Ezequiel 3:1-27

3  E ele passou a dizer-me: “Filho do homem, come o que achares. Come este rolo,+ e vai, fala à casa de Israel.”  Abri, pois, a minha boca, e ele, aos poucos, me fez comer este rolo.+  E prosseguiu, dizendo-me: “Filho do homem, deves fazer o teu próprio ventre comer, para encheres os teus próprios intestinos com este rolo que te dou.” E eu comecei a comê-lo, e veio a ser na minha boca doce como mel.+  E ele continuou a dizer-me: “Filho do homem, vai, entra no meio da casa+ de Israel, e tens de falar-lhes com as minhas palavras.  Pois não estás sendo enviado a um povo de idioma* incompreensível+ ou de língua pesada,*+ [mas] à casa de Israel,  não a numerosos povos de idioma incompreensível ou de língua pesada, cujas palavras não possas ouvir [com entendimento].+ Se eu te tivesse enviado a tais, seriam eles os que te escutariam.+  Mas, quanto à casa de Israel, não vão querer escutar-te, pois não querem escutar a mim;+ porque todos os da casa de Israel são de cabeça dura* e de coração duro.+  Eis que fiz* a tua face tão dura como as faces deles+ e a tua testa tão dura como as testas deles.+  Igual ao diamante,* mais dura do que a pederneira+ fiz* a tua testa. Não deves ter medo deles+ e não deves ficar aterrorizado diante das suas faces,+ porque são uma casa rebelde.”+ 10  E prosseguiu, dizendo-me: “Filho do homem, todas as minhas palavras que eu te falar aceita no teu coração+ e ouve com os teus próprios ouvidos. 11  E vai, entra no meio do povo exilado,+ no meio dos filhos de teu povo, e tens de falar-lhes e dizer-lhes: ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová’, quer ouçam quer se refreiem [de ouvir].”+ 12  E um espírito* passou a carregar-me+ e comecei a ouvir atrás de mim o ruído dum grande zunido:+ “Bendita seja a glória de Jeová desde o seu lugar.”+ 13  E havia o ruído das asas das criaturas viventes que se tocavam de perto,+ e o ruído das rodas bem ao lado delas,+ e o ruído dum grande zunido. 14  E [o] espírito me carregava,+ e passou a tomar-me, de modo que fui, amargurado, no furor do meu espírito, e a mão de Jeová sobre mim era forte.+ 15  Entrei, pois, entre o povo exilado em Tel-Abibe, que morava+ junto ao rio Quebar,+ e comecei a morar onde eles moravam; e fiquei morando* ali por sete dias, aturdido no meio deles.+ 16  E aconteceu, ao fim dos sete dias, que passou a vir a haver para mim a palavra de Jeová, dizendo: 17  “Filho do homem, constituí-te vigia* para a casa de Israel,+ e terás de ouvir a fala procedente da minha boca e terás de avisá-los da minha parte.+ 18  Quando eu disser ao iníquo: ‘Positivamente morrerás’,*+ e tu realmente não o avisares e não falares para avisar o iníquo do seu caminho iníquo, a fim de preservá-lo vivo,+ ele, sendo iníquo, morrerá no seu erro,+ mas o seu sangue demandarei da tua própria mão.+ 19  Mas, no que se refere a ti, se tiveres avisado o iníquo+ e ele realmente não recuar de sua iniqüidade e de seu caminho iníquo, ele é que morrerá pelo seu erro;+ mas tu, tu terás livrado a tua própria alma.*+ 20  E quando o justo recuar de sua justiça+ e realmente fizer injustiça, e eu tiver de pôr diante dele uma pedra de tropeço,+ ele é que morrerá por não o teres avisado. Morrerá por seu pecado,+ e seus atos justos que praticou não serão lembrados,+ mas demandarei o sangue dele da tua própria mão.+ 21  E se tu tiveres avisado o justo para que o justo não peque,+ e ele realmente não pecar, continuará a viver impreterivelmente porque foi avisado,+ e tu mesmo terás livrado a tua própria alma.”+ 22  E a mão de Jeová veio a estar ali sobre mim e ele passou a dizer-me: “Levanta-te, sai até o vale plano+ e lá eu falarei contigo.” 23  Levantei-me, pois, e saí ao vale plano, e eis que estava ali parada a glória de Jeová,+ igual à glória que eu tinha visto junto ao rio Quebar,+ e eu fui lançar-me com a minha face [por terra].+ 24  Então entrou em mim espírito+ e me fez ficar de pé,+ e ele começou a falar comigo e a dizer-me: “Vem, fica encerrado na tua casa. 25  E tu, ó filho do homem, eis que certamente porão sobre ti cordas e te atarão com elas, para que não possas sair para o meio deles.+ 26  E a tua própria língua eu farei ficar apegada ao céu da boca+ e certamente ficarás mudo,+ e não te tornarás para eles um homem* que dá repreensão,+ porque são uma casa rebelde.+ 27  E quando eu falar contigo, abrirei a tua boca, e terás de dizer-lhes:+ ‘Assim disse o Soberano Senhor Jeová.’ Ouça aquele que ouve+ e refreie-se aquele que se refreia [de ouvir], porque são uma casa rebelde.+

Notas de rodapé

Lit.: “lábio”. Veja Gên 11:1 n.: “idioma”.
Ou “vagarosa”.
Lit.: “de testa forte”.
Lit.: “dei”.
Ou “esmeril”.
Lit.: “dei”.
“Um espírito.” Hebr.: rú·ahh; gr.: pneú·ma; lat.: spí·ri·tus. Veja 1:4 n.: “vento”.
“E fiquei morando”, Mmargem e muitos mss. hebr.
Ou “atalaia; sentinela”. Hebr.: tso·féh.
“Positivamente morrerás.” Lit.: “Morrendo morrerás.” Hebr.: mohth ta·múth. Veja Gên 2:17 n.
“Tua própria alma.” Hebr.: naf·shekhá; gr.: psy·khén sou; lat.: á·ni·mam tú·am. Veja Ap. 4A.
“Um homem.” Hebr.: le’ísh; gr.: án·dra; lat.: vir.