Pular para conteúdo

Pular para menu secundário

Testemunhas de Jeová

Português

30 DE MAIO DE 2017
RÚSSIA

Supremo Tribunal da Rússia vai ouvir apelação das Testemunhas de Jeová em 17 de julho de 2017

Supremo Tribunal da Rússia vai ouvir apelação das Testemunhas de Jeová em 17 de julho de 2017

As Testemunhas de Jeová na Rússia apelaram da decisão do Supremo Tribunal que proibiu a atividade religiosa delas. A decisão de 20 de abril, proferida pelo juiz Yuriy Ivanenko, pôs fim a todas as atividades das entidades jurídicas usadas pelas Testemunhas de Jeová na Rússia. Um painel de três juízes da Câmara de Apelação do Supremo Tribunal vai ouvir a apelação no dia 17 de julho de 2017.

A apelação pede que a decisão seja anulada por completo. O pedido enfatiza que a decisão não foi baseada em provas reais e que as Testemunhas de Jeová não são culpadas de nenhuma atividade extremista. A apelação destaca que o Supremo Tribunal baseou sua decisão nas mesmas acusações usadas pelas autoridades para perseguir as Testemunhas de Jeová na época soviética. Mais tarde, elas puderam voltar às suas atividades e as acusações contra elas foram retiradas. Essa apelação ainda enfatiza que a decisão vai contra as garantias de liberdade religiosa contidas na Constituição da Rússia e nos seus acordos internacionais.

Essa decisão já está afetando as Testemunhas de Jeová de um jeito que lembra a opressão que elas viveram debaixo do regime comunista. Em alguns casos, autoridades estão processando algumas Testemunhas de Jeová por “atividade extremista”, outras estão sendo demitidas de seus trabalhos e ainda professores têm intimidado alunos Testemunhas de Jeová na frente de seus colegas de sala. Além disso, indivíduos preconceituosos praticaram vandalismo em Salões do Reino e incendiaram duas casas de Testemunhas de Jeová. As casas ficaram totalmente destruídas.

As Testemunhas de Jeová de todo o mundo têm esperança que a Câmara de Apelação do Supremo Tribunal da Rússia veja a injustiça que ocorreu na decisão anterior e anule a decisão, protegendo assim a liberdade religiosa e a segurança das Testemunhas de Jeová na Rússia.