Cântico de Salomão 3:1-11

3  “Na minha cama, durante as noites, tenho procurado aquele a quem minha alma tem amado.+ Procurei-o, mas não o achei.  Deixa-me levantar-me, por favor, e fazer a ronda da cidade;+ procure eu nas ruas e nas praças públicas+ aquele a quem a minha alma tem amado. Procurei-o, mas não o achei.  Acharam-me os vigias+ que faziam a ronda da cidade: ‘Vistes aquele a quem a minha alma tem amado?’  Assim que passei deles adiante, achei aquele a quem a minha alma tem amado. Segurei-o e não o larguei, até que o fiz entrar na casa de minha mãe e no quarto interior daquela que esteve grávida de mim.  Eu vos pus sob juramento,+ ó filhas de Jerusalém, pelas fêmeas das gazelas ou pelas corças do campo,+ que não tenteis despertar nem incitar [em mim] amor, até que [este] esteja disposto.”+  “Que* é isto que está subindo do ermo como colunas de fumaça, perfumado com mirra e olíbano,+ sim, com toda sorte de talco cheiroso de negociante?”+  “Eis que é o seu leito, aquele que pertence a Salomão. Em volta dele há sessenta homens poderosos* dos poderosos de Israel,+  todos eles de posse duma espada, treinados na guerra, cada um com a sua espada sobre a sua coxa por causa do pavor durante as noites.”+  “É a liteira que o Rei Salomão fez para si das árvores do Líbano.+ 10  Suas colunas ele fez de prata, seus suportes, de ouro. Seu assento é de lã tingida de roxo, seu interior foi amorosamente* aprestado pelas filhas de Jerusalém.” 11  “Saí e vede, ó filhas de Sião, o Rei Salomão com a grinalda+ que sua mãe+ lhe teceu no dia de seu casamento e no dia da alegria de seu coração.”+

Notas de rodapé

Lit.: “Quem”, com um predicado hebr. fem.
“Homens poderosos.” Hebr.: gib·bo·rím.
Ou “com ébano”, mediante uma correção do M.