Pular para conteúdo

Pular para sumário

A Bíblia muda a vida das pessoas

A Bíblia muda a vida das pessoas

 A Bíblia muda a vida das pessoas

O QUE motivou um rastafári a cortar seu longo cabelo trançado e a vencer seu preconceito contra os brancos? E o que fez com que um jovem violento que trabalhava para traficantes de drogas mudasse sua vida? Veja o que essas pessoas têm a dizer.

“Até mesmo venci o preconceito.” — HAFENI NGHAMA

IDADE: 34

PAÍS DE ORIGEM: ZÂMBIA

HISTÓRICO: RASTAFÁRI

MEU PASSADO: Nasci num campo de refugiados em Zâmbia. Minha mãe havia fugido da Namíbia durante a guerra e tinha entrado para a Organização do Povo da África do Sudoeste (Swapo, sigla em inglês). Essa organização lutava contra o regime sul-africano que governava a Namíbia naquela época.

Morei em vários campos de refugiados durante os primeiros 15 anos de minha vida. Os jovens nos campos da Swapo eram treinados para ser pioneiros do movimento de libertação. Éramos politicamente doutrinados e ensinados a odiar as pessoas brancas.

Aos 11 anos, quis ser crismado numa igreja no campo. Nessa igreja havia uma mistura de católicos-romanos, luteranos, anglicanos e outros. Falei com um pastor que me incentivou a não fazer isso. Dali em diante, me tornei ateu. Mas com 15 anos, meu amor pelo reggae e meu desejo de lutar contra as injustiças sofridas pelos negros africanos me levaram a entrar para o movimento rastafári. Deixei meu cabelo crescer no estilo rastafári e comecei a fumar maconha. Parei de comer carne e passei a defender a liberdade dos negros, mas continuei a levar uma vida imoral e a assistir a filmes violentos. E ainda usava linguagem vulgar.

COMO A BÍBLIA MUDOU MINHA VIDA: Em 1995, quando eu tinha cerca de 20 anos, comecei a pensar seriamente sobre o rumo que devia dar à minha vida. Estudava todas as publicações rastafári que encontrava. Algumas delas falavam sobre a Bíblia, mas as explicações não faziam sentido para mim. Assim, decidi ler a Bíblia sozinho.

Depois, um amigo rastafári me deu um livro para estudo da Bíblia publicado pelas Testemunhas de Jeová. Estudei sozinho essa publicação, usando a Bíblia. Mais tarde, conheci as Testemunhas de Jeová e passei a estudar com elas.

Com grande esforço, comecei a beber menos e parei de fumar. (2 Coríntios 7:1) Melhorei  minha aparência, cortei meu cabelo, deixei de ver pornografia e filmes violentos, e de usar linguagem vulgar. (Efésios 5:3, 4) Com o tempo, eu até mesmo venci o preconceito contra os brancos. (Atos 10:34, 35) Para fazer essas mudanças, precisei deixar de ouvir música que incentivava o racismo e tive de cortar a amizade com pessoas que tentavam me influenciar a voltar ao meu antigo estilo de vida.

Após fazer essas mudanças, procurei um Salão do Reino das Testemunhas de Jeová e disse que queria me tornar uma delas. Quando decidi me batizar, minha família não gostou. Minha mãe disse para eu escolher qualquer religião “cristã”, menos as Testemunhas de Jeová. Um dos meus tios, que tinha um cargo importante no governo, criticava o tempo todo minha decisão de me associar com as Testemunhas de Jeová.

No entanto, aprender sobre como Jesus tratava as pessoas e aplicar seus conselhos na vida me ajudou a lidar com oposição e zombaria. Ao comparar o que as Testemunhas de Jeová ensinam com o que a Bíblia diz, fiquei convencido de que tinha encontrado a religião verdadeira. Por exemplo, elas obedecem à ordem bíblica de pregar a outros. (Mateus 28:19, 20; Atos 15:14) E não se envolvem na política. — Salmo 146:3, 4; João 15:17, 18.

COMO FUI BENEFICIADO: Aprender a viver de acordo com os padrões da Bíblia me ajudou de maneira prática. Por exemplo, ao deixar de fumar maconha parei de desperdiçar centenas de dólares todos os meses. Não tenho mais alucinações, e minha saúde mental e física melhorou.

Agora minha vida tem objetivo, algo que desejei desde a juventude. E mais importante de tudo, consegui me achegar a Deus. — Tiago 4:8.

“Aprendi a controlar minha raiva.” — MARTINO PEDRETTI

IDADE: 43

PAÍS DE ORIGEM: AUSTRÁLIA

HISTÓRICO: TRAFICANTE DE DROGAS

MEU PASSADO: Quando eu era criança, minha família se mudava com frequência. Morei em pequenas cidades e numa grande metrópole, e durante um tempo numa missão aborígine no interior da Austrália. Tenho boas lembranças daquele tempo que passei com meus primos e tios — pescando, caçando, fazendo bumerangues e outras coisas em madeira.

 Meu pai era boxeador e começou a me ensinar a lutar quando eu era bem jovem. A violência passou a fazer parte da minha vida. Na adolescência, bebia muito em bares. Eu e meus amigos gostávamos de procurar briga. Usávamos facas e bastões de beisebol para agredir grupos de até 20 pessoas ou mais.

Ganhava dinheiro vendendo drogas e produtos roubados por pessoas que trabalhavam no porto. Também fazia cobranças para traficantes de drogas e ameaçava os devedores, usando fuzis e revólveres. Queria me tornar um assassino. Meu lema era: matar ou morrer.

COMO A BÍBLIA MUDOU MINHA VIDA: Quando eu era criança, ouvia falar das Testemunhas de Jeová. Aos 20 e poucos anos, lembro de perguntar a minha mãe se ela sabia onde eu podia encontrá-las. Dois dias depois, Dixon, que é Testemunha de Jeová, bateu na minha porta. Após uma breve conversa, ele me convidou para ir a uma de suas reuniões cristãs. Fui àquela reunião e nunca mais parei de assistir a elas, isso já por mais de 20 anos. Toda pergunta que eu fazia, as Testemunhas de Jeová respondiam usando a Bíblia.

Fiquei feliz de aprender que Jeová se interessa pelas pessoas, até mesmo pelos ímpios. (2 Pedro 3:9) Descobri que ele é um Pai amoroso que cuidaria de mim, mesmo que ninguém mais cuidasse. Também fiquei aliviado de saber que ele perdoaria os meus pecados se eu mudasse de vida. Os versículos bíblicos em Efésios 4:22-24 tiveram um grande impacto sobre mim. Essa passagem me incentivou a “pôr de lado a velha personalidade” e a me “revestir da nova personalidade, que foi criada segundo a vontade de Deus”.

Demorei para mudar de vida. Durante a semana eu nem tocava em drogas, mas no fim de semana, com meus amigos, acabava cedendo. Percebi que se quisesse limpar a minha vida, tinha de ficar longe daquelas companhias. Por isso, decidi mudar para outro Estado. Alguns amigos se ofereceram para me acompanhar até lá, e eu aceitei. Na viagem, eles começaram a fumar maconha e ofereceram para mim. Eu disse que estava abandonando esses vícios. Nós nos separamos na fronteira do Estado. Mais tarde fiquei sabendo que pouco depois meus amigos, com uma arma de cano serrado, assaltaram um banco.

COMO FUI BENEFICIADO: Assim que cortei a amizade com esses colegas, vi que era muito mais fácil fazer as mudanças necessárias em minha vida. Em 1989, me batizei como Testemunha de Jeová. Depois, minha irmã, minha mãe e meu pai também passaram a servir a Jeová.

Estou casado já por 17 anos e tenho três lindos filhos. Aprendi a controlar minha raiva, mesmo quando alguém me provoca. E aprendi a amar pessoas de todas as ‘tribos, raças e línguas’. (Revelação [Apocalipse] 7:9) Sinto que as palavras de Jesus se aplicam no meu caso. Ele disse: “Se permanecerdes na minha palavra, sois realmente meus discípulos, e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” — João 8:31, 32.

[Destaque na página 19]

Para fazer mudanças, precisei deixar de ouvir música que incentivava o racismo

[Destaque na página 20]

Eu e meus amigos gostávamos de procurar briga. Usávamos facas e bastões de beisebol para agredir grupos de até 20 pessoas ou mais