Pular para conteúdo

Pular para sumário

A Palavra era “Deus” ou “um deus”?

A Palavra era “Deus” ou “um deus”?

OS TRADUTORES da Bíblia precisam pensar nessa pergunta quando traduzem o primeiro versículo do Evangelho de João. Na Tradução do Novo Mundo, esse versículo é vertido assim: “No princípio era a Palavra, e a Palavra estava com o Deus, e a Palavra era um deus.” (João 1:1) Outras traduções vertem a última parte desse versículo de um modo que transmite a idéia de que a Palavra era “divina”, ou algo similar. (A New Translation of the Bible, de James Moffatt; The New English Bible) No entanto, muitas traduções vertem essa parte de João 1:1 da seguinte forma: “E a Palavra era Deus.” — Bíblia Sagrada — Nova Versão Internacional; Bíblia Pastoral.

A gramática grega e o contexto indicam fortemente que o modo como a Tradução do Novo Mundo verte esse versículo é correto e que “a Palavra” não deve ser associada com o “Deus” mencionado antes nesse versículo. Mas o fato de que a língua grega do primeiro século não tinha artigo indefinido (“um”) levanta dúvidas na mente de alguns. É por esse motivo que uma tradução da Bíblia numa língua falada nos primeiros séculos de nossa Era Comum é muito interessante.

 Essa língua é o dialeto saídico do copta. O idioma copta era falado no Egito nos séculos que vieram logo após o ministério de Jesus, e o dialeto saídico era uma forma literária inicial desse idioma. Com respeito às primeiras traduções cópticas da Bíblia, o The Anchor Bible Dictionary (Dicionário Bíblico Anchor) diz: “Visto que a [Septuaginta] e as [Escrituras Gregas Cristãs] foram traduzidas para o copta durante o terceiro século EC, a versão cóptica teve como base os [manuscritos gregos], que são bem mais antigos que a grande maioria dos manuscritos existentes.”

O texto copta saídico é especialmente interessante por dois motivos. Primeiro, conforme indicado acima, ele reflete o modo como se entendia os ensinamentos bíblicos antes do quarto século, época em que a Trindade se tornou uma doutrina oficial. Segundo, a gramática cóptica é parecida com as gramáticas inglesa e portuguesa em um aspecto importante. As primeiras traduções das Escrituras Gregas Cristãs foram para os idiomas siríaco, latim e copta. O siríaco e o latim, assim como o grego daqueles dias, não têm artigo indefinido, mas o copta tem. Além disso, o erudito Thomas O. Lambdin, em sua obra Introduction to Sahidic Coptic (Introdução ao Copta Saídico) diz: “O uso dos artigos cópticos, tanto o definido como o indefinido, é bem parecido ao uso dos artigos em inglês.”

Assim, a tradução cóptica fornece uma evidência interessante de como João 1:1 era entendido naquela época. Que evidência é essa? A tradução copta saídica usa um artigo indefinido junto com a palavra “deus” na última parte de João 1:1. Portanto, quando vertido para o português moderno, esse texto fica assim: “E a Palavra era um deus.” Pelo visto, aqueles tradutores antigos perceberam que as palavras de João registradas em João 1:1 não significavam que Jesus devia ser associado com o Deus Todo-Poderoso. A Palavra era um deus, não o Deus Todo-Poderoso.