Pular para conteúdo

Pular para sumário

O novo nascimento — O que ele torna possível?

O novo nascimento — O que ele torna possível?

 O novo nascimento — O que ele torna possível?

POR QUE Jesus usou a expressão ‘nascer de espírito’ ao falar sobre o batismo com espírito santo? (João 3:5) Quando usada em sentido figurado, a palavra “nascimento” significa “começo”, como na expressão “o nascimento de uma nação”. Assim, a expressão “novo nascimento” indica um “novo começo”. Portanto, as expressões figuradas “nascer” e “novo nascimento” destacam que haverá um novo começo no relacionamento entre Deus e aqueles que são batizados com espírito santo. Como ocorre essa completa mudança de relacionamento?

Ao explicar como Deus prepara humanos para governar no céu, o apóstolo Paulo usou uma ilustração baseada na vida familiar. Ele escreveu aos cristãos nos seus dias que eles receberiam uma “adoção como filhos” e que Deus, portanto, poderia tratá-los “como a filhos”. (Gálatas 4:5; Hebreus 12:7) Para ver como o exemplo da adoção ajuda a entender que tipo de mudança acontece quando uma pessoa é batizada com espírito santo, considere mais uma vez a ilustração do jovem que quer se matricular numa escola para alunos que pertencem a uma população indígena.

Mudança causada pela adoção

Na ilustração, o jovem não pode se matricular na escola porque não é membro da população indígena. Agora, imagine que um dia ocorre uma grande mudança. Ele é legalmente adotado por um pai de uma família indígena. Como isso afeta o jovem? Bem, por ser adotado como filho, ele agora pode ter os mesmos direitos de outros jovens indígenas — incluindo o direito de se matricular naquela escola. A adoção mudou completamente suas perspectivas.

Isso ilustra o que acontece de modo muito mais significativo aos que nascem de novo. Veja estas similaridades. O jovem da ilustração terá uma vaga na escola apenas se satisfizer o requisito para a admissão: pertencer à população indígena. Mas ele não tem condições de satisfazer esse requisito por si mesmo. De modo similar, alguns humanos terão um lugar no Reino de Deus, ou governo celestial, apenas se satisfizerem o requisito para a admissão, ou seja, “nascer de novo”. Mas eles não conseguem satisfazer esse requisito sozinhos, porque o novo nascimento depende de Deus.

O que mudou a condição do jovem? O processo legal de adoção. É claro que o processo  não mudou a natureza do jovem. Após a adoção, ele continuou sendo o mesmo. Ainda assim, depois que os requisitos legais para adoção foram satisfeitos, a situação do jovem mudou. De fato, ele teve um novo começo — um novo nascimento, por assim dizer. Ele se tornou filho, o que lhe deu o direito de freqüentar a escola e de fazer parte da família de seu pai adotivo.

De modo similar, Jeová mudou a situação de um grupo de humanos imperfeitos por dar início a um processo legal a fim de adotá-los como filhos. O apóstolo Paulo, que pertencia a esse grupo, escreveu a seus companheiros cristãos: “Recebestes um espírito de adoção, como filhos, espírito pelo qual clamamos: ‘Aba, Pai!’ O próprio espírito dá testemunho com o nosso espírito de que somos filhos de Deus.” (Romanos 8:15, 16) De fato, por meio do processo de adoção, aqueles cristãos haviam se tornado parte da família de Deus, ou “filhos de Deus”. — 1 João 3:1; 2 Coríntios 6:18.

É claro que a adoção não mudou a natureza dos adotados, pois eles continuaram imperfeitos. (1 João 1:8) Apesar disso, Paulo acrescentou que, depois que os requisitos legais para adoção foram satisfeitos, eles entraram numa nova situação. Ao mesmo tempo, o espírito de Deus implantou nesses filhos adotivos a convicção de que viveriam com Cristo no céu. (1 João 3:2) Essa inconfundível convicção, proporcionada pelo espírito santo, deu-lhes uma visão inteiramente nova da vida. (2 Coríntios 1:21, 22) De fato, eles tiveram um novo começo — um novo nascimento, por assim dizer.

Falando sobre os filhos adotivos de Deus, a Bíblia declara: “Serão sacerdotes de Deus e do Cristo, e reinarão com ele durante os mil anos.” (Revelação [Apocalipse] 20:6) Com Cristo, os filhos adotivos de Deus receberão um lugar como reis no Reino de Deus, ou governo celestial. O apóstolo Pedro disse a outros cristãos que eles receberiam “uma herança incorruptível, e imaculada, e imarcescível”, que está “reservada nos céus” para eles. (1 Pedro 1:3, 4) De fato, uma herança maravilhosa!

Mas essa questão de governo também levanta uma pergunta. Se os que nascem de novo governarão como reis no céu, sobre quem eles governarão? Essa pergunta será considerada no próximo artigo.

[Foto na página 10]

O que Paulo disse sobre adoção?