Atos 25:1-27

25  Festo, portanto, depois de assumir+ o [governo da] província,* subiu três dias mais tarde de Cesaréia+ a Jerusalém;  e os principais sacerdotes e os homens de destaque dos judeus deram-lhe informação+ contra Paulo. De modo que começaram a suplicar-lhe,  pedindo para si mesmos como favor contra o [homem], que mandasse buscá-lo para vir a Jerusalém, visto que estavam armando uma emboscada,+ para o eliminarem ao longo da estrada.  No entanto, Festo respondeu que Paulo seria mantido em Cesaréia e que ele mesmo estava partindo para lá em breve.  “Portanto”, disse ele, “desçam comigo os que estão em poder entre vós e o acusem,+ se há algo de condenável nesse homem”.  Assim, não tendo passado mais de oito ou dez dias entre eles, desceu a Cesaréia, e no dia seguinte assentou-se na cadeira de juiz+ e mandou que se trouxesse Paulo.  Quando ele chegou, os judeus que tinham descido de Jerusalém ficaram de pé em volta dele, lançando contra ele muitas acusações sérias,+ para as quais não podiam mostrar evidência.  Mas Paulo disse em defesa: “Nem contra a Lei dos judeus, nem contra o templo,+ nem contra César* cometi qualquer pecado.”+  Festo, desejoso de ganhar o favor+ dos judeus, disse a Paulo, em resposta: “Desejas subir a Jerusalém e ser julgado ali diante de mim a respeito dessas coisas?”+ 10  Mas Paulo disse: “Estou perante a cadeira de juiz de César,+ onde devo ser julgado. Não tenho feito nenhuma injustiça aos judeus,+ como tu mesmo estás descobrindo muito bem. 11  Se, por um lado, sou realmente delinqüente+ e tenho cometido algo que mereça a morte,+ não me escuso de morrer; se, por outro lado, não existe nenhuma dessas coisas de que estes [homens] me acusam, nenhum homem me pode entregar a eles como favor. Apelo para César!”+ 12  Então Festo, depois de falar com a assembléia dos conselheiros, replicou: “Para César apelaste, para César irás.” 13  Ora, havendo passado alguns dias, chegaram a Cesaréia Agripa,* o rei, e Berenice,* para uma visita de cortesia a Festo. 14  Assim, visto que passavam ali alguns dias, Festo apresentou ao rei os assuntos concernentes a Paulo, dizendo: “Há um certo homem deixado prisioneiro por Félix, 15  e quando estive em Jerusalém, os principais sacerdotes e os anciãos* dos judeus trouxeram-me informação+ a respeito dele, pedindo um julgamento de condenação contra ele. 16  Mas eu lhes repliquei que não é procedimento romano entregar qualquer homem como favor, antes de o acusado enfrentar face a face os seus acusadores+ e obter a oportunidade de falar em sua defesa a respeito da queixa. 17  Portanto, quando se ajuntaram aqui, não demorei, mas no dia seguinte assentei-me na cadeira de juiz e mandei que trouxessem o homem para dentro. 18  Tomando o posto, os acusadores não forneceram nenhuma acusação+ das coisas iníquas que eu supusera a respeito dele. 19  Eles simplesmente tinham certas disputas com ele concernentes à sua própria adoração+ da deidade* e concernente a certo Jesus, que estava morto, mas que Paulo asseverava estar vivo.+ 20  Assim, estando perplexo quanto à disputa sobre estes assuntos, passei a perguntar se ele gostaria de ir a Jerusalém e ser julgado ali concernente a estes assuntos.+ 21  Mas, quando Paulo apelou+ para ser guardado para a decisão do Augusto,* mandei que fosse guardado até que eu o enviasse a César.” 22  Então, Agripa [disse] a Festo: “Eu mesmo também gostaria de ouvir o homem.”+ “Amanhã o ouvirás”, disse ele. 23  Portanto, no dia seguinte, Agripa e Berenice vieram com muita pompa+ e entraram na sala de audiências, junto com os comandantes militares* e também os homens eminentes da cidade, e, quando Festo deu a ordem, trouxeram Paulo. 24  E Festo disse: “Rei Agripa e todos os homens que estais presentes conosco, observais este homem a respeito de quem toda a multidão dos judeus junta se dirigiu a mim, tanto em Jerusalém como aqui, gritando que ele não mais devia viver.+ 25  Mas eu percebi que ele não tinha cometido nada que merecesse a morte.+ Assim, quando este [homem] mesmo apelou+ para o Augusto, decidi mandá-lo. 26  Mas não tenho nada de certo para escrever acerca dele a [meu] Senhor.* Portanto, eu o apresentei a vós, e especialmente a ti, Rei Agripa, a fim de que, depois de se fazer o exame judicial,+ eu obtenha algo para escrever. 27  Pois me parece desarrazoado enviar um prisioneiro e não indicar também as acusações contra ele.”

Notas de rodapé

Isto é, da Judéia, servindo Cesaréia de residência para o governador.
Ou “o imperador”.
Isto é, Herodes Agripa II.
A irmã de Herodes Agripa II, mas vivendo incestuosamente com ele.
“Anciãos.” Gr.: pre·sbý·te·roi.
“Adoração da deidade.” Lit.: “pavor dos demônios”. Gr.: dei·si·dai·mo·ní·as; lat.: su·per·sti·ti·ó·ne; J17,18: “serviço de seu Deus”. Veja 17:22 n.
“Augusto”; ou “o imperador”. Gr.: Se·ba·stoú; lat.: Au·gú·sti. Era o título do Nero César, quarto na sucessão desde Otaviano, que foi o primeiro a ter este título.
Lit.: “com quiliarcas”.
Ou “ao Senhor”.