Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Português

Jesus — o Caminho, a Verdade e a Vida

 CAPÍTULO 99

Jesus cura dois cegos e ajuda Zaqueu

Jesus cura dois cegos e ajuda Zaqueu

MATEUS 20:29-34 MARCOS 10:46-52 LUCAS 18:35–19:10

  • JESUS CURA DOIS CEGOS EM JERICÓ

  • ZAQUEU, UM COBRADOR DE IMPOSTOS, SE ARREPENDE

Jesus e os que viajam com ele chegam a Jericó, que está a um dia de distância de Jerusalém. Jericó é formada por duas partes: a cidade antiga está a quase dois quilômetros da cidade nova, a qual foi construída durante a época romana. Enquanto Jesus e a multidão saem de uma dessas cidades e se aproximam da outra, dois mendigos cegos ouvem a agitação. O nome de um deles é Bartimeu.

Ao ouvirem que Jesus está passando por ali, Bartimeu e seu amigo começam a gritar: “Senhor, Filho de Davi, tenha misericórdia de nós!” (Mateus 20:30) Alguns na multidão mandam que eles fiquem quietos, mas os dois gritam ainda mais alto. Ouvindo a agitação, Jesus para e pede aos que o acompanham que chamem os homens que estão gritando. Eles vão até os mendigos e dizem a um deles: “Coragem! Levante-se, ele está chamando você.” (Marcos 10:49) Animado, o homem cego tira sua capa, levanta-se e vai até Jesus.

Jesus pergunta: “O que vocês querem que eu faça por vocês?” Os dois cegos suplicam: “Senhor, faça com que nossos olhos se abram.” (Mateus 20:32, 33) Movido por compaixão, Jesus toca nos olhos deles e diz especialmente a um deles: “Vá, sua fé fez você ficar bom.” (Marcos 10:52) Os dois mendigos cegos passam a enxergar e, sem dúvida, começam a glorificar a Deus. Vendo o que aconteceu, as pessoas também dão glória a Deus. Os homens que agora conseguem enxergar começam a seguir Jesus.

Enquanto Jesus passa por Jericó, há uma grande multidão em volta dele. Todos querem ver aquele que curou os cegos. As pessoas se aglomeram em volta de Jesus, e alguns nem conseguem vê-lo, como é o caso de Zaqueu. Ele é chefe dos cobradores de impostos da região de Jericó. Por ser baixo, não consegue ver o que está acontecendo. Então corre na frente e sobe num sicômoro (ou figueira-brava) que está no caminho em que Jesus está passando. Lá de cima, ele tem uma boa visão de tudo. Quando Jesus se aproxima e vê Zaqueu em cima da árvore, ele diz: “Zaqueu, desça depressa, pois hoje tenho de ficar na sua casa.” (Lucas 19:5) Ele desce e corre para dar boas-vindas ao seu ilustre visitante.

Quando as pessoas veem o que está acontecendo, começam a resmungar. Acham que não está certo Jesus ser hóspede de um homem que elas consideram pecador. Zaqueu ficou rico por ser desonesto e extorquir dinheiro ao cobrar impostos.

Quando Jesus entra na casa de Zaqueu, as pessoas reclamam: “Ele foi se hospedar na casa de um homem que é pecador.” No entanto, Jesus vê que Zaqueu pode se arrepender. E ele não fica desapontado. Zaqueu se levanta e lhe diz: “Senhor, escute, vou dar aos pobres a metade dos meus bens e, o que quer que eu tenha extorquido de alguém, vou restituir quatro vezes mais.” — Lucas 19:7, 8.

Essa é uma excelente maneira de Zaqueu provar que está sinceramente arrependido. É provável que ele consiga calcular, com base nos seus registros fiscais, quanto recebeu dos judeus e promete restituir quatro vezes mais. Isso é mais do que a Lei de Deus exige. (Êxodo 22:1; Levítico 6:2-5) Além disso, Zaqueu promete dar metade dos seus bens aos pobres.

Jesus está contente por Zaqueu demonstrar que está arrependido e diz: “Hoje entrou a salvação nesta casa, porque ele também é filho de Abraão. Pois o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido.” — Lucas 19:9, 10.

Há pouco tempo, Jesus falou sobre a situação dos que estão ‘perdidos’, usando a ilustração do filho pródigo. (Lucas 15:11-24) Agora ele usa um exemplo da vida real, de alguém que estava perdido e foi encontrado. Os líderes religiosos e seus seguidores talvez reclamem de Jesus e o critiquem por dar atenção a pessoas como Zaqueu. Mas Jesus continua a procurar e restaurar os filhos perdidos de Abraão.