças americanas passará anos num lar sem pai.”

Embora os Estados Unidos tenham um índice bem maior de gravidez de adolescentes em comparação com outras nações desenvolvidas, o problema de nascimentos fora do casamento é um fenômeno global. Neste respeito, países europeus como a Inglaterra e a França apresentam índices comparáveis ao dos Estados Unidos. Em alguns países africanos e sul-americanos, o número de adolescentes que dão à luz é quase o dobro do número dos Estados Unidos. O que é responsável por essa epidemia?

O que há por trás da epidemia

Em grande parte, a situação reflete a degradação moral dos “tempos críticos” em que vivemos. (2 Timóteo 3:1-5) Em décadas recentes o índice de divórcios aumentou vertiginosamente. O estilo de vida homossexual e outros estilos de vida alternativos se tornaram comuns. Os jovens são alvo de uma enxurrada de propaganda da mídia, que apresenta música e vídeos musicais sugestivos, artigos e anúncios sensacionalistas, programas de TV e filmes que glorificam o sexo casual. O fácil acesso ao aborto (em alguns países) e a métodos contraceptivos também contribui para a crença prevalecente entre jovens de que o sexo não acarreta conseqüências. Certo pai solteiro diz: “Quero sexo sem responsabilidade.” “Sexo é diversão”, diz outro.

Tais atitudes podem ser especialmente comuns entre jovens pobres. O pesquisador Elijah Anderson entrevistou vários jovens de bairros pobres e disse: “Para muitos rapazes, o sexo é um importante símbolo de status social na localidade; as conquistas sexuais valem pontos.” De fato, um pai solteiro disse a  Despertai! que as conquistas sexuais são encaradas por muitos como “troféus a serem exibidos”. O que é responsável por tal atitude insensível? Anderson explica que em muitos casos as pessoas mais importantes na vida de um jovem de bairro pobre “são os membros de seu grupo. Eles estabelecem as normas de conduta, e é importante para o jovem satisfazer essas normas”.

Anderson mostra, assim, que para muitos rapazes, a conquista sexual não passa de um jogo “cujo objetivo é enganar o outro, especialmente a moça”. Ele acrescenta que o “jogo consiste em usar todas as armas de sedução, incluindo roupa, modo de se arrumar, aparência, saber dançar e conversar”. Muitos rapazes são peritos em ganhar nesse “jogo”. Mas Anderson comenta: “Quando a moça fica grávida, o rapaz geralmente se afasta dela.” — Young Unwed Fathers—Changing Roles and Emerging Policies (Jovens Pais Solteiros — Papéis Mudados e Novas Diretrizes), editado por Robert Lerman e Theodora Ooms.

O conceito de Deus

Mas será que ser pai torna alguém mais homem? O sexo é apenas um jogo? Não, de acordo com o nosso Criador, Jeová Deus. Em sua Palavra, a Bíblia, Deus torna claro que o sexo tem um objetivo nobre. Depois de falar sobre a criação do primeiro homem e da primeira mulher, a Bíblia diz: “Deus os abençoou e Deus lhes disse: ‘Sede fecundos e tornai-vos muitos, e enchei a terra.’” (Gênesis 1:27, 28) Nunca foi do propósito de Deus que os filhos fossem abandonados pelo pai. Ele uniu o primeiro homem e a primeira mulher em permanente vínculo matrimonial. (Gênesis 2:24) Assim, era do seu propósito que toda criança tivesse pai e mãe.

Mas não demorou muito para os homens começarem a ter várias esposas. (Gênesis 4:19) Gênesis 6:2 diz que até mesmo algumas criaturas angélicas “começaram a notar as filhas dos homens, que elas eram bem-parecidas”. Após se materializarem como humanos, esses anjos “foram tomar para si esposas”, tomando cobiçosamente “todas as que escolheram”. O Dilúvio dos tempos de Noé obrigou esses demônios a voltar ao domínio espiritual. Mas a Bíblia diz que eles agora estão confinados à vizinhança da Terra. (Revelação [Apocalipse] 12:9-12) Satanás e seus demônios exercem assim uma poderosíssima influência sobre as pessoas hoje. (Efésios 2:2) Rapazes estão, sem saber, cedendo a essa influência maligna ao se tornarem pais de filhos que eles não querem nem amam.

Assim, a Bíblia está coberta de razão ao declarar: “Isto é o que Deus quer, a vossa santificação, que vos abstenhais de fornicação; que cada um de vós saiba obter posse do seu próprio vaso em santificação e honra, não em cobiçoso apetite sexual, tal como também têm as nações que não conhecem a Deus; que ninguém vá ao ponto de prejudicar e de usurpar os direitos de seu irmão neste assunto, pois Jeová é quem exige punição por todas estas coisas.” — 1 Tessalonicenses 4:3-6.

‘Abster-se de fornicação’? Muitos rapazes talvez achem isso ridículo. Afinal, são jovens e seus impulsos são fortes! Mas note que a fornicação envolve ‘prejudicar e usurpar os direitos’ de outros. Não acha que a moça é prejudicada quando é deixada com uma criança sem ter o apoio de um marido? Isso sem falar dos riscos de contaminá-la com uma doença sexualmente transmissível, como herpes genital, sífilis, gonorréia ou Aids. É verdade que às vezes é possível evitar tais conseqüências. Mesmo assim, o sexo antes do casamento não deixa de usurpar o direito de uma moça de preservar sua boa reputação e casar-se virgem. Assim, faz muito sentido abster-se de fornicação e é uma prova de maturidade. É verdade que requer autocontrole e determinação ‘obter posse do seu próprio vaso’ e abster-se do sexo antes do casamento. Mas, assim como Isaías 48:17, 18 nos diz, Deus ‘nos ensina a tirar proveito’ por meio de Suas leis.

 “Procedei como homens”

Então como pode o jovem provar que é um homem de verdade? Com certeza não é tendo filhos ilegítimos. A Bíblia exorta: “Ficai despertos, mantende-vos firmes na fé, procedei como homens, tornai-vos poderosos. Que todos os vossos assuntos se realizem com amor.” — 1 Coríntios 16:13, 14.

Note que ‘proceder como homem’ envolve ser vigilante, firme na fé, corajoso e amoroso. Naturalmente, esses princípios se aplicam com a mesma força a homens e a mulheres. Mas se você desenvolver qualidades espirituais como essas, as pessoas terão bons motivos para respeitar e admirar você como um homem de verdade! Aprenda do maior homem que já viveu — Jesus Cristo. Pense só no seu comportamento varonil e corajoso quando se viu diante da tortura e até mesmo da morte. Mas como Jesus se comportava com pessoas do sexo oposto?

Certamente Jesus teve oportunidade de estar na companhia de mulheres. Ele tinha muitas seguidoras, algumas das quais “ministravam [a ele e aos apóstolos] de seus bens”. (Lucas 8:3) Ele era especialmente achegado às duas irmãs de Lázaro. De fato, a Bíblia diz que ‘Jesus amava a Marta e a sua irmã’. (João 11:5) Será que Jesus usou sua inteligência, seu jeito cativante ou sua boa aparência (de que sem dúvida era dotado por ser homem perfeito) para seduzir essas mulheres? Muito pelo contrário, a Bíblia diz que Jesus “não cometeu pecado”. (1 Pedro 2:22) Ele não se comportou de maneira imprópria mesmo quando uma mulher reconhecida publicamente como pecadora, talvez uma prostituta, ‘chorou e principiou a molhar-lhe os pés com suas lágrimas, e enxugou-os com os cabelos’. (Lucas 7:37, 38) Jesus sequer cogitou aproveitar-se dessa mulher vulnerável! Ele demonstrou controle sobre seus sentimentos — o que mostra que era um homem de verdade. Ele tratava as mulheres como indivíduos que mereciam amor e respeito, não como objetos sexuais.

Se você for um jovem cristão, seguir o exemplo de Cristo — e não de alguns de seus colegas — o impedirá de ‘prejudicar e usurpar os direitos’ de outra pessoa. Também o protegerá da triste conseqüência de ser pai de um filho ilegítimo. É verdade que outros talvez caçoem de você por se abster de fornicação. Mas a longo prazo, ganhar o favor de Deus o beneficiará muito mais do que ganhar o favor temporário dos colegas. — Provérbios 27:11.

Mas e se um jovem levou uma vida imoral no passado, porém abandonou esse proceder e se arrependeu de verdade? Se assim for, como no caso do Rei Davi, que também cometeu imoralidade mas depois se arrependeu, poderá ter certeza do perdão de Deus. (2 Samuel 11:2-5; 12:13; Salmo 51:1, 2) Mas se isso resultou em engravidar uma moça, o jovem ainda poderá ter sérias decisões a tomar. Deve casar-se com a moça? Será que ele tem responsabilidade para com a criança? Um artigo futuro abordará essas perguntas.

[Fotos na página 15]

Muitos jovens se iludem achando que o sexo não acarreta conseqüências