As Boas Novas Segundo Lucas 23:1-56

23  Assim, toda a multidão se levantou, e o levaram a Pilatos.+  Então começaram a acusá-lo,+ dizendo: “Encontramos este homem subvertendo a nossa nação, proibindo o pagamento de impostos a César+ e dizendo que ele mesmo é Cristo, um rei.”+  Pilatos lhe perguntou então: “Você é o Rei dos judeus?” Em resposta ele disse: “O senhor mesmo está dizendo isso.”+  Pilatos disse então aos principais sacerdotes e à multidão: “Não acho motivo para condenar este homem.”+  Mas eles insistiram, dizendo: “Ele atiça o povo ensinando em toda a Judeia, começando da Galileia até aqui.”  Ao ouvir isso, Pilatos perguntou se o homem era galileu.  Ao saber que ele estava sob a jurisdição de Herodes,+ enviou-o a Herodes, que também estava em Jerusalém naqueles dias.  Quando Herodes viu Jesus, alegrou-se muito. Fazia bastante tempo que queria ver Jesus, porque tinha ouvido falar muito dele,+ e esperava ver algum sinal realizado por ele.  Começou então a lhe fazer muitas perguntas, mas ele não lhe deu nenhuma resposta.+ 10  No entanto, os principais sacerdotes e os escribas se levantavam e o acusavam vigorosamente. 11  Então Herodes, junto com seus soldados, o tratou com desprezo+ e zombou dele,+ vestindo-o com uma roupa esplêndida, e depois o mandou de volta a Pilatos. 12  Naquele mesmo dia, Herodes e Pilatos, que antes eram inimigos, tornaram-se amigos. 13  Pilatos convocou então os principais sacerdotes, os líderes e o povo, 14  e lhes disse: “Vocês me trouxeram este homem como se fosse alguém que incita o povo à revolta. Pois bem, eu o interroguei na frente de vocês, mas não achei neste homem base para as acusações que vocês levantam contra ele.+ 15  De fato, nem Herodes achou, pois o mandou de volta para nós. Como podem ver, ele não fez nada que mereça a morte. 16  Portanto, eu o castigarei+ e o soltarei.” 17  *—— 18  Mas toda a multidão gritou: “Mate este homem* e solte Barrabás!”+ 19  (Esse homem tinha sido lançado na prisão por causa de uma sedição ocorrida na cidade e por assassinato.) 20  Pilatos falou com eles novamente, porque queria soltar Jesus.+ 21  Começaram então a gritar: “Para a estaca com ele! Para a estaca com ele!”*+ 22  Ele lhes disse pela terceira vez: “Por quê? O que este homem fez de mau? Não achei nele nada que mereça a morte. Portanto, eu o castigarei e o soltarei.” 23  Em vista disso começaram a insistir, exigindo aos gritos que ele fosse executado,* e a voz deles prevaleceu.+ 24  De modo que Pilatos decidiu atender ao pedido deles. 25  Ele soltou o homem a quem pediam, que tinha sido lançado na prisão por sedição e assassinato, mas entregou Jesus à vontade deles. 26  Enquanto o levavam embora, agarraram um certo Simão de Cirene, que vinha do campo, e puseram a estaca* sobre ele para que a carregasse atrás de Jesus.+ 27  Um grande número de pessoas o seguiam, incluindo mulheres que batiam no peito de pesar e o lamentavam. 28  Jesus se virou para as mulheres e disse: “Filhas de Jerusalém, parem de chorar por mim. Em vez disso, chorem por vocês mesmas e pelos seus filhos;+ 29  pois saibam que virão dias em que as pessoas dirão: ‘Felizes as mulheres estéreis, os ventres que não deram à luz e os peitos que não amamentaram!’+ 30  Então começarão a dizer às montanhas: ‘Caiam sobre nós!’ e às colinas: ‘Cubram-nos!’+ 31  Se eles fazem isso quando a árvore está verde, o que ocorrerá quando estiver seca?” 32  Dois outros homens, criminosos, também estavam sendo levados para ser executados com ele.+ 33  E, quando chegaram ao lugar chamado Caveira,+ pregaram-no na estaca ao lado dos criminosos, um à sua direita e outro à sua esquerda.+ 34  Mas Jesus dizia: “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo.” Além disso, lançaram sortes para repartir as roupas dele.+ 35  E o povo ficou parado, olhando. Mas os líderes zombavam e diziam: “A outros ele salvou; que ele salve a si mesmo, se é o Cristo de Deus, o Escolhido.”+ 36  Até mesmo os soldados zombaram dele, chegando perto e oferecendo-lhe vinho acre,+ 37  e dizendo: “Se você é o Rei dos judeus, salve a si mesmo.” 38  Havia também uma inscrição acima dele: “Este é o Rei dos judeus.”+ 39  Então um dos criminosos que estavam pendurados começou a insultá-lo,+ dizendo: “Você não é o Cristo? Salve a si mesmo e também a nós!” 40  Em resposta, o outro o censurou, dizendo: “Você não tem nenhum temor de Deus, agora que recebeu o mesmo julgamento? 41  E no nosso caso isso é justo, pois estamos recebendo o que merecemos pelas coisas que fizemos. Mas este homem não fez nada errado.” 42  Então ele disse: “Jesus, lembre-se de mim quando entrar no seu Reino.”+ 43  E ele lhe disse: “Em verdade, eu lhe digo hoje: Você estará comigo no Paraíso.”+ 44  Pois bem, já era por volta da sexta hora;* contudo, caiu uma escuridão sobre toda aquela terra, até a nona hora,*+ 45  porque a luz do sol falhou. Então a cortina do santuário+ se rasgou ao meio.+ 46  E Jesus clamou em alta voz e disse: “Pai, às tuas mãos confio o meu espírito.”+ Depois de dizer isso, ele morreu.*+ 47  Ao ver o que estava acontecendo, o oficial do exército começou a glorificar a Deus, dizendo: “Realmente, este homem era justo.”+ 48  E toda a multidão que tinha se reunido ali para esse espetáculo viu o que estava acontecendo; então voltaram para casa, batendo no peito. 49  Todos os conhecidos dele estavam parados à distância. Também mulheres que o tinham acompanhado desde a Galileia estavam lá e viram essas coisas.+ 50  Havia um homem chamado José, membro do Conselho, que era um homem bom e justo.+ 51  (Esse homem não tinha votado em apoio da trama e da ação deles.) Ele era de Arimateia, uma cidade da Judeia, e aguardava o Reino de Deus. 52  Esse homem compareceu perante Pilatos e pediu o corpo de Jesus. 53  Então o tirou de lá,+ o enrolou em linho fino e o colocou num túmulo* escavado na rocha,+ onde ninguém ainda tinha sido sepultado. 54  Era o dia da Preparação,+ e o sábado+ estava prestes a começar. 55  Mas as mulheres que tinham vindo com ele desde a Galileia foram também até lá e viram o túmulo* e como o corpo dele havia sido colocado ali;+ 56  e voltaram para preparar aromas e óleos perfumados. Mas, naturalmente, descansaram no sábado,+ segundo o mandamento.

Notas de rodapé

Lit.: “Leve embora a este”.
Ou: “Executem-no na estaca! Executem-no na estaca!”
Ou: “executado na estaca”.
Ou: “estaca de tortura”. Veja o Glossário.
Isto é, por volta do meio-dia.
Isto é, por volta das 3 h da tarde.
Ou: “expirou; deu seu último suspiro”.
Ou: “túmulo memorial”.
Ou: “túmulo memorial”.

Notas de estudo

Mídia

Prego num osso de calcanhar humano
Prego num osso de calcanhar humano

Esta é uma foto da réplica de um osso de calcanhar humano atravessado por um prego de ferro de 11,5 centímetros. A peça original foi encontrada em 1968 durante escavações no norte de Jerusalém, e é da época do Império Romano. Essa descoberta serve como prova arqueológica de que provavelmente se usavam pregos em execuções para prender a vítima numa estaca de madeira. Os pregos que os soldados romanos usaram para prender Jesus Cristo na estaca talvez fossem parecidos com o da foto. A peça original foi encontrada em um ossuário (caixa de pedra onde os ossos de uma pessoa falecida eram colocados depois de a carne ter se decomposto). Isso indica que uma pessoa executada numa estaca podia receber um sepultamento, como foi o caso de Jesus.

Túmulo escavado na rocha
Túmulo escavado na rocha

Os judeus costumavam sepultar os mortos em grutas naturais ou escavadas na rocha. Esses túmulos geralmente ficavam fora da cidade, com exceção dos túmulos dos reis. Os túmulos judaicos que já foram descobertos se destacam pela simplicidade. Pelo visto, eram assim porque os judeus não achavam certo venerar os mortos nem acreditavam que depois de morrer a pessoa passava a viver num mundo espiritual.