Ester 3:1-15

3  Depois destas coisas, o Rei Assuero engrandeceu a Hamã,+ filho de Hamedata, agagita,+ e passou a exaltá-lo+ e a colocar seu trono acima de todos os outros príncipes que estavam com ele.+  E todos os servos do rei que estavam no portão+ do rei dobravam-se e prostravam-se diante de Hamã, pois assim tinha ordenado o rei a seu respeito. Mordecai, porém, não se dobrava nem se prostrava.+  E os servos do rei que estavam no portão do rei começaram a dizer a Mordecai: “Por que te furtas ao mandamento do rei?”+  E sucedeu que, falando-lhe eles dia após dia e não os escutando ele, contaram-no então a Hamã para ver se os assuntos de Mordecai ficariam de pé;+ pois contara-lhes que era judeu.+  Ora, Hamã via que Mordecai não se dobrava nem se prostrava diante dele,+ e Hamã ficou cheio de furor.+  Mas era desprezível aos seus olhos deitar a mão só em Mordecai, pois o tinham informado sobre o povo de Mordecai; e Hamã começou a procurar aniquilar+ todos os judeus que estavam em todo o domínio real de Assuero, o povo de Mordecai.+  No primeiro mês,+ que é o mês de nisã,* no décimo segundo ano+ do Rei Assuero, alguém lançou Pur,*+ isto é, a Sorte,+ diante de Hamã, de dia em dia e de mês em mês, [até] o décimo segundo, isto é, o mês de adar.*+  E Hamã passou a dizer ao Rei Assuero: “Há um povo disperso+ e separado entre os povos em todos os distritos jurisdicionais do teu domínio real;+ e suas leis são diferentes de todo outro povo e não executam+ as leis do próprio rei, e não convém ao rei deixá-los ficar.  Se parecer bem ao rei, escreva-se que sejam destruídos; e eu pagarei dez mil+ talentos de prata* nas mãos dos que fizerem a obra,+ trazendo-os ao tesouro do rei.” 10  Então o rei tirou da sua própria mão seu anel de sinete+ e o deu a Hamã,+ filho de Hamedata, agagita,+ que mostrava hostilidade para com os judeus.+ 11  E o rei prosseguiu, dizendo a Hamã: “Dá-se-te a prata,+ também o povo, para fazer com eles conforme for bom aos teus próprios olhos.”+ 12  Foram então chamados os secretários+ do rei, no primeiro mês, no décimo terceiro dia do mesmo, e escreveu-se+ segundo tudo o que Hamã ordenava aos sátrapas do rei e aos governadores que estavam sobre os diversos distritos jurisdicionais,+ e aos príncipes dos diversos povos, de cada distrito jurisdicional, no seu próprio estilo de escrita,+ e a cada povo na sua própria língua; foi escrito em nome+ do Rei Assuero e foi selado com o anel de sinete+ do rei. 13  E enviavam-se* as cartas por meio de correios+ a todos os distritos jurisdicionais do rei, para aniquilar, matar e destruir todos os judeus, tanto o moço como o velho, pequeninos e mulheres, num só dia,+ no décimo terceiro [dia] do décimo segundo mês, que é o mês de adar,+ e para saquear o despojo deles.+ 14  Uma cópia da escrita a ser dada como lei+ em todos os diversos distritos jurisdicionais+ estava sendo publicada para todos os povos, [a fim de] que ficassem prontos para aquele dia. 15  Os próprios correios saíram, movidos à velocidade+ por causa da palavra do rei, e a própria lei foi dada em Susã,+ o castelo. Quanto ao rei e a Hamã, sentaram-se para beber;+ mas no que se referia à cidade de Susã,+ estava em confusão.+

Notas de rodapé

Veja Ne 2:1 n.
“Pur”, significando “Sorte”. “Purim”, pl. hebr., passou a designar a festividade judaica celebrada no 12.o mês do calendário sagrado. Veja Ap. 8B.
“Adar.” Hebr.: ’Adhár. Este nome do 12.o mês do calendário sagrado, judaico, ocorre somente em Esd 6:15 e oito vezes em Ester. Adar cai em fevereiro e março. Veja Ap. 8B.
Cerca de US$ 77.070.000, com a prata valendo uns US$ 0,22 o g.
“Enviavam-se.” No hebr., este verbo está no infinitivo absoluto, indefinido quanto ao tempo e impessoal.