Salmo 49:1-20

Ao regente. Dos filhos de Corá.+ Uma melodia. 49  Ouvi isto, todos os povos.Dai ouvidos, todos os habitantes do sistema de coisas,*+   Vós, filhos da humanidade,* bem como vós, filhos do homem,*Tu, rico, e tu, pobre, juntamente.+   Minha própria boca falará coisas de sabedoria+E a meditação de meu coração será de coisas de entendimento.+   Inclinarei meu ouvido a um dito proverbial;+Na harpa abrirei meu enigma.+   Por que devia eu estar com medo nos dias do mal,+[Quando] me cerca o próprio erro dos meus suplantadores?*+   Aqueles que confiam nos seus meios de subsistência+E que se jactam da abundância das suas riquezas,+   Nenhum deles* pode de modo algum remir até mesmo um irmão,+Nem dar a Deus um resgate por ele,*   (E o preço de redenção da alma deles* é tão precioso,+Que cessou por tempo indefinido)   Que ele ainda assim viva para sempre [e] não veja a cova.+ 10  Pois vê que até mesmo os sábios morrem,+O estúpido e o irracional perecem juntamente,+E têm de deixar a outros seus meios de subsistência.+ 11  Seu desejo íntimo* é que suas casas fiquem por tempo indefinido,+Seus tabernáculos por geração após geração.+Chamaram os seus bens de terra pelos seus nomes.+ 12  Contudo, o homem terreno,* embora em honra, não pode continuar a ter pousada;+Ele é deveras comparável aos animais que foram destruídos.*+ 13  Este é o caminho dos que têm estupidez+E dos que vêm após eles, os quais têm prazer na sua própria grandiloqüência.* Selá. 14  Como ovelhas foram designados* ao próprio Seol;+A própria morte os pastoreará;*+E os retos os terão em sujeição, de manhã,+E suas formas* vão gastar-se;+O Seol, em vez de uma morada excelsa, é para cada um.*+ 15  No entanto, o próprio Deus remirá a minha alma da mão do Seol,+Pois ele me receberá. Selá. 16  Não tenhas medo porque algum homem enriquece,+Por aumentar a glória da sua casa,+ 17  Pois na sua morte não pode levar nada consigo;+Sua glória não descerá junto com ele.+ 18  Porque durante a sua vida ele abençoava a sua própria alma;+(E a ti te elogiarão porque fazes o bem a ti mesmo)+ 19  [Sua alma]* chega por fim apenas até a geração de seus antepassados.+Nunca mais verão a luz.+ 20  O homem terreno, embora em honra, [mas] que não entende,*+É deveras comparável aos animais que foram destruídos.+

Notas de rodapé

Ou “da duração da vida”. Hebr.: hhá·ledh.
“Humanidade.” Hebr.: ’a·dhám.
“Homem.” Hebr.: ’ish.
“Suplantadores”, mediante a mudança dos sinais vocálicos; M: “calcanhares”.
“Nenhum deles.” Hebr.: ’ish.
Ou “um resgate para si mesmo”. Lit.: “sua cobertura”. Hebr.: kof·róh.
“Deles”, MSy; LXXVg: “dele”.
“Seu desejo íntimo”, M; LXXSyVg: “Suas sepulturas.”
“Contudo, o homem terreno.” Hebr.: we’a·dhám.
Ou “silenciados”.
Lit.: “boca”.
Lit.: “designaram[-nos]”. Mediante uma correção do verbo: “descerão (cairão)”.
Ou “apascentará [cuidará]”.
“Sua rocha”, Mmargem.
Ou “para ele”, isto é, para cada um do grupo.
Lit.: “ela”, hebr. fem., referindo-se à “alma”.
“Que não entende”, M; pela alteração da forma do verbo hebr. em harmonia com o v. 12a: “nem continuará a pousar”.