Pular para conteúdo

OS JOVENS PERGUNTAM

Sou exagerado quando o assunto é esporte?

Os esportes podem ser uma coisa boa ou ruim. Tudo depende do que você joga, da forma como você joga e quanto tempo você gasta jogando.

 Qual é o lado bom?

Praticar esporte pode nos ajudar a ter uma boa saúde. A Bíblia reconhece que “o exercício físico traz algum benefício”. (1 Timóteo 4:8, nota) Um jovem chamado Ryan disse: “Praticar um esporte é uma boa maneira de manter o corpo ativo. É muito melhor do que ficar em casa jogando videogame.”

Praticar esporte pode nos ensinar a trabalhar em equipe e a ser disciplinados. A Bíblia fala bem do esporte. Ela até usa o esporte para ensinar uma lição importante. A Bíblia diz: “Numa corrida todos os corredores correm, mas apenas um recebe o prêmio.” Ela também diz: “Todos os que participam numa competição exercem autodomínio em todas as coisas.” (1 Coríntios 9:24, 25) O que a Bíblia quer ensinar com isso? Para jogar de acordo com as regras de um jogo, é importante ter disciplina e cooperar com os outros. Uma jovem chamada Abigail concorda com isso. Ela disse: “Praticando esporte, eu aprendi a colaborar e a me comunicar melhor com os outros.”

Praticar esporte pode nos ajudar a ter boas amizades. O jogo aproxima as pessoas. Um jovem chamado Jordan disse: “Quase todos os jogos têm competição. Mas, se a ideia é se divertir e não competir, praticar um esporte pode ser uma boa forma de deixar as amizades mais fortes.”

 Quais são as armadilhas?

O que você joga. A Bíblia diz: “Jeová examina tanto os justos como os maus, ele odeia quem ama a violência.” — Salmo 11:5.

Existem alguns esportes que está na cara que são violentos. Por exemplo, uma jovem chamada Lauren disse: “O objetivo do boxe é dar uma surra na outra pessoa. Como somos cristãos, nós não lutamos. Então por que ver uma pessoa batendo na outra deveria nos divertir?”

Pense nisso: Será que você joga ou assiste esportes violentos com a desculpa de que isso não vai tornar você uma pessoa violenta? Se você pensa assim, lembre que o Salmo 11:5 diz que Jeová não é amigo de quem “ama a violência”, não só de quem pratica a violência.

A forma como você joga. A Bíblia diz: “Não façam nada por rivalidade nem por presunção; mas, com humildade, considerem os outros superiores a vocês.” — Filipenses 2:3.

É claro que toda atividade com times adversários vai ter um pouco de competição. Mas pensar que você deve ganhar a todo custo vai tirar a diversão do jogo. Veja o que um jovem chamado Brian disse: “O espírito competitivo pode tomar conta de você. Quanto melhor você é num esporte, mais humilde você precisa ser.”

Pense nisso: Um jovem chamado Chris disse: “A gente joga futebol toda semana, e alguns já se machucaram.” Pergunte-se: ‘O que pode contribuir para alguém se machucar durante um jogo? O que eu posso fazer para evitar que alguém se machuque?’

Quanto tempo você gasta. A Bíblia diz: “Que vocês se certifiquem de quais são as coisas mais importantes.” — Filipenses 1:10.

Você precisa escolher o que é mais importante. Coisas relacionadas a Deus devem estar em primeiro lugar. Alguns jogos duram muitas horas, tanto para jogar como para assistir. Uma jovem chamada Daria disse: “Eu sempre discutia com a minha mãe sobre o tempo que eu gastava assistindo jogos na TV, sendo que eu podia ter usado esse tempo com coisas mais importantes.”

Gastar muito tempo com esportes é como colocar muito sal na comida

Pense nisso: Você aceita os conselhos que seus pais dão sobre o que deve ser mais importante para você? Uma jovem chamada Trina disse: “Eu e meus irmãos gostávamos de ficar assistindo jogos. Só que a gente acabava deixando de lado as coisas mais importantes. Aí minha mãe lembrava a gente que os jogadores iam ganhar o dinheiro deles mesmo que a gente não assistisse os jogos. Daí ela perguntava: ‘Mas o que vocês ganham assistindo esses jogos?’ O que ela queria ensinar era o seguinte: Os jogadores já tinham o emprego deles. Mas, se a gente deixasse de lado nossas lições de casa e outras responsabilidades, lá na frente a gente ia ter dificuldade de conseguir um emprego. Na verdade, o que nossa mãe queria dizer é que assistir jogos ou praticar esportes não devia ser a coisa mais importante na nossa vida.”