Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Pular para sumário

Testemunhas de Jeová

Português

Bíblia on-line | TRADUÇÃO DO NOVO MUNDO DA BÍBLIA SAGRADA (REVISÃO DE 2015)

Atos dos Apóstolos 19:1-41

CONTEÚDO DO LIVRO

  • Paulo em Éfeso; alguns são batizados novamente (1-7)

  • Atividades de ensino de Paulo (8-10)

  • Bons resultados apesar do demonismo (11-20)

  • Tumulto em Éfeso (21-41)

19  Enquanto Apolo+ estava em Corinto, Paulo passou pelas regiões do interior e desceu a Éfeso.+ Ele encontrou ali alguns discípulos  e lhes perguntou: “Vocês receberam espírito santo quando se tornaram crentes?”+ Eles responderam: “Nós nunca ouvimos falar que há um espírito santo.”  Ele perguntou: “Então, em que vocês foram batizados?” Eles responderam: “No batismo de João.”+  Paulo disse: “O batismo de João era o batismo em símbolo de arrependimento;+ ele dizia às pessoas que cressem naquele que viria depois dele,+ isto é, em Jesus.”  Depois de ouvirem isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus.  E, quando Paulo lhes impôs as mãos, o espírito santo veio sobre eles,+ e eles começaram a falar em línguas e a profetizar.+  Ao todo, havia cerca de 12 homens.  Por três meses, ele foi à sinagoga+ e falou com coragem, proferindo discursos e raciocinando de forma persuasiva a respeito do Reino de Deus.+  Mas, visto que alguns se recusavam obstinadamente a crer* e falavam mal do Caminho+ diante da multidão, ele os deixou+ e separou deles os discípulos; e diariamente proferia discursos no auditório da escola de Tirano. 10  Isso aconteceu por dois anos, até que todos os que moravam na província da Ásia, tanto judeus como gregos, ouviram a palavra do Senhor. 11  Deus realizava extraordinárias obras poderosas pelas mãos de Paulo,+ 12  de modo que até mesmo panos e aventais que haviam tocado o seu corpo eram levados aos doentes,+ e as doenças desapareciam e os espíritos maus saíam.+ 13  Mas alguns judeus que viajavam de um lugar a outro expulsando demônios também tentaram invocar o nome do Senhor Jesus sobre aqueles que tinham espíritos maus; diziam: “Eu lhes ordeno solenemente por Jesus, a quem Paulo prega, que saiam.”+ 14  Sete filhos de um dos principais sacerdotes judeus, chamado Ceva, faziam isso. 15  Mas o espírito mau lhes disse, em resposta: “Eu conheço Jesus+ e sei quem é Paulo.+ Mas quem são vocês?” 16  Assim, o homem que tinha o espírito mau pulou sobre eles, dominou um após outro e prevaleceu sobre eles, de modo que fugiram daquela casa nus e feridos. 17  Isso chegou ao conhecimento de todos, tanto dos judeus como dos gregos que moravam em Éfeso; e todos eles ficaram com medo, e o nome do Senhor Jesus continuou a ser magnificado. 18  Muitos dos que tinham se tornado crentes vinham para confessar e declarar abertamente as suas práticas. 19  Na verdade, um bom número dos que haviam praticado artes mágicas juntaram seus livros e os queimaram diante de todos.+ Ao calcularem o valor deles, viram que valiam 50.000 moedas de prata. 20  Assim, de modo poderoso, a palavra de Jeová* crescia e prevalecia.+ 21  Depois de tudo isso ter acontecido, Paulo decidiu* que, após passar pela Macedônia+ e pela Acaia, viajaria para Jerusalém.+ Ele disse: “Depois de ir para lá, tenho de ir também a Roma.”+ 22  Assim, enviou à Macedônia dois de seus ajudantes, Timóteo+ e Erasto,+ mas ele mesmo continuou ainda algum tempo na província da Ásia. 23  Naquela época, houve um grande tumulto+ por causa do Caminho.+ 24  Um homem chamado Demétrio, um prateiro que fabricava miniaturas de prata do santuário de Ártemis, dava muito lucro aos artífices.+ 25  Ele os reuniu, juntamente com outros que faziam o mesmo tipo de trabalho, e disse: “Homens, vocês sabem muito bem que a nossa prosperidade vem deste negócio. 26  Agora vocês estão vendo e ouvindo que, não somente em Éfeso,+ mas em quase toda a província da Ásia, esse tal de Paulo persuadiu uma multidão considerável e os fez mudar de opinião, dizendo que os deuses feitos por mãos humanas não são deuses de verdade.+ 27  Além disso, não somente há o perigo de que o nosso negócio caia em descrédito, mas também de que o templo da grande deusa Ártemis passe a ser considerado sem valor, e de que aquela que é adorada em toda a província da Ásia e na terra habitada seja destituída de seu esplendor.” 28  Ao ouvirem isso, os homens ficaram furiosos e começaram a gritar: “Grande é a Ártemis dos efésios!” 29  Então a confusão se espalhou pela cidade, e todos entraram correndo no teatro, arrastando junto os macedônios Gaio e Aristarco,+ companheiros de viagem de Paulo. 30  Paulo queria entrar e se apresentar ao povo, mas os discípulos não permitiram que ele fizesse isso. 31  Mesmo alguns dos organizadores de festividades e jogos,* que lhe eram amigáveis, lhe enviaram uma mensagem, implorando que ele não se arriscasse indo ao teatro. 32  Enquanto isso, a assembleia estava em confusão: alguns gritavam uma coisa, outros gritavam outra, e a maioria deles nem sabia por que tinham se reunido. 33  Então fizeram Alexandre sair do meio da multidão; os judeus o empurraram para a frente. E Alexandre fez sinal com a mão, pois queria fazer a sua defesa diante do povo. 34  Mas, quando perceberam que ele era judeu, todos eles começaram a gritar, numa só voz, por cerca de duas horas: “Grande é a Ártemis dos efésios!” 35  Por fim, depois de acalmar a multidão, o administrador da cidade* disse: “Homens de Éfeso, quem da humanidade não sabe realmente que a cidade dos efésios é a guardiã do templo da grande Ártemis e da imagem que caiu do céu? 36  Visto que essas coisas são indiscutíveis, vocês devem ficar calmos e não agir precipitadamente. 37  Vocês trouxeram esses homens aqui, que não são nem ladrões de templos nem blasfemadores da nossa deusa. 38  Assim, se Demétrio+ e os artífices que estão com ele têm uma queixa contra alguém, há dias nos quais os tribunais se reúnem e há procônsules;* que apresentem suas acusações uns contra os outros. 39  Mas, se vocês estão querendo algo além disso, a questão tem de ser decidida numa assembleia legal. 40  Porque nós realmente corremos o risco de ser acusados de sedição pelo que aconteceu hoje, pois não há nenhum motivo que possamos apresentar para justificar este tumulto.” 41  E, depois de dizer isso, dissolveu a assembleia.

Notas

Ou: “alguns continuavam a se endurecer e a não crer”.
Ou: “decidiu no espírito”.
Ou: “alguns dos asiarcas”.
Ou: “o escrivão”.
Procônsul era o governador romano de uma província. Veja o Glossário.