Esdras 4:1-24

4  Quando os adversários+ de Judá e de Benjamim ouviram que os filhos do Exílio+ estavam construindo um templo a Jeová, o Deus de Israel,  aproximaram-se imediatamente de Zorobabel+ e dos cabeças+ das casas paternas e disseram-lhes: “Deixai-nos construir convosco;+ pois, assim como vós, buscamos o vosso Deus+ e a ele oferecemos sacrifícios desde os dias de Esar-Hadom,+ rei da Assíria, que nos trouxe para cá.”+  No entanto, Zorobabel e Jesua,+ e os restantes dos cabeças+ das casas paternas de Israel disseram-lhes: “Não tendes nada que ver conosco* na construção de uma casa ao nosso Deus,+ pois nós mesmos, juntos, construiremos para Jeová, o Deus de Israel, assim como nos mandou o Rei Ciro,+ rei da Pérsia.”  Em vista disso, o povo da terra enfraquecia+ continuamente as mãos do povo de Judá e o desalentava com respeito à construção,+  e contratava+ conselheiros contra eles para frustrar seu conselho em todos os dias de Ciro, rei da Pérsia, até o reinado de Dario,+ rei da Pérsia.  E no reinado de Assuero, no início do seu reinado, escreveram uma acusação+ contra os habitantes de Judá e de Jerusalém.  Também nos dias de Artaxerxes, Bislão, Mitredate, Tabeel e o resto dos seus confrades escreveram a Artaxerxes, rei da Pérsia, e o conteúdo da carta estava escrito em caracteres aramaicos e traduzido ao idioma aramaico.+ 8 * Reum, o principal funcionário do governo, e Sinsai, o escrevente, escreveram uma carta contra Jerusalém a Artaxerxes, o rei, conforme segue:  Então Reum,+ o principal funcionário do governo, e Sinsai, o escrevente, e o resto dos seus confrades, os juízes e os governadores menores de além do Rio,*+ os secretários,+ o povo de Ereque,+ os babilônios,+ os habitantes de Susa,*+ isto é, os elamitas,+ 10  e o resto das nações+ que o grande e ilustre Asenapar*+ levara ao exílio e estabelecera nas cidades de Samaria,+ e o resto de além do Rio, —;* e agora, 11  esta é uma cópia da carta que eles enviaram a respeito disso: “A Artaxerxes,+ o rei, teus servos, os homens de além do Rio: E agora, 12  seja do conhecimento do rei que os judeus que de ti subiram para cá a nós chegaram a Jerusalém. Estão construindo a cidade rebelde e má, e passam a terminar os muros+ e a reparar os alicerces. 13  Agora, seja do conhecimento do rei que, se esta cidade for reconstruída e seus muros terminados, eles não darão nem imposto,+ nem tributo,+ nem pedágio, e isto causará prejuízo aos tesouros+ dos reis. 14  Agora, visto que deveras comemos o sal* do palácio e não é próprio vermos o desnudamento do rei, por esta razão mandamos dar conhecimento [disso] ao rei, 15  para que se faça uma investigação no livro dos registros+ de teus antecessores. Então acharás no livro dos registros e saberás que esta cidade é uma cidade rebelde e que causa perdas aos reis e aos distritos jurisdicionais, e que dentro dela havia os que promoviam revolta desde os dias da antiguidade. Por esta razão foi devastada esta cidade.+ 16  Damos a conhecer ao rei que, se a cidade for reconstruída e seus muros terminados, certamente, tampouco terás quinhão além do Rio.”*+ 17  O rei enviou uma comunicação a Reum,+ o principal funcionário do governo, e a Sinsai, o escrevente, e ao resto dos seus confrades+ que moravam em Samaria, e ao resto além do Rio: “Cumprimentos!*+ E agora, 18  o documento oficial que nos* enviastes foi lido claramente diante de mim. 19  De modo que dei uma ordem, e investigou-se+ e achou-se que aquela cidade, desde os dias da antiguidade, tem sido uma que se levanta contra os reis e uma em que se promoveram rebelião e revolta.+ 20  E mostrava-se haver reis fortes+ sobre Jerusalém e que governavam tudo além do Rio,+ e dava-se-lhes imposto, tributo e pedágio.+ 21  Agora, dai ordem para que estes varões vigorosos parem, a fim de que não se reconstrua aquela cidade até que eu dê a ordem. 22  Portanto, cuidai de que não haja negligência na atuação neste respeito, para que não aumente o dano para o prejuízo dos reis.”+ 23  Então, depois de se ter lido a cópia do documento oficial de Artaxerxes, o rei, perante Reum+ e Sinsai,+ o escrevente, e seus confrades,+ eles foram apressadamente a Jerusalém, aos judeus, e os fizeram parar pela força das armas.*+ 24  Foi então que parou a obra na casa de Deus, que estava em Jerusalém; e continuou parada até o segundo ano do reinado de Dario,+ rei da Pérsia.

Notas de rodapé

Lit.: “[Não há] nada para vós e para nós.” Esta é uma expressão idiomática hebr. Veja Ap. 7B.
Deste v. em diante, e até 6:18, Esdras foi escrito em aram.
Ou “os governadores menores de além-rio (transfluviais)”.
Ou “Susã”.
Ou “Osnapar”. Esta é uma forma abreviada do nome do rei assírio Assurbanipal; o aram., como o persa, que não tem l, substitui o final por r.
No M, o verbo foi evidentemente omitido aqui. LXX insere “julgaram”, transpondo este verbo para o início do v. 9.
“Comemos o sal.” Esta é uma expressão antiga que significa receber salário em pagamento pela prestação de serviços.
Isto é, o Eufrates.
Lit.: “Paz!” Aram.: shelám.
“Nos”, pl., para denotar excelência, sendo usado como o nosso atual “nós” editorial (ou majestático).
Ou “por um exército”. Lit.: “com braço e força”.