Isaías 24:1-23

24  Eis que Jeová está esvaziando a terra* e devastando-a,+ e ele entortou* a face dela+ e espalhou os seus habitantes.+  E terá de ser o mesmo para o povo como para o sacerdote; o mesmo para o servo como para o seu amo;* o mesmo para a serva como para a sua senhora; o mesmo para o comprador como para o vendedor; o mesmo para quem empresta como para quem toma emprestado; o mesmo para quem cobra juros* como para quem paga juros.*+  A terra, sem falta, será esvaziada, e, sem falta, será saqueada,+ porque o próprio Jeová falou esta palavra.+  A terra pôs-se a prantear,+ desvaneceu-se. O solo produtivo* murchou, desvaneceu-se. Definharam-se os altos do povo da terra.+  E a própria terra foi poluída sob os seus habitantes,+ pois deixaram de lado as leis,+ mudaram o regulamento,+ violaram o pacto de duração indefinida.+  Por isso é que a própria maldição consumiu a terra+ e os que habitam nela são considerados culpados. Por isso é que os habitantes da terra diminuíram em número e restaram muito poucos homens mortais.+  O vinho novo pôs-se a prantear, e a videira murchou,+ todos os alegres de coração puseram-se a suspirar.+  Cessou a exultação dos pandeiros, interrompeu-se o barulho dos grandemente rejubilantes, cessou a exultação da harpa.+  É sem canção que bebem vinho; a bebida inebriante torna-se amarga para os que a bebem. 10  A vila deserta foi destroçada;+ cada casa foi fechada para não se entrar [nela]. 11  Há um clamor nas ruas por [falta de] vinho. Passou* toda a alegria; desapareceu a exultação da terra.+ 12  Na cidade deixou-se atrás uma condição assombrosa; o portão foi esmiuçado a um mero monte de destroços.+ 13  Pois assim virá a ser no meio da terra, no meio dos povos, igual à batedura da oliveira,+ igual à rebusca quando acabou a vindima.+ 14  Eles mesmos elevarão a sua voz, gritarão de júbilo. Na superioridade de Jeová certamente gritarão estridentemente desde o mar.*+ 15  Por isso é que, na região da luz,*+ terão de glorificar a Jeová,+ nas ilhas do mar, o nome de Jeová,+ o Deus* de Israel. 16  Desde a extremidade* da terra temos ouvido melodias:+ “Ornato para o Justo!”+ Mas eu digo: “Para mim há magreza,+ para mim há magreza! Ai de mim! Os traiçoeiros agiram traiçoeiramente.+ Com traição é que os traiçoeiros agiram traiçoeiramente.”+ 17  O pavor, e o barranco, e a armadilha estão sobre ti, ó habitante da terra.+ 18  E terá de acontecer que todo aquele que fugir do som da coisa apavorante cairá no barranco, e todo aquele que subir de dentro do barranco será apanhado pela armadilha.+ Pois abrir-se-ão realmente as comportas* no alto+ e tremerão os alicerces da terra.+ 19  A terra rebentou completamente, a terra foi sacudida completamente, a terra foi abalada completamente.+ 20  A terra oscila completamente igual a um bêbedo, e ela tem balançado para lá e para cá como um rancho de vigia.+ E sua transgressão se tornou pesada sobre ela+ e ela terá de cair, de modo que não se levantará mais.+ 21  E naquele dia terá de acontecer que Jeová voltará a sua atenção para o exército do alto, no alto, e para os reis do solo sobre o solo.+ 22  E eles hão de ser ajuntados com um ajuntamento como que de presos no poço+ e ser encerrados no calabouço;+ e depois de uma abundância de dias dar-se-á atenção a eles.+ 23  E a lua cheia ficou encabulada e o [sol] brilhante ficou envergonhado,+ pois, Jeová dos exércitos tornou-se rei+ no monte Sião+ e em Jerusalém, e diante dos seus homens idosos, com glória.+

Notas de rodapé

“A terra.” Hebr.: ha·’á·rets.
Ou “desconcertou”.
“Como para o seu amo.” Hebr.: ka’·dho·náv, pl. de ’a·dhóhn, para denotar excelência.
Ou “o credor”.
Ou “o devedor; mutuário”.
Veja 13:11 n.: “produtivo”.
Lit.: “virou como que noite; ficou escura”.
Ou “oeste”.
Lit.: “das luzes”. Evidentemente, a região ou o horizonte oriental.
“O Deus de.” Hebr.: ’Elo·héh.
Lit.: “asa”.
Ou “janelas”.