Pular para conteúdo

TEVE UM PROJETO?

A cola da craca

Os zoólogos perceberam há muito tempo a capacidade das cracas de se fixar firmemente em rochas, cais e cascos de navios. A cola da craca é muito mais forte do que as colas sintéticas. Mas, até pouco tempo, a forma como as cracas conseguem se fixar em superfícies úmidas era um mistério.

Analise o seguinte: Estudos revelaram que, quando está madura o suficiente para nadar, a larva da craca examina várias superfícies até escolher um local adequado para se fixar. Os cientistas acreditam que, quando encontra esse local, a larva produz duas substâncias. A primeira é um líquido oleoso que repele a água da superfície escolhida. Esse líquido também cria um ambiente adequado para a aplicação da segunda substância, composta de proteínas chamadas fosfoproteínas.

Juntas, as duas substâncias formam uma forte placa adesiva que resiste até ao ataque de bactérias. É importante que essa cola seja resistente e durável porque a craca vai passar o resto da vida colada naquele local.

Cracas; o destaque mostra fios da cola produzida por elas

O processo de fabricação de cola da craca é muito mais complexo do que os cientistas imaginavam. Um dos membros da equipe que descobriu o processo disse: “É uma solução natural incrivelmente inteligente para o problema de como lidar com a barreira de água em uma superfície.” Essas descobertas podem ajudar os pesquisadores a desenvolver colas que possam ser usadas debaixo da água e também bioadesivos sintéticos para uso em equipamentos eletrônicos e implantes médicos.

O que você acha? A cola da craca é resultado da evolução? Ou teve um projeto?