Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO 40

Uma lição sobre perdoar

Uma lição sobre perdoar

LUCAS 7:36-50

  • UMA MULHER PECADORA DERRAMA ÓLEO NOS PÉS DE JESUS

  • ILUSTRAÇÃO SOBRE DÍVIDAS PARA EXPLICAR O PERDÃO

As pessoas reagem de modo diferente ao que Jesus diz e faz, dependendo da condição do coração delas. E isso fica claro numa casa na Galileia. Um fariseu chamado Simão convida Jesus para tomar uma refeição, talvez para conhecer melhor aquele que realiza obras impressionantes. Percebendo que isso pode ser uma oportunidade para ensinar os que estarão presentes, Jesus aceita o convite, assim como aceitou comer com cobradores de impostos e pecadores em outras ocasiões.

Mas Jesus não recebe a cordial atenção que geralmente é dada aos convidados. Nas estradas poeirentas da Palestina, quem calçasse sandálias ficava com os pés quentes e sujos. Assim, era costume demonstrar hospitalidade por lavar os pés do convidado com água fresca e lhe dar um beijo de boas-vindas. No entanto, Jesus não recebe essa atenção. Também se costuma derramar óleo no cabelo de um convidado para demonstrar bondade e hospitalidade, mas não fazem isso com Jesus. Então será que ele é bem recebido?

A refeição começa, e os convidados estão recostados à mesa. Enquanto comem, uma mulher que não foi convidada entra na sala discretamente. Ela é “conhecida na cidade como pecadora”. (Lucas 7:37) Todos os humanos imperfeitos são pecadores, mas parece que essa mulher leva uma vida imoral, talvez como prostituta. Pode ser que ela ouviu falar sobre os ensinamentos de Jesus, inclusive sobre seu convite para que ‘todos que estão sobrecarregados venham até ele para ser reanimados’. (Mateus 11:28, 29) É provável que as palavras e as obras de Jesus a motivaram a procurá-lo.

Ela chega por trás de Jesus na mesa e se ajoelha aos seus pés. Suas lágrimas caem sobre os pés dele, e ela os enxuga com o próprio cabelo. Então beija ternamente os seus pés e derrama neles um pouco do óleo perfumado que trouxe. Simão observa com desaprovação e diz a si mesmo: “Se este homem realmente fosse um profeta, saberia quem o está tocando e que tipo de mulher ela é, que ela é pecadora.” — Lucas 7:39.

Percebendo o que Simão está pensando, Jesus diz: “Simão, tenho algo para lhe dizer.” Ele responde: “Diga, Instrutor!” Jesus continua: “Dois homens eram devedores de certo credor: um devia 500 denários, mas o outro 50. Como não tinham nada com que lhe pagar, ele perdoou liberalmente a ambos. Portanto, qual deles o amará mais?” Talvez com indiferença, Simão responde: “Suponho que seja aquele a quem ele perdoou mais.” — Lucas 7:40-43.

Jesus concorda, então diz a Simão: “Está vendo esta mulher? Entrei na sua casa e você não me deu água para os pés. Mas esta mulher molhou os meus pés com as suas lágrimas e os enxugou com os seus cabelos. Você não me deu nenhum beijo, mas esta mulher, desde a hora em que entrei, não parou de beijar ternamente os meus pés. Você não derramou óleo na minha cabeça, mas esta mulher derramou óleo perfumado nos meus pés.” Jesus percebe que a mulher está sinceramente arrependida de sua vida imoral. Assim, ele conclui: “Os pecados dela, embora sejam muitos, estão perdoados, porque ela amou muito. Mas aquele a quem se perdoa pouco, ama pouco.” — Lucas 7:44-47.

Jesus não está justificando a imoralidade. Está mostrando que a compaixão faz com que ele entenda os que cometem pecados graves, mas que demonstram que estão arrependidos e vão até Cristo em busca de alívio. E a mulher fica aliviada quando Jesus diz: “Seus pecados estão perdoados. . . . Sua fé salvou você. Vá em paz.” — Lucas 7:48, 50.