Pular para conteúdo

Pular para sumário

Alguns governam, muitos se beneficiam

Alguns governam, muitos se beneficiam

 Alguns governam, muitos se beneficiam

DESDE os dias dos apóstolos, Deus tem escolhido dentre a humanidade um número limitado de cristãos fiéis, adotando-os como filhos. A mudança pela qual esses filhos adotivos passam é tão grande que a Palavra de Deus a descreve como um novo nascimento. O objetivo do novo nascimento é preparar esses servos de Deus que nasceram de novo para se tornarem governantes no céu. (2 Timóteo 2:12) E para se tornarem governantes, eles são ressuscitados para a vida celestial. (Romanos 6:3-5) No céu, eles vão “reinar sobre a terra” com Cristo. — Revelação (Apocalipse) 5:10; 11:15.

Mas a Palavra de Deus também diz que outros além dos que nasceram de novo receberão a salvação eterna. A Bíblia (tanto nas Escrituras Hebraicas como nas Escrituras Gregas Cristãs) menciona que o propósito de Deus é salvar dois grupos de pessoas — um  grupo relativamente pequeno de governantes para viver no céu e um grande grupo de súditos para viver na Terra. Note, por exemplo, o que o apóstolo João escreveu a outros cristãos que tinham nascido de novo. Ele disse a respeito de Jesus: “Ele é um sacrifício propiciatório pelos nossos pecados, contudo, não apenas pelos nossos [o grupo pequeno], mas também pelos do mundo inteiro [o grupo grande].” — 1 João 2:2.

De modo similar, o apóstolo Paulo escreveu: “A expectativa ansiosa da criação [o grupo grande] está esperando a revelação dos filhos de Deus [o grupo pequeno].” (Romanos 8:19-21) Como as palavras dos apóstolos João e Paulo devem ser entendidas? Da seguinte maneira: Os que nascem de novo se tornarão parte de um governo no céu. Com que objetivo? Trazer benefícios eternos a milhões de pessoas, os súditos do governo de Deus que estarão vivendo na Terra. Por isso, Jesus ensinou seus seguidores a orar: “Venha o teu reino. Realize-se a tua vontade, como no céu, assim também na terra.” — Mateus 6:10.

Essa mesma verdade sobre a salvação de dois grupos encontra-se nas Escrituras Hebraicas. Veja, por exemplo, o que Jeová disse a Abraão, antepassado de Jesus: “Todas as nações da terra [o grupo grande] hão de abençoar a si mesmas por meio de teu descendente [o grupo pequeno].” (Gênesis 22:18) De fato, bênçãos estariam disponíveis a todas as nações por meio do “descendente” de Abraão.

Quem é esse “descendente”? Jesus Cristo, junto com os que nasceram de novo, os filhos adotivos de Deus. O apóstolo Paulo explica: “Se pertenceis a Cristo, sois realmente descendente de Abraão.” (Gálatas 3:16, 29) E quais são as bênçãos que as pessoas de todas as nações terão por meio do “descendente”? O privilégio de terem novamente o favor de Deus e de usufruírem a vida sem fim num paraíso na Terra. O salmista Davi profetizou: “Os próprios justos possuirão a terra e residirão sobre ela para todo o sempre.” — Salmo 37:29; Isaías 45:18; Revelação 21:1-5.

De fato, governar no céu foi reservado para alguns, mas os benefícios do governo celestial — a vida eterna na Terra e todas as outras bênçãos — estão ao alcance de muitos. Que você e sua família estejam entre os que colherão os benefícios eternos que o Reino de Deus trará.

[Foto na página 12]

Milhões serão abençoados com a vida eterna na Terra. Você estará entre eles?