2 Reis 6:1-33

6  E os filhos+ dos profetas começaram a dizer a Eliseu: “Ora, eis que o lugar+ em que estamos morando diante de ti é apertado demais+ para nós.  Por favor, vamos até o Jordão e tomemos de lá cada um uma viga, e façamos+ lá para nós um lugar para morar.” Ele disse, pois: “Ide.”  E um prosseguiu, dizendo: “Resolve-te, por favor, e vem com os teus servos.” A isto ele disse: “Eu mesmo irei.”  Por conseguinte, foi com eles, e por fim chegaram ao Jordão e começaram a cortar as árvores.+  E sucedeu que um estava cortando a sua viga, e caiu na água o próprio ferro do machado.*+ E ele começou a clamar e a dizer: “Ai! meu amo,+ porque foi tomado emprestado.”+  O homem do [verdadeiro] Deus disse então: “Onde caiu?” Mostrou-lhe, pois, o lugar. Ele cortou imediatamente um pedaço de lenha e o lançou para lá, e fez flutuar o ferro do machado.+  Então disse: “Retira-o para ti.” Ele estendeu imediatamente a sua mão e tomou-o.  E o rei da Síria,+ da sua parte, ficou envolvido numa guerra contra Israel. Por conseguinte, aconselhou-se com os seus servos,+ dizendo: “Em tal e tal lugar vos acampareis comigo.”*+  Então o homem do [verdadeiro] Deus+ mandou dizer ao rei de Israel: “Guarda-te de passar por este lugar,+ porque é lá que os sírios estão descendo.”+ 10  Por isso o rei de Israel enviou [alguém] ao lugar que o homem do [verdadeiro] Deus lhe dissera.+ E avisou-o,+ e ele se manteve afastado de lá, não uma vez nem duas. 11  Conseqüentemente, o coração do rei da Síria ficou enfurecido por causa deste assunto,+ de modo que chamou os seus servos e lhes disse: “Não me informareis quem dentre os que me pertencem está do lado do rei de Israel?”+ 12  Um dos seus servos disse então: “Ninguém, meu senhor, o rei, mas é Eliseu,+ o profeta que está em Israel, quem informa+ o rei de Israel sobre as coisas que falas no teu dormitório interno.”+ 13  Ele disse, pois: “Ide e vede onde ele está, a fim de que eu mande trazê-lo.”+ Mais tarde foi-lhe comunicado, dizendo-se: “Eis que está em Dotã.”+ 14  Ele enviou imediatamente para lá cavalos, e carros de guerra, e uma pesada força militar;+ e eles passaram a vir de noite e a rodear a cidade. 15  Quando o ministro+ do homem do [verdadeiro] Deus madrugou para se levantar e saiu, ora, eis que uma força militar cercava a cidade com cavalos e com carros de guerra. Seu ajudante lhe disse imediatamente: “Ai! meu amo.+ Que faremos?” 16  Mas ele disse: “Não tenhas medo,+ porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles.”+ 17  E Eliseu começou a orar+ e a dizer: “Ó Jeová, por favor, abre-lhe os olhos+ para que veja.” Jeová abriu imediatamente os olhos do ajudante de modo que viu; e eis que a região montanhosa estava cheia de cavalos e de carros de guerra,+ de fogo, em torno de Eliseu.+ 18  Quando começaram a descer a ele, Eliseu prosseguiu orando a Jeová e dizendo: “Por favor, fere esta nação* de cegueira.”+ De modo que os feriu de cegueira segundo a palavra de Eliseu. 19  Eliseu disse-lhes então: “Este não é o caminho e esta não é a cidade. Segui-me e deixai-me conduzir-vos ao homem que procurais.” Todavia, conduziu-os a Samaria.+ 20  E sucedeu que, assim que chegaram a Samaria, Eliseu disse então: “Ó Jeová, abre os olhos destes para que vejam.”+ Jeová abriu-lhes imediatamente os olhos e eles passaram a ver; e eis que estavam no meio de Samaria. 21  O rei de Israel disse então a Eliseu, assim que os viu: “Devo golpeá-los, devo golpeá-los,+ meu pai?”+ 22  Ele disse, porém: “Não deves golpeá-los. São estes os que capturaste com a tua espada e com o teu arco que estás golpeando?+ Põe diante deles pão e água para que comam e bebam,+ e para que vão para seu senhor.” 23  Por conseguinte, ofereceu-lhes um grande banquete; e começaram a comer e a beber, após o que os mandou embora e eles foram para seu senhor. E nem uma única vez vieram as guerrilhas+ dos sírios de novo à terra de Israel. 24  E depois sucedeu que Ben-Hadade, rei da Síria, passou a reunir todo o seu acampamento e a subir e sitiar+ Samaria. 25  Com o tempo veio a haver uma grande fome em Samaria,+ e eis que a sitiavam até que a cabeça dum jumento+ chegou a valer oitenta moedas de prata e um quarto da medida de um cabo* de esterco de pombas+ valeu cinco moedas de prata. 26  E aconteceu que, passeando o rei de Israel em cima da muralha, clamou a ele certa mulher, dizendo: “Salva deveras, ó meu senhor, o rei!”+ 27  A isto ele disse: “Se Jeová não te salva, de que [fonte] te salvarei eu,+ quer procedente da eira, quer do lagar de vinho ou de azeite?” 28  E o rei prosseguiu, dizendo-lhe: “Que tens?” De modo que ela disse: “Esta mesma mulher me disse: ‘Dá o teu filho para que o comamos hoje, e amanhã comeremos o meu próprio filho.’+ 29  Por conseguinte, cozinhamos+ o meu filho e o comemos.+ Então eu lhe disse no dia seguinte: ‘Dá o teu filho para que o comamos.’ Mas ela escondeu o seu filho.” 30  E sucedeu que, assim que o rei ouviu as palavras da mulher, rasgou+ imediatamente as suas vestes; e passeando ele em cima da muralha, o povo chegou a ver, e eis que havia serapilheira por baixo, sobre a sua carne. 31  E ele prosseguiu, dizendo: “Assim me faça Deus e assim lhe acrescente mais, se a cabeça de Eliseu, filho de Safate, ficar hoje sobre ele!”+ 32  E Eliseu estava sentado na sua própria casa e com ele estavam sentados os anciãos,*+ quando aquele enviou um homem de diante de si. Antes que o mensageiro pudesse chegar a ele, ele próprio disse aos anciãos: “Vistes como este filho dum assassino+ mandou tirar-me a cabeça? Vede: assim que o mensageiro chegar, fechai a porta, e tendes de premi-lo para trás com a porta. Não é este o som+ dos pés do seu senhor atrás dele?” 33  Enquanto ainda falava com eles, eis que descia o mensageiro* a ele, e [o rei]* passou a dizer: “Eis que esta é a calamidade da parte de Jeová.+ Por que devia eu esperar mais por Jeová?”+

Notas de rodapé

Lit. só “o ferro”.
“Acampareis comigo”, mediante uma ligeira mudança no M.
Ou “estes gentios (pagãos)”.
Um cabo equivalia a 1,22 l.
“E . . . os anciãos.” Hebr.: wehaz·zeqe·ním; gr.: pre·sbý·te·roi. Veja At 15:2 n.
Possivelmente: “o rei”. Veja 7:2.
Lit.: “ele”. Veja 7:2.