Pular para conteúdo

Pular para sumário

Você Sabia?

Você Sabia?

 Você Sabia?

Além do vinho, que outras bebidas alcoólicas eram feitas nos tempos bíblicos?

▪ ‘Vinho e bebida inebriante’ são mencionados juntos com frequência na Bíblia. (Deuteronômio 14:26; Lucas 1:15) A expressão “bebida inebriante” não quer dizer que essas bebidas eram produto de destilação, visto que esse processo só foi inventado séculos mais tarde. Essas bebidas não eram feitas só de frutas como uva, tâmara, figo, maçã e romã, mas também de mel.

O termo “bebida inebriante” também podia se referir à cerveja. A palavra hebraica traduzida por “bebida inebriante” está relacionada a uma palavra acadiana que pode se referir à cerveja de cevada comum da Mesopotâmia. Essa bebida tinha baixo teor alcoólico, mas se uma pessoa bebesse em excesso podia ficar embriagada. (Provérbios 20:1) Em antigos túmulos egípcios, foram encontradas maquetes em argila que representavam locais de produção de cerveja e pinturas de produtores de cerveja. Em Babilônia, a cerveja era uma bebida do dia a dia tanto em palácios como nas casas dos pobres. Os filisteus tinham uma bebida semelhante. Os arqueólogos encontraram por toda Palestina jarros equipados com coador na ponta. Esses recipientes coavam a cerveja para que quem bebesse não engolisse o bagaço da cevada com a qual se fazia a cerveja.

Nos dias do apóstolo Paulo, por que era especialmente perigoso navegar em certas épocas do ano?

▪ Por causa de ventos desfavoráveis, um barco em que o apóstolo Paulo estava viajando gastou um bom tempo tentando navegar para oeste ao longo da costa da Ásia Menor. O relato da Bíblia diz que em certo ponto da viagem tornou-se “perigoso navegar, porque até mesmo o jejum do dia da expiação já passara”. Paulo disse aos que viajavam com ele que qualquer tentativa de continuar a viagem podia provocar a perda “não só da carga e do barco, mas também [das suas] almas”. — Atos 27:4-10.

O jejum do Dia da Expiação era no fim de setembro ou no início de outubro. Os marinheiros romanos sabiam que as viagens em geral eram seguras de 27 de maio a 14 de setembro. Entre essa última data e 11 de novembro, dizia-se que a segurança era incerta, e de 11 de novembro a 10 de março, as viagens marítimas em geral estavam suspensas. Uma razão era a instabilidade do tempo, como a experiência posterior de Paulo mostrou vividamente. (Atos 27:13-44) Os marinheiros podiam ter de enfrentar tempestades violentas e dificuldades maiores ao navegar. As nuvens escondiam o Sol de dia e as estrelas de noite. O nevoeiro e a chuva também diminuíam a visibilidade e escondiam possíveis perigos.

[Foto na página 23]

MODELO EGÍPCIO EM MADEIRA DE GARRAFAS DE CERVEJA

[Crédito]

Erich Lessing/Art Resource, NY

[Foto na página 23]

NAVIO DE CARGA ROMANO c. 100-200 EC

[Crédito]

Pictorial Archive (Near Eastern History) Est.