Pular para conteúdo

OS JOVENS PERGUNTAM

O que fazer se tenho um problema de saúde? (Parte 2)

Problemas de saúde se manifestam de várias maneiras.

  • Algumas pessoas têm sintomas que outros podem ver, enquanto outras têm sintomas que só a pessoa sente.

  • Alguns problemas de saúde “fazem uma visitinha” de vez em quando, enquanto outros “não querem mais ir embora” e apresentam desafios dia após dia.

  • Alguns problemas de saúde podem ser curados ou pelo menos amenizados, enquanto outros são degenerativos — talvez até colocando a vida da pessoa em risco.

Os jovens enfrentam todos esses desafios relacionados à saúde. Neste artigo, você vai conhecer quatro jovens que convivem com desafios assim. Se você sofre com algum problema de saúde, poderá ser encorajado pelos comentários deles.

 GUÉNAELLE

A coisa mais difícil para mim é aceitar os meus limites. Quero fazer tantas coisas, mas cada dia tenho que me adaptar à minha situação.

Tenho uma doença neuromuscular que impede que o cérebro transmita corretamente as informações ao corpo. Às vezes, alguma parte do meu corpo de repente treme ou fica paralisada. Tenho dificuldade para fazer coisas simples, como andar, falar, ler, escrever e entender o que os outros falam. Quando as coisas ficam bem difíceis, os anciãos da minha congregação oram comigo. Quando eles fazem isso, fico mais tranquila na mesma hora.

Não importa que dificuldades eu enfrente, sinto que Jeová sempre vai estar perto para me apoiar. Não quero que minha doença me impeça de servi-lo de todo o coração. Minha prioridade é ajudar os outros a aprender a promessa da Bíblia de que em breve Jeová vai fazer da Terra um paraíso, onde nunca mais haverá sofrimento. — Revelação (Apocalipse) 21:1-4.

Para pensar: Assim como Guénaelle, de que maneiras você pode mostrar compaixão pelos outros? — 1 Coríntios 10:24.

 ZACHARY

Quando eu tinha 16 anos, fui diagnosticado com uma forma agressiva de tumor cerebral. Os médicos me disseram que eu só tinha mais oito meses de vida. Desde então, tenho lutado pela minha vida.

Por causa da localização dos tumores, o lado direito do meu corpo é paralisado. Visto que não posso andar, alguém sempre tem que estar em casa para me ajudar.

A piora da minha doença dificultou minha habilidade de falar com clareza. Antes eu era muito ativo e gostava de esqui aquático, basquete e vôlei. Como Testemunha de Jeová, eu era muito zeloso na pregação. Acho que a maioria das pessoas não entende o que é perder a capacidade de fazer as coisas que você tanto ama.

As palavras de Isaías 57:15 são muito encorajadoras para mim porque me dão a garantia de que Jeová está do lado dos que têm um ‘espírito quebrantado’ e de que ele se preocupa comigo. Também, em Isaías 35:6 Jeová promete que vou poder caminhar de novo e servi-lo com saúde perfeita.

Às vezes, é muito difícil lidar com a minha doença, mas tenho certeza de que Jeová está do meu lado. Por meio da oração, sempre tenho alguém com quem falar quando estou triste ou sinto medo de morrer. Nada pode me separar do amor de Jeová. — Romanos 8:39.

Zachary faleceu aos 18 anos, dois meses depois de ser entrevistado. Sua fé na promessa de Deus de uma ressurreição para a vida numa Terra paradísica continuou firme até o fim.

Para pensar: Como a oração pode ajudar você, assim como ajudou Zachary, a permanecer no amor de Deus?

 ANAÏS

Quando eu tinha apenas alguns dias de vida, uma hemorragia cerebral me deixou com uma deficiência que afeta meu corpo inteiro, especialmente as pernas.

Hoje, consigo percorrer pequenas distâncias com um andador, mas geralmente preciso de uma cadeira de rodas para me locomover. Também tenho espasmos que tornam difícil fazer coisas que exigem movimentos precisos, como escrever.

Além das dificuldades causadas por minha doença, o tratamento também tem sido desafiador. Desde que me lembro, faço fisioterapia algumas vezes por semana. Fiz minha primeira grande cirurgia quando tinha 5 anos, e já fiz outras três desde então. As duas últimas foram especialmente difíceis porque tive que ficar três meses longe de casa durante a recuperação.

Minha família tem sido de grande ajuda. Nós rimos juntos, e isso me anima bastante quando estou triste. Minha mãe e minhas irmãs me ajudam a me arrumar, pois não consigo fazer isso sozinha. Uma coisa que eu gostaria muito de fazer é usar salto alto. Mas, pensando bem, eu já fiz isso: quando era criança, eu coloquei os sapatos nas mãos e saí engatinhando, e todos nós demos muitas risadas!

Tento não permitir que a minha situação defina quem eu sou. Eu estudo idiomas. Também gosto de nadar, já que não posso surfar nem praticar snowboard. Como sou Testemunha de Jeová, gosto de sair na pregação e falar da minha fé a outros. E as pessoas parecem prestar bastante atenção quando eu falo com elas.

Meus pais me ensinaram desde pequena que minha situação é temporária. Hoje, já desenvolvi minha própria fé em Jeová e em sua promessa de acabar com todo o sofrimento, incluindo o meu. Isso me dá força para continuar. — Revelação 21:3, 4.

Para pensar: De que maneiras você, assim como Anaïs, pode impedir que seu problema de saúde “defina” quem você é?

 JULIANA

Tenho uma doença autoimune dolorosa que pode afetar o coração, os pulmões e o sangue. Ela já afetou meus rins.

Eu tinha 10 anos quando fui diagnosticada com lúpus, que tem me causado dor, cansaço e alterações de humor. Às vezes, eu me sinto uma inútil.

Quando eu tinha 13 anos, uma Testemunha de Jeová bateu em nossa casa. Ela leu Isaías 41:10, em que Deus diz: “Não tenhas medo, pois estou contigo. . . . Vou deveras segurar-te firmemente com a minha direita de justiça.” Foi então que comecei a estudar a Bíblia com as Testemunhas de Jeová. Hoje, uns oito anos depois, sirvo a Deus de todo o coração e estou decidida a não permitir que minha doença controle a minha vida. Sinto que Jeová tem me dado “poder além do normal”, e isso me ajuda a manter uma atitude positiva. — 2 Coríntios 4:7.

Para pensar: Como Isaías 41:10 pode ajudar você a manter uma atitude positiva, assim como ajudou Juliana?