Juízes 5:1-31

5  E naquele dia, Débora,+ junto com Baraque,+ filho de Abinoão,+ irrompeu em cântico,+ dizendo:   “Por se deixar o cabelo pender solto em Israel [para a guerra],Por se oferecer voluntariamente o povo,+Bendizei a Jeová.+   Escutai, ó reis;+ dai ouvidos, ó dignitários:Eu é que cantarei a Jeová.Entoarei melodias+ para Jeová, o Deus de Israel.+   Jeová, quando saíste de Seir,+Quando marchaste desde o campo de Edom,+Tremeu a terra,+ também gotejaram os céus,+As nuvens também gotejaram água.   Montes fluíram* de diante da face de Jeová,+Este Sinai,+ de diante da face de Jeová,+ Deus de Israel.+   Nos dias de Sangar,+ filho de Anate,Nos dias de Jael,+ as veredas não tinham tráfego,*E os que andavam pelas sendas andavam por veredas tortuosas.+   Deixaram de existir os camponeses, deixaram de existir em Israel,+Até que eu, Débora,+ me levantei,Até que me levantei como mãe em Israel.+   Passaram a escolher novos deuses.+Foi então que houve guerra* nos portões.*+Não se via nem escudo nem lançaNo meio de quarenta mil em Israel.+   Meu coração é pelos comandantes de Israel,+Que eram voluntários dentre o povo.+Bendizei a Jeová.+ 10  Vós os que cavalgais em jumentas baias.+Vós os que estais sentados em tapetes suntuosos,*E vós os que andais pela estrada,Considerai!+ 11  Algumas das vozes dos distribuidores de água, no meio dos lugares onde se tira água,+Ali começaram a narrar os atos justos de Jeová,+Os atos justos dos seus camponeses em Israel.Foi então que o povo de Jeová foi descer até os portões. 12  Desperta, desperta, ó Débora!+Desperta, desperta, entoa um cântico!+Levanta-te, Baraque,+ e leva embora os teus cativos,* ó filho de Abinoão!+ 13  Foi então que os sobreviventes desceram até os majestosos;O povo de Jeová desceu a mim contra os poderosos. 14  Sua origem era de Efraim na baixada,*+Contigo,* ó Benjamim, entre os teus povos.De Maquir+ desceram os comandantesE de Zebulão os que manejam o equipamento de escrevente.+ 15  E os príncipes em Issacar+ estavam com Débora,E como Issacar, assim era Baraque.+Foi enviado a pé à baixada.+Foram grandes os esquadrinhamentos* do coração entre as divisões de Rubem.+ 16  Por que te assentaste entre os dois alforjes,Para escutar os toques de flauta para as greis?+Para as divisões de Rubem houve grandes esquadrinhamentos do coração.+ 17  Gileade ficou na sua residência ao outro lado do Jordão;+E Dã, por que ficou morando por um tempo em navios?+Aser estava sentado ocioso na costa marítima,E ficou residindo junto aos seus desembarcadouros.+ 18  Zebulão era um povo que desdenhava a sua alma até a morte;+Também Naftali,+ nas elevações do campo.+ 19  Vieram reis, eles lutaram;Foi então que os reis de Canaã lutaram+Em Taanaque,+ junto às águas de Megido.+Não tiveram lucro de prata.+ 20  Desde o céu lutaram as estrelas,+Desde as suas órbitas lutaram contra Sísera. 21  A torrente de Quisom os arrastou,+A torrente dos dias antigos,* a torrente de Quisom.+Foste pisar a força,+ ó minha alma. 22  Foi então que os cascos dos cavalos escarvaram+Por causa do galopar precipitado dos seus garanhões. 23  ‘Amaldiçoai+ a Meroz’, disse o anjo de Jeová,+‘Amaldiçoai incessantemente os seus habitantes,Pois não vieram em auxílio de Jeová,Em auxílio de Jeová com os poderosos’. 24  Jael,+ esposa de Héber, o queneu,+ será muitíssimo abençoada entre as mulheres,Entre as mulheres na tenda será muitíssimo abençoada.+ 25  Água ele pediu, leite ela deu;Na grande taça de banquete dos majestosos apresentou-lhe leite coalhado.+ 26  Estendeu então a mão para a estaca de tendaE sua direita para o malho dos labutadores.+E martelou a Sísera, furou-lhe a cabeça,+E rachou-lhe e retalhou-lhe as têmporas. 27  Ele tombou entre os seus pés, caiu, deitou-se;Tombou entre os seus pés, caiu;Onde tombou, ali caiu vencido.+ 28  Uma mulher olhava pela janela e estava à espreita dele,*A mãe de Sísera, pela gelosia:+‘Por que se demora seu carro de guerra?+Por que tem de tardar tanto a batida dos cascos dos seus carros?’+ 29  As sábias das suas damas*+ lhe respondiam,Sim, também ela dizia a si mesma com as suas próprias declarações: 30  ‘Não deviam achar, não deviam repartir o despojo:+Uma madre — duas madres* para cada varão vigoroso,+Despojo de estofos tingidos para Sísera, despojo de estofos tingidos,Uma veste bordada, estofo tingido, duas vestes bordadasPara os pescoços [dos homens] do despojo?’* 31  Pereçam assim todos os teus inimigos,+ ó Jeová,E sejam os que te* amam+ como quando o sol sai na sua potência.”+ E o país teve sossego por quarenta anos.+

Notas de rodapé

Ou “tremeram”. Vg: “fluíram”; TSy: “tremeram”; LXX: “foram abalados”.
Lit.: “veredas cessavam [eram negligenciadas]”.
O significado no M é obscuro.
“Então as cidades dos governadores (príncipes) lutaram”, LXXB.
O significado no M é obscuro; LXXBVg: “sentados para julgar”.
Ou “cativeiro”, isto é, um grupo de cativos.
“Na baixada”, LXXATh; MLXXBVg: “em Amaleque”.
Ou “depois de ti”.
“Esquadrinhamentos”, assim como no v. 16; M: “prescrições”.
“Torrente dos dias antigos.” Ou “torrente de ataques”. Hebr.: ná·hhal qedhu·mím; qedhu·mím é de significado incerto; LXXB: “antiga torrente hibernal”; Vg: “torrente de Cadumim”.
“Estava à espreita [dele]”, T; M: “lamentava”.
Ou “suas princesas”. Hebr.: sa·roh·theí·ha.
Termo dos soldados referente a concubinas capturadas.
“Para o pescoço da esposa dum rei”, mediante a troca de uma letra hebr.; com uma ligeira mudança no M: “para meu pescoço como despojo”; mediante outra mudança no M: “para seu pescoço como despojo”.
“Te”, SyVg; MLXX: “o”.