Pular para conteúdo

Pular para sumário

Um povo pacífico defende seu bom nome

Um povo pacífico defende seu bom nome

NOTA PARA OS CIDADÃOS DA RÚSSIA: Com a publicação deste relato, dezenas de milhões de pessoas em mais de 230 terras ficarão sabendo de uma repressão injustificada contra a liberdade de adoração na Rússia. A Sentinela é a revista mais amplamente traduzida e distribuída no mundo. Este artigo aparecerá em 188 idiomas. Mais de 40 milhões de exemplares serão impressos. Algumas autoridades talvez não queiram que a comunidade internacional saiba o que está acontecendo com as Testemunhas de Jeová na Rússia. Mas as palavras de Jesus se mostrarão verdadeiras: “Não há nada cuidadosamente oculto que não venha a ser revelado, nem secreto que não venha a ser conhecido.” — LUCAS 12:2.

EM DEZEMBRO de 2009 e janeiro de 2010, dois dos principais tribunais da Rússia declararam que as Testemunhas de Jeová são uma denominação religiosa extremista. A História parece se repetir. Quando os soviéticos governavam a Rússia, milhares de Testemunhas de Jeová foram injustamente acusadas de ser inimigas da nação. Elas foram exiladas, enviadas para prisões e para campos de trabalhos forçados. Depois da queda daquele regime, as Testemunhas de Jeová foram inocentadas. O novo governo restabeleceu oficialmente o bom nome delas. * Agora, mais uma vez, algumas pessoas parecem determinadas a difamar as Testemunhas de Jeová.

No começo de 2009, as autoridades lançaram um ataque contra a liberdade religiosa das Testemunhas de Jeová. Só no mês de fevereiro, alguns promotores realizaram mais de 500 investigações por todo o país. Com que objetivo? Identificar supostas violações da lei por parte das Testemunhas de Jeová. Nos meses seguintes, a polícia invadiu reuniões religiosas pacíficas nos Salões do Reino e em casas particulares. Confiscaram publicações e objetos pessoais. As autoridades deportaram advogados estrangeiros que estavam ajudando a defender as Testemunhas de Jeová e os impediram de voltar ao país.

 Em 5 de outubro de 2009, alguns funcionários da alfândega confiscaram uma remessa de publicações bíblicas na fronteira perto de São Petersburgo. O material havia sido impresso na Alemanha e destinava-se a um grande número de congregações na Rússia. Um grupo especial de agentes alfandegários russos, que lidam com contrabando perigoso, verificou o carregamento. Por quê? Um documento oficial dizia que a remessa podia conter material cujo objetivo era incitar discórdia religiosa.

A onda de hostilização logo atingiu um ponto crítico. Os Supremos Tribunais da Federação Russa e da República de Altai (uma parte da Rússia) declararam que várias publicações usadas pelas Testemunhas de Jeová, incluindo a revista que você está lendo, são extremistas. As Testemunhas de Jeová entraram com um processo de apelação, e a comunidade internacional expressou sua preocupação — mas de nada adiantou. As decisões ainda vigoram e tornam ilegais a importação ou distribuição de publicações bíblicas na Rússia.

Como as Testemunhas de Jeová reagiram a esses esforços de manchar sua reputação e restringir suas atividades? E como as decisões dos tribunais afetam a liberdade de religião de todos os cidadãos russos?

Uma resposta imediata à crescente ameaça

Na sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010, cerca de 160 mil Testemunhas de Jeová em toda a Rússia começaram a distribuir 12 milhões de exemplares de um tratado especial intitulado Acontecerá novamente? Uma pergunta para os cidadãos da Rússia. Por exemplo, na cidade siberiana de Usol’ye-Sibirskoye, centenas de Testemunhas de Jeová se reuniram nas ruas às 5h30 da manhã. Entre elas estavam alguns que haviam sido exilados para a Sibéria em 1951 por causa de sua fé. Eles enfrentaram uma temperatura de 40 graus negativos (-40°C) para distribuir sua cota de 20 mil tratados.

Para anunciar a campanha de três dias, as Testemunhas de Jeová deram uma entrevista coletiva em Moscou, a capital da Rússia. Entre os convidados a falar estava o Sr. Lev Levinson, um perito do Instituto dos Direitos Humanos. Ele relatou brevemente as hostilizações e perseguições absurdas que as Testemunhas de Jeová enfrentaram na Alemanha nazista e na União Soviética, e falou da subsequente absolvição oficial das Testemunhas de Jeová. Ele também disse: “Todas as denominações religiosas perseguidas durante o regime soviético foram reabilitadas por meio de um  decreto do Presidente Yeltsin. E tudo que perderam devia ser devolvido a elas. As Testemunhas de Jeová não tinham nenhuma propriedade em poder da União Soviética, mas elas recuperaram o seu bom nome.”

Mais uma vez esse bom nome está sendo ameaçado. “O mesmo país que lamentou os fatos que ocorreram no passado”, disse o Sr. Levinson, “está agora fazendo uma perseguição totalmente sem base a essas pessoas”.

A campanha é bem recebida

Será que essa campanha com o tratado atingiu seu objetivo? O Sr. Levinson disse: “No caminho para a entrevista coletiva vi pessoas no metrô lendo um pequeno folheto que as Testemunhas de Jeová estão distribuindo em toda a Rússia hoje. . . . As pessoas estão lendo o tratado, e com muita atenção.” * Veja por exemplo os seguintes relatos.

Uma senhora idosa de uma região de maioria muçulmana no centro da Rússia aceitou o tratado e perguntou sobre o que era. Quando lhe disseram que falava sobre os direitos humanos e as liberdades na Rússia, ela exclamou: “Até que enfim alguém está trazendo isso à atenção! Nesse assunto, a Rússia está voltando aos dias da União Soviética. Muito obrigada. Parabéns pelo trabalho!”

Quando o tratado foi oferecido a uma senhora em Chelyabinsk, ela disse: “Já recebi e li esse tratado. Sou totalmente a favor de vocês. Não conheço outra religião que defenderia sua fé de uma forma tão organizada. Gosto do jeito como vocês se vestem. Sempre falam com tato e realmente têm certeza daquilo em que acreditam. Eu acho que Deus está com vocês.”

 Em São Petersburgo, perguntou-se a um homem que já havia recebido o tratado se ele tinha gostado. “Sim”, respondeu. “Quando o li, fiquei comovido e até chorei. Minha avó foi perseguida [durante o regime soviético] e me contou várias coisas sobre as pessoas que foram presas com ela. Havia muitos criminosos, mas também havia inocentes que foram presos por causa de sua fé. Acho que todos deveriam ficar sabendo do que aconteceu, por isso vocês estão fazendo a coisa certa.”

O que o futuro tem em reserva para a Rússia?

As Testemunhas de Jeová na Rússia têm usufruído certa medida de liberdade nas últimas duas décadas e valorizam isso. Mesmo assim, elas sabem muito bem que essa liberdade pode acabar de uma hora para a outra. Se essa recente onda de calúnia contra elas é um sinal de que a Rússia terá um novo período tenebroso de repressão, o tempo dirá.

Ainda assim, as Testemunhas de Jeová estão decididas a continuar pregando a mensagem bíblica de paz e esperança, não importa o que aconteça. O tratado especial resume bem sua determinação: “Nenhuma repressão será bem-sucedida. Nunca deixaremos de falar com tato e respeito sobre Jeová Deus e sua Palavra, a Bíblia. (1 Pedro 3:15) Não paramos quando enfrentamos os horrores da Alemanha nazista. Não paramos nos momentos mais tenebrosos de repressão em nosso país. E não vamos parar agora. — Atos 4:18-20.”

^ parágrafo 13 Horas antes da entrevista coletiva, as congregações das Testemunhas de Jeová em Moscou começaram a distribuir o tratado.