Pular para conteúdo

O que é a fera cor de escarlate de Apocalipse capítulo 17?

A resposta da Bíblia

A fera cor de escarlate do capítulo 17 de Apocalipse simboliza a organização mundial que tem o objetivo de unir e representar todas as nações. No passado, era a Liga das Nações. Hoje, ela é a ONU (Organização das Nações Unidas).

A Bíblia dá pistas para entendermos o que é a fera cor de escarlate

  1. A fera é uma organização política. A Bíblia diz que a fera cor de escarlate tem “sete cabeças”. Essas cabeças representam “sete montes” e “sete reis”, ou governos políticos. (Apocalipse 17:9, 10) Na Bíblia, montes e animais, ou feras, podem ser símbolos de governos. — Jeremias 51:24, 25; Daniel 2:44, 45; 7:17, 23.

  2. A fera é um reflexo do sistema político mundial. A fera cor de escarlate é parecida com a outra fera de sete cabeças, de Apocalipse capítulo 13, que representa o sistema político mundial. As duas feras têm sete cabeças, dez chifres e nomes blasfemos. (Apocalipse 13:1; 17:3) Todas essas semelhanças não podem ser apenas uma coincidência. Assim, a fera cor de escarlate é uma imagem, ou reflexo, do sistema político mundial. — Apocalipse 13:15.

  3. Seu poder vem de outros reinos. A fera cor de escarlate “procede” de outros poderes governamentais, ou seja, ela passa a existir por meio deles. — Apocalipse 17:11, 17.

  4. Ela está ligada à religião. Babilônia, a Grande, o conjunto de religiões falsas do mundo, está sentada na fera cor de escarlate. Isso mostra que a fera está debaixo da influência de grupos religiosos. — Apocalipse 17:3-5.

  5. A fera desonra a Deus. A fera está “cheia de nomes blasfemos”. — Apocalipse 17:3.

  6. Ela ficaria por um tempo num estado de inatividade. A fera cor de escarlate ficaria por um tempo no “abismo”, * ou ficaria inativa, mas surgiria novamente. — Apocalipse 17:8.

Como essas profecias se cumprem hoje

Veja como a ONU e a anterior Liga das Nações cumprem as profecias bíblicas sobre a fera cor de escarlate.

  1. Uma organização política. A ONU tem o objetivo de manter a “igualdade de todos os seus membros”. * Assim, ela apoia o sistema político mundial.

  2. Um reflexo do sistema político mundial. Em 2011, a ONU passou a ter 193 países-membros. Ela afirma representar a grande maioria das nações e dos povos do mundo.

  3. Seu poder vem de outros reinos. A ONU só existe por causa dos países-membros que ela representa. São eles que dão a essa organização o poder e a autoridade que ela possui.

  4. Ligada à religião. Tanto a Liga das Nações como a ONU sempre receberam apoio de diversas religiões. *

  5. Desonra a Deus. A ONU foi formada para “manter a paz e a segurança internacionais”. * Esse pode até ser um objetivo nobre, mas, ao prometer isso, a ONU desonra a Deus. Por quê? Porque Deus diz que apenas o seu Reino trará verdadeira paz e segurança. — Salmo 46:9; Daniel 2:44.

  6. Ficou em estado de inatividade por um tempo. A Liga das Nações foi formada pouco depois da Primeira Guerra Mundial, com o objetivo de manter a paz, e não foi capaz de evitar conflitos entre os países. Ela deixou de funcionar em 1939, quando começou a Segunda Guerra Mundial. Depois do fim da guerra, em 1945, a ONU foi formada com objetivos, métodos e estrutura muito parecidos aos da Liga das Nações.

^ parágrafo 7 De acordo com o Dicionário Vine, a palavra grega traduzida “abismo” descreve uma “profundidade imensurável”, ou seja, uma profundidade ilimitada. Na Bíblia, esse termo se refere a um lugar ou a uma condição de confinamento, ou completa inatividade.

^ parágrafo 9 Veja o artigo 2 da Carta das Nações Unidas.

^ parágrafo 12 Por exemplo, em 1918, representantes de várias religiões protestantes nos Estados Unidos se reuniram e declararam que a Liga das Nações seria “a expressão política do Reino de Deus na Terra”. Em 1965, representantes do budismo, catolicismo, hinduísmo, islamismo, judaísmo, protestantismo e de igrejas ortodoxas orientais se reuniram em São Francisco para dar apoio à ONU e orar por ela. Além disso, em 1979, o papa João Paulo II disse que esperava que a ONU “fosse o lugar supremo e permanente para se discutir a paz e a justiça”.

^ parágrafo 13 Veja o artigo 1 da Carta das Nações Unidas.