Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Português

Bíblia on-line | TRADUÇÃO DO NOVO MUNDO DA BÍBLIA SAGRADA (REVISÃO DE 2015)

Daniel 2:1-49

CONTEÚDO DO LIVRO

  • O rei Nabucodonosor tem um sonho perturbador (1-4)

  • Nenhum sábio é capaz de interpretar o sonho (5-13)

  • Daniel procura a ajuda de Deus (14-18)

  • Deus é louvado por ter revelado o segredo (19-23)

  • Daniel revela o sonho ao rei (24-35)

  • Interpretação do sonho (36-45)

    • A pedra do Reino esmigalhará a estátua (44, 45)

  • Daniel é honrado pelo rei (46-49)

2  No segundo ano do seu reinado, Nabucodonosor teve diversos sonhos, e ele* ficou tão agitado+ que não conseguia dormir.  Portanto, o rei mandou convocar os sacerdotes-magos, os adivinhos,* os feiticeiros e os caldeus,* para que dissessem ao rei o que ele havia sonhado. De modo que eles entraram e se apresentaram ao rei.+  O rei lhes disse então: “Tive um sonho, e estou* agitado porque quero saber o que sonhei.”  Os caldeus responderam ao rei na língua aramaica:*+ “Ó rei, viva para sempre! Conte aos seus servos o seu sonho, e nós diremos a interpretação.”  O rei respondeu aos caldeus: “Esta é a minha última palavra: se vocês não me revelarem o sonho e a interpretação dele, serão cortados em pedaços, e as suas casas serão transformadas em latrinas públicas.*  Mas, se me disserem o sonho e a interpretação dele, eu lhes darei presentes, uma recompensa e grande honra.+ Portanto, digam-me o sonho e a interpretação dele.”  Eles voltaram a dizer: “Que o rei conte aos seus servos o sonho, e nós diremos a interpretação dele.”  O rei disse: “Eu sei muito bem que vocês estão tentando ganhar tempo, porque viram que dei minha última palavra sobre o assunto.  Se não me revelarem o sonho, haverá uma única punição para todos vocês. Mas vocês combinaram me dizer uma mentira e me enganar, esperando que a situação mude. Portanto, digam-me o sonho, e saberei que podem explicar a interpretação dele.” 10  Os caldeus responderam ao rei: “Não há homem na terra* que seja capaz de fazer o que o rei está pedindo, pois nenhum grande rei ou governante jamais pediu algo assim de um sacerdote-mago, adivinho ou caldeu. 11  O que o rei está pedindo é difícil, e não existe ninguém que possa revelar isso ao rei, a não ser os deuses, que não moram entre os mortais.”* 12  Ao ouvir isso, o rei ficou extremamente furioso e mandou matar todos os sábios de Babilônia.+ 13  Quando a ordem foi emitida, e os sábios estavam para ser mortos, Daniel e seus companheiros também foram procurados para ser mortos. 14  Então Daniel, com prudência e cautela, falou com Arioque, que era o chefe da guarda pessoal do rei e tinha saído para matar os sábios de Babilônia. 15  Ele perguntou a Arioque, o oficial do rei: “Por que o rei emitiu uma ordem tão severa?” E Arioque informou Daniel sobre o assunto.+ 16  De modo que Daniel se apresentou ao rei e pediu que lhe concedesse tempo para dizer ao rei a interpretação. 17  Depois, Daniel foi para casa e contou a seus companheiros, Hananias, Misael e Azarias, o que tinha acontecido. 18  Ele pediu que orassem para que o Deus do céu mostrasse misericórdia com respeito a esse segredo, de modo que Daniel e seus companheiros não fossem destruídos junto com os outros sábios de Babilônia. 19  Então o segredo foi revelado a Daniel numa visão, à noite.+ Por isso, Daniel louvou ao Deus do céu. 20  Daniel disse: “Que o nome de Deus seja louvado por toda a eternidade,* Pois somente ele tem sabedoria e poder.+ 21  Ele muda tempos e épocas,+ Remove reis e estabelece reis,+ Dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos que têm discernimento.+ 22  Ele revela as coisas profundas e as coisas escondidas,+ Sabe o que há na escuridão,+ E com ele mora a luz.+ 23  A ti, ó Deus dos meus antepassados, dou graças e louvor, Porque me deste sabedoria e poder. E agora me revelaste o que te pedimos; Tu nos revelaste o assunto que preocupa o rei.”+ 24  Então Daniel procurou Arioque, a quem o rei havia designado para destruir os sábios de Babilônia,+ e lhe disse: “Não destrua nenhum dos sábios de Babilônia. Leve-me perante o rei, e eu direi ao rei a interpretação.” 25  Arioque levou Daniel depressa à presença do rei e lhe disse: “Achei um homem entre os exilados de Judá+ que pode revelar a interpretação ao rei.” 26  O rei perguntou a Daniel, que havia recebido o nome de Beltessazar:+ “Você pode realmente me revelar o sonho que tive e a interpretação dele?”+ 27  Daniel respondeu ao rei: “Nenhum sábio, adivinho, sacerdote-mago ou astrólogo é capaz de revelar ao rei o segredo que ele quer saber.+ 28  Mas há nos céus um Deus que revela segredos,+ e ele revelou ao rei Nabucodonosor o que acontecerá na parte final dos dias. Este é o sonho e estas são as visões que passaram por sua mente, enquanto estava deitado na sua cama: 29  “Quando o senhor, ó rei, estava na sua cama, os seus pensamentos se voltaram para o que acontecerá no futuro, e Aquele que revela segredos lhe revelou o que vai acontecer. 30  Esse segredo me foi revelado, não porque eu tenha mais sabedoria do que qualquer outra pessoa; na verdade, foi para se revelar a interpretação ao rei, de modo que o senhor possa entender os pensamentos do seu coração.+ 31  “Ó rei, enquanto o senhor estava observando, apareceu uma enorme estátua.* Essa estátua imensa e extremamente brilhante estava na sua frente, e sua aparência era amedrontadora. 32  A cabeça da estátua era de ouro puro,+ o peito e os braços eram de prata,+ o abdômen e as coxas eram de cobre,+ 33  as pernas eram de ferro+ e os pés eram parcialmente de ferro e parcialmente de argila.*+ 34  Enquanto o senhor estava olhando, uma pedra foi cortada de um monte, não por mãos, e atingiu os pés da estátua, que eram de ferro e de argila, e os esmigalhou.+ 35  Então o ferro, a argila, o cobre, a prata e o ouro foram esmigalhados de uma vez só, e ficaram como a palha* que voa da eira no verão; o vento os levou embora, de modo que não se podia achar nenhum vestígio deles. Mas a pedra que atingiu a estátua se tornou um grande monte e cobriu a terra inteira. 36  “Esse é o sonho, e agora nós diremos ao rei a sua interpretação. 37  O senhor, ó rei — rei de reis, a quem o Deus do céu deu o reino,+ o poder, a força e a glória, 38  em cuja mão ele entregou os homens, onde quer que eles morem, e também os animais selvagens e as aves dos céus, e a quem ele fez governante sobre todos eles+ —, o senhor mesmo é a cabeça de ouro.+ 39  “Mas depois do senhor surgirá outro reino,+ inferior ao senhor; e depois outro reino, um terceiro, de cobre, que dominará a terra inteira.+ 40  “Quanto ao quarto reino, será forte como o ferro.+ Pois, assim como o ferro esmaga e tritura tudo o mais, como o ferro que despedaça, ele esmagará e despedaçará a todos esses.+ 41  “E, assim como o senhor viu que os pés e os dedos dos pés eram parcialmente de argila de oleiro e parcialmente de ferro, o reino estará dividido; porém, haverá nele um pouco da dureza do ferro, assim como o senhor viu o ferro misturado com argila mole. 42  E, assim como os dedos dos pés eram parcialmente de ferro e parcialmente de argila, o reino será parcialmente forte e parcialmente frágil. 43  Assim como o senhor viu o ferro misturado com a argila mole, eles* estarão misturados com o povo;* mas não se aderirão um ao outro, do mesmo modo como o ferro não se mistura com a argila. 44  “Nos dias desses reis, o Deus do céu estabelecerá um reino+ que jamais será destruído.+ E esse reino não passará para as mãos de nenhum outro povo.+ Vai esmigalhar e pôr um fim a todos esses reinos,+ e somente ele permanecerá para sempre,+ 45  assim como o senhor viu que uma pedra foi cortada do monte, não por mãos, e que ela esmigalhou o ferro, o cobre, a argila, a prata e o ouro.+ O Grandioso Deus revelou ao rei o que acontecerá no futuro.+ O sonho é verdadeiro, e a sua interpretação é digna de confiança.” 46  Então o rei Nabucodonosor se prostrou com o rosto por terra diante de Daniel e lhe prestou homenagem. E mandou que se oferecesse a ele um presente e incenso. 47  O rei disse a Daniel: “Realmente, o Deus de vocês é Deus de deuses, Senhor de reis e Revelador de segredos, porque você conseguiu revelar esse segredo.”+ 48  Assim, o rei enalteceu Daniel e lhe deu muitos presentes valiosos, e o fez governante de toda a província* de Babilônia+ e superintendente principal de todos os sábios de Babilônia. 49  E, a pedido de Daniel, o rei encarregou Sadraque, Mesaque e Abednego+ da administração da província de Babilônia, mas Daniel servia na corte do rei.

Notas

Lit.: “seu espírito”.
Ou: “encantadores”.
Isto é, uma seita de pessoas que se consideravam peritas em adivinhação e astrologia.
Lit.: “meu espírito está”.
Daniel 2:4b até 7:28 foi originalmente escrito em aramaico.
Ou, possivelmente: “depósitos de lixo; montes de esterco”.
Ou: “terra seca”.
Lit.: “com a carne”.
Ou: “de eternidade a eternidade”.
Ou: “imagem”.
Ou: “argila cozida (modelada)”.
Ou: “pragana”.
Aparentemente se refere ao que é representado pelo ferro.
Ou: “a descendência da humanidade”, isto é, o povo comum.
Ou: “todo o distrito jurisdicional”.