Autoridades russas estão intensificando seu ataque contra as Testemunhas de Jeová, em uma campanha de terror que remete à era soviética. Até 29 de agosto de 2018, autoridades colocaram 25 Testemunhas de Jeová em prisão preventiva e outras 9 em prisão domiciliar, sob a acusação de organizar, participar ou financiar a atividade de uma organização “extremista”. Em julho, policiais em Omsk colocaram uma Testemunha de Jeová mulher em prisão preventiva pela primeira vez. Isso estabelece um precedente assustador.

Oficiais tentam justificar suas ações com base na proibição da entidade jurídica das Testemunhas de Jeová que ocorreu em abril de 2017 e por meio da má aplicação do artigo 282 do Código Penal. Na verdade, eles estão perseguindo as Testemunhas de Jeová por sua adoração pacífica. Se forem condenados, alguns dos que estão presos podem pegar penas de até dez anos de prisão.

Desde fevereiro de 2018, as autoridades têm seguido um padrão ao deter e prender Testemunhas de Jeová. Policiais armados invadem as casas de Testemunhas de Jeová, muitas vezes apontando armas para as cabeças delas — incluindo crianças e idosos — e as forçam a se deitar no chão. Enquanto oficiais fazem buscas nos locais, eles confiscam objetos pessoais e detêm algumas Testemunhas de Jeová para interrogatório. Investigadores apresentam queixas criminais contra algumas Testemunhas de Jeová por supostas atividades extremistas e pedem que o juiz determine que elas fiquem em prisão preventiva. Quando as Testemunhas de Jeová já estão presas, os promotores pedem aos juízes que prolonguem suas prisões preventivas, o que é concedido na maioria das vezes.

Prisão injusta de Dennis Christensen

Em 25 de maio de 2017, policiais e agentes do Serviço Federal de Segurança armados interromperam uma reunião religiosa semanal pacífica das Testemunhas de Jeová em Oriol, na Rússia. Dennis Christensen — um cidadão dinamarquês que estava presente quando aconteceu a invasão — foi detido, interrogado e preso. Dennis foi acusado criminalmente pelo papel que exerce nas atividades religiosas da congregação, sob a falsa acusação de organizar a atividade de uma organização “extremista”.

Apesar das apelações de Dennis, o Tribunal Distrital Sovetskiy ordenou por diversas vezes que ele fosse mantido em prisão preventiva. Em 22 de fevereiro de 2018, o Tribunal Distrital Zheleznodorozhniy, de Oriol, determinou que a prisão preventiva fosse prorrogada até 1.° de agosto de 2018. Como Dennis é um cidadão dinamarquês, a embaixada da Dinamarca em Moscou foi notificada no momento de sua detenção. Autoridades dinamarquesas o visitaram na prisão e estão acompanhando o seu caso de perto.

O julgamento de Dennis teve início em 26 de fevereiro de 2018 e, depois de 20 sessões do tribunal, o julgamento está programado para continuar até setembro.

Esforços contínuos para acabar com as prisões injustas

O evidente aumento na perseguição das Testemunhas de Jeová na Rússia mostra que as autoridades não querem apenas fechar as entidades jurídicas das Testemunhas de Jeová, mas também negar a elas o seu direito de adoração. Até agora, os advogados dessas inocentes Testemunhas de Jeová não foram bem-sucedidos em acabar com essas prisões injustas. Eles apresentaram queixas ao Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas e fizeram pedidos à Corte Europeia dos Direitos Humanos. Testemunhas de Jeová em todo o mundo esperam que as cortes internacionais ajam prontamente para acabar com o ataque da Rússia à sua liberdade religiosa.

Linha do tempo

  1. 29 de agosto de 2018

    Um total de 25 Testemunhas de Jeová presas.

  2. 15 de agosto de 2018

    O Tribunal Regional de Oriol mantém a decisão da corte de primeira instância de estender a prisão preventiva de Dennis Christensen até 1 de novembro de 2018.

  3. 3 de agosto de 2018

    O Tribunal Distrital Leninskiy, em Orenburg, determina que Vladimir Kochnev e Aleksandr Suvorov sejam libertos da prisão preventiva e os coloca em prisão domiciliar.

    O Tribunal Regional de Magadan determina que Konstantin Petrov seja liberto da prisão preventiva e o coloca em prisão domiciliar.

  4. 2 de agosto de 2018

    A polícia e agentes da FSB invadem casas em Khabarovsk e prendem Valeriy Moskalenko. Ele é colocado em prisão preventiva.

  5. 28 de julho de 2018

    A polícia invade a casa da mãe de Dmitriy Barmakin, que é idosa, e o prende. Ele é colocado em prisão preventiva.

  6. 25 de julho de 2018

    Policiais da tropa de choque da Unidade Especial de Resposta Rápida da Guarda Nacional da Rússia invadem casas em Kostroma e prendem Sergey Rayman. Ele é colocado em prisão preventiva.

  7. 22 de julho de 2018

    A polícia e agentes da FSB invadem casas em Berezovskiy e prendem Sergey Britvin e Vadim Levchuk. Os dois são colocados em prisão preventiva.

  8. 15 de julho de 2018

    A polícia faz buscas nas casas de várias Testemunhas de Jeová em Penza e prende Vladimir Alushkin. Ele é colocado em prisão preventiva.

  9. 4 de julho de 2018

    Forças policiais invadem casas em Omsk. Sergey e Anastasia Polyakov são presos e colocados em prisão preventiva.

  10. 3 de julho de 2018

    A polícia prende Andrey Stupnikov em um aeroporto em Krasnoyarsk e o coloca em prisão preventiva.

  11. Julho de 2018

    O processo criminal de Dennis Christensen continua no Tribunal Distrital Zheleznodorozhniy, com o juíz Aleksey Rudnev presidindo o caso.

  12. 12 de junho de 2018

    Forças policiais invadem casas em Saratov. Konstantin Bazhenov, Felix Makhammadiev e Aleksey Budenchuk são detidos e colocados em prisão preventiva.

  13. Início de junho de 2018

    Forças policiais invadem casas em Tomsk e Pskov. Sergey Klimov é detido e colocado em prisão preventiva.

  14. 29 de maio de 2018

    Novas acusações são feitas contra Dmitriy Mikhailov e ele é detido pela segunda vez. Alguns dias depois, ele é colocado em prisão preventiva.

  15. Maio de 2018

    Forças policiais invadem casas em Orenburg, Birobidzhan, Perm, Naberezhnye Chelny, Magadan e Khabarovsk. Dez Testemunhas de Jeová são detidas e presas: Aleksandr Suvorov, Vladimir Kochnev, Ilkham Karimov, Konstantin Matrashov, Vladimir Myakushin, Aydar Yulmetyev, Ivan Puyda, Konstantin Petrov, Yevgeniy Zyablov e Sergey Yerkin. Todas são colocadas em prisão preventiva.

  16. Abril de 2018

    Forças policiais invadem casas em Ufa, Polyarny, Vladivostok e Shuya. Anatoliy Vilitkevich, Roman Markin, Viktor Trofimov e Valentin Osadchuk são detidos e colocados em prisão preventiva. Dmitriy Mikhailov é detido e obrigado a não viajar para fora de Shuya. Em 21 de junho de 2018, Anatoliy é libertado, mas permanece em prisão domiciliar.

  17. 26 de fevereiro de 2018

    Começa o julgamento de Dennis Christensen, no Tribunal Distrital Zheleznodorozhniy, com a presidência do juiz Aleksey Rudnev.

  18. 20 de julho de 2017 a 22 de fevereiro de 2018

    A prisão preventiva de Dennis Christensen é prorrogada três vezes, duas pelo Tribunal Distrital Sovetskiy e uma pelo Tribunal Distrital Zheleznodorozhniy. Agora, ele ficará preso até 1.° de novembro de 2018.

  19. 26 de maio de 2017

    O Tribunal Distrital Sovetskiy, em Oriol, condena Dennis Christensen a dois meses de prisão preventiva.

  20. 25 de maio de 2017

    Polícia invade reuniões religiosas em Oriol e Dennis Christensen é detido.