Salmo 36:1-12

Ao regente. Do servo de Jeová,* Davi. 36  A pronunciação de transgressão para o iníquo está no meio do seu* coração;+Não há pavor de Deus diante dos seus olhos.+   Porque agiu de modo demasiadamente macio para consigo mesmo aos seus próprios olhos+Para descobrir seu erro, de modo a odiá-lo.+   As palavras da sua boca são coisa prejudicial e engano;+Cessou de ter perspicácia para fazer o bem.+   Continua a maquinar na sua cama o que é prejudicial.+Posta-se num caminho que não é bom.+Não rejeita o que é mau.+   Ó Jeová,* tua benevolência* está nos céus;+Tua fidelidade sobe até as nuvens.+   Tua justiça é como as montanhas de Deus;*+Tua decisão judicial é uma vasta água de profundeza.*+Salvas o homem* e o animal, ó Jeová.+   Quão preciosa é a tua benevolência, ó Deus!*+E os próprios filhos dos homens se refugiam na sombra das tuas asas.+   Bebem fartamente da gordura da tua casa;+E fazes que bebam da torrente dos teus deleites.+   Pois contigo está a fonte* da vida;+Pela luz vinda de ti podemos ver a luz.+ 10  Continua com a tua benevolência para com os que te conhecem+E com a tua justiça para com os retos no coração.+ 11  Oh! não venha [contra] mim o pé de altivez;+Quanto à mão de gente iníqua, não faça de mim um errante.+ 12  Ali caíram os que praticaram o que é prejudicial;+Foram empurrados para baixo e não se puderam levantar.+

Notas de rodapé

Veja Ap. 1C sec. 10.
“Seu”, LXXSyVg e alguns mss. hebr.; MT: “meu”.
Veja Ap. 1C sec. 10.
Ou “amor leal”.
“Deus.” Hebr.: ’El.
Ou “um vasto corpo de águas empoladas”. Hebr.: tehóhm rab·báh. Veja 33:7 n.: “empoladas”; Gên 1:2 n. e Gên 7:11 n.: “profundeza”.
Ou “humanidade”. Hebr.: ’a·dhám.
“Deus.” Hebr.: ’Elo·hím.
Ou “manancial”. Hebr.: meqóhr.