Atos 4:1-37

4  Então, enquanto os [dois]* estavam falando ao povo, sobrevieram-lhes os principais sacerdotes e o capitão do templo,+ e os saduceus,+  aborrecidos porque estavam ensinando o povo e estavam declarando distintamente a ressurreição dentre os mortos, no caso de Jesus;+  e deitaram mãos neles e os puseram em detenção até o dia seguinte,+ pois já era noitinha.  No entanto, muitos dos que tinham escutado o discurso creram,+ e o número dos homens chegou a cerca de cinco mil.+  No dia seguinte, ocorreu em Jerusalém um ajuntamento dos seus governantes, e anciãos,* e escribas+  (também Anás,+ o principal sacerdote, e Caifás,+ e João, e Alexandre, e tantos quantos eram da parentela do principal sacerdote),  e postaram-nos no meio deles e começaram a indagar: “Com que poder ou em nome de quem fizestes isso?”+  Então Pedro, cheio de espírito santo,+ disse-lhes: “Governantes do povo e anciãos,  se estamos sendo examinados neste dia à base duma boa ação para com um homem adoentado,+ quanto a por quem este homem ficou bom,* 10  seja sabido de todos vós e de todo o povo de Israel, que é no nome de Jesus Cristo, o nazareno,+ a quem pregastes numa estaca,*+ mas a quem Deus levantou dentre os mortos,+ por esse* é que este homem está aqui são em pé diante de vós. 11  Esta é ‘a pedra que por vós, construtores, não foi levada em conta, que se tornou a principal do ângulo’.+ 12  Outrossim, não há salvação em nenhum outro, pois não há outro nome+ debaixo do céu, que tenha sido dado entre os homens, pelo qual tenhamos de ser salvos.”+ 13  Ora, quando observaram a franqueza de Pedro e João, e perceberam que eles eram homens indoutos e comuns,+ ficaram admirados. E começaram a reconhecer a respeito deles que costumavam estar com Jesus;+ 14  e, olhando para o homem que tinha sido curado, parado [ali] com eles,+ não tinham nada a dizer em refutação.+ 15  Ordenaram-lhes, assim, que saíssem da sala do Sinédrio e começaram a consultar-se entre si, 16  dizendo: “Que havemos de fazer com estes homens?+ Porque, de fato, tem ocorrido um sinal notável por intermédio deles, manifesto a todos os habitantes de Jerusalém;+ e não o podemos negar. 17  Não obstante, a fim de que isso não se espalhe ainda mais entre o povo, digamos-lhes com ameaças que não falem mais a nenhum homem à base deste nome.”+ 18  Com isso chamaram-nos e advertiram-nos que em nenhuma parte fizessem qualquer pronunciação, nem ensinassem à base do nome de Jesus. 19  Mas Pedro e João disseram-lhes, em resposta: “Se é justo, à vista de Deus, escutar antes a vós do que a Deus, julgai-o vós mesmos. 20  Mas, quanto a nós, não podemos parar de falar das coisas que vimos e ouvimos.”+ 21  Assim, tendo-os ameaçado ainda mais, livraram-nos, visto que não acharam nenhuma base para puni-los, e por causa do povo,+ porque todos estavam glorificando a Deus pelo que tinha ocorrido; 22  pois o homem em quem este sinal de cura tinha ocorrido tinha mais de quarenta anos. 23  Depois de terem sido livrados, foram para a sua própria gente+ e relataram as coisas que os principais sacerdotes e os anciãos lhes haviam dito. 24  Ouvindo isso, elevaram unanimemente as suas vozes a Deus+ e disseram: “Soberano+ Senhor,* tu és Aquele que fez o céu e a terra, e o mar, e todas as coisas neles,+ 25  e quem, por intermédio de espírito santo, disse pela boca de nosso antepassado Davi,+ teu servo: ‘Por que se tumultuaram as nações e meditaram os povos coisas vãs?+ 26  Os reis da terra tomaram a sua posição e os governantes aglomeraram-se à uma contra Jeová* e contra o seu ungido.’*+ 27  Mesmo assim, tanto Herodes como Pôncio Pilatos,+ com [homens das] nações e com povos de Israel, ajuntaram-se realmente nesta cidade contra o teu santo+ servo Jesus, a quem ungiste,*+ 28  a fim de fazerem as coisas que a tua mão e conselho predeterminaram que ocorressem.+ 29  E agora, Jeová,* dá atenção às ameaças deles+ e concede aos teus escravos que persistam em falar a tua palavra com todo o denodo,+ 30  ao passo que estendes a tua mão para sarar e ao passo que ocorrem sinais e portentos+ por intermédio do nome+ de teu santo servo+ Jesus.” 31  E, quando haviam feito súplica, foi abalado o lugar onde estavam ajuntados;+ e todos juntos ficaram cheios de espírito santo+ e falaram a palavra de Deus com denodo.+ 32  Ainda mais, a multidão dos que haviam crido era de um só coração e alma,+ e nem mesmo um só dizia que qualquer das coisas que possuía fosse a sua própria; mas eles tinham todas as coisas em comum.+ 33  Também os apóstolos continuavam com grande poder a dar testemunho a respeito da ressurreição do Senhor Jesus;+ e sobre todos eles havia benignidade imerecida em grande medida. 34  De fato, não havia nem mesmo um só necessitado entre eles;+ porque todos os que eram proprietários de campos ou de casas vendiam-nos, e traziam os valores das coisas vendidas 35  e os depositavam aos pés dos apóstolos.+ Por sua vez, fazia-se distribuição+ a cada um, conforme tivesse necessidade. 36  De modo que José, que pelos apóstolos era cognominado Barnabé,+ que traduzido significa Filho de Consolo, um levita, natural de Chipre, 37  possuindo um pedaço de terra, vendeu-o, trouxe o dinheiro e o depositou aos pés dos apóstolos.+

Notas de rodapé

Lit.: “enquanto eles”.
“Anciãos.” Gr.: tous pre·sby·té·rous.
Ou “foi salvo”.
Ou “fixastes numa estaca (poste)”. Veja Ap. 5C.
Ou “neste nome”.
“Soberano Senhor.” Gr.: Dé·spo·ta; lat.: Dó·mi·ne; J17,18(hebr.): ’Adho·naí. Veja Ap. 1E.
Veja Ap. 1D.
Ou “seu Cristo”.
Ou “fizeste Cristo”. Gr.: é·khri·sas.
Veja Ap. 1D.