Pular para conteúdo

Pular para sumário

A revisão de 2013 da Tradução do Novo Mundo

A revisão de 2013 da Tradução do Novo Mundo

AO LONGO dos anos, a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas em inglês foi revisada algumas vezes, mas a revisão de 2013 foi muito mais completa. Por exemplo, o texto atual tem cerca de 10% menos palavras. Alguns termos bíblicos importantes foram mudados. Vários capítulos agora estão em forma de versos, e notas esclarecedoras foram acrescentadas à edição normal. Seria impossível considerar neste artigo todas as mudanças, mas vamos ver alguns dos principais ajustes feitos.

Que termos bíblicos importantes foram mudados? Como mencionado no artigo anterior, a tradução de “Seol”, “Hades” e “alma” foi revisada. Mas vários outros termos também foram ajustados.

Por exemplo, “conduta desenfreada” mudou para “conduta insolente”, expressando melhor a ideia do termo grego, de uma atitude descarada. A palavra em inglês para “longanimidade”, usada anteriormente, podia levar à ideia equivocada de um sofrimento prolongado; “paciência” transmite melhor o sentido correto. “Fornicação” foi em geral substituída por “imoralidade sexual”, que é mais fácil de entender hoje em dia. (Gál. 5:19-22) Em vez de “benevolência”, o termo usado agora é “amor leal”. Essa tradução exata expressa bem o significado desse termo bíblico, que geralmente é usado em paralelo com “fidelidade”. — Sal. 36:5; 89:1.

Alguns termos eram quase sempre traduzidos da mesma maneira, mas agora são traduzidos de acordo com o contexto. Por exemplo, a palavra hebraica ʽohlám, anteriormente vertida “tempo indefinido”, pode ter o sentido de “para sempre”. Veja como isso afeta a tradução de versículos como o Salmo 90:2, que transmite a ideia de eternidade, e Miqueias 5:2, que se refere a um período limitado.

Os termos hebraico e grego em geral traduzidos como “semente” em inglês aparecem várias vezes nas Escrituras, tanto no sentido agrícola como no  sentido figurado de “descendência”. Edições anteriores da Tradução do Novo Mundo em inglês usavam a palavra “semente” todas as vezes que esses termos apareciam, incluindo em Gênesis 3:15. Mas atualmente não é comum em inglês usar a palavra “semente” no sentido de “descendência”; por isso, a edição revisada usa “descendente” ou “descendência”. (Gên. 3:15; 22:17, 18; Apo. 12:17) Outras ocorrências são traduzidas de acordo com o contexto. — Gên. 1:11; Sal. 22:30; Isa. 57:3.

Por que muitas traduções literais foram ajustadas? O Apêndice A1 da revisão de 2013 diz que uma boa tradução da Bíblia deve “transmitir o sentido correto de uma palavra ou frase quando uma tradução literal distorcer ou obscurecer seu significado”. Quando expressões idiomáticas da língua original fazem sentido em outras línguas, elas são traduzidas literalmente. Por exemplo, a expressão ‘examinar o coração’, em Apocalipse 2:23, faz sentido em muitos idiomas. Mas, no mesmo versículo, ‘examinar os rins’ não seria tão claro; assim, “rins” foi mudado para “os pensamentos mais íntimos”, refletindo o sentido original. De modo similar, em Deuteronômio 32:14, a expressão original “a gordura de rins de trigo” foi traduzida de forma mais clara como “o melhor trigo”. Outro caso é a expressão “sou de lábios incircuncisos”, que na maioria dos idiomas não é tão clara como “tenho dificuldade para falar”. — Êxo. 6:12.

Por que a expressão “menino órfão de pai” agora é traduzida apenas como “órfão”? Em hebraico, geralmente o gênero masculino ou o feminino são usados para identificar se o termo se refere a um homem ou a uma mulher. Mas, assim como em português, algumas palavras masculinas podem abranger os dois gêneros, como no caso de “filhos de Israel”. De modo similar, a expressão “menino órfão de pai” pode se referir a um menino ou a uma menina e por isso foi traduzida em inglês como “criança órfã de pai” ou simplesmente “órfão”. (Deut. 10:18; Jó 6:27) Essa tradução é parecida com a forma usada na Septuaginta grega. Esse princípio também levou à mudança da frase “nos dias da tua idade viril” para “nos dias da sua juventude”, em Eclesiastes 12:1.

Por que a tradução de vários verbos hebraicos foi simplificada? Os verbos hebraicos têm dois aspectos principais: o imperfeito, que indica ação contínua, e o perfeito, que indica ação completa. Para verter os verbos imperfeitos hebraicos, as edições anteriores da Tradução do Novo Mundo usavam expressões auxiliares, como “passar a” ou “prosseguir”, indicando ação contínua ou repetida. * Expressões enfáticas, como “certamente”, “ter de” e “deveras” eram usadas para transmitir a ação completa dos verbos perfeitos.

Na edição revisada de 2013, essas expressões auxiliares só são usadas quando isso é essencial para transmitir o sentido. Por exemplo, não há necessidade de enfatizar que a frase: “Que haja luz” foi dita por Deus repetidamente. Por isso, na revisão, o verbo imperfeito “dizer” não é traduzido na  forma contínua. (Gên. 1:3) Por outro lado, tudo indica que Jeová chamou Adão repetidamente; assim, em Gênesis 3:9 ainda destacamos isso usando “chamava”, não apenas “chamou”. Em geral, os verbos são traduzidos de forma mais simples, focalizando a ação em vez do aspecto completo ou incompleto do hebraico. Outra vantagem disso é que podemos recuperar, até certo ponto, a concisão do texto hebraico.

Em harmonia com o estilo poético do texto original, mais capítulos agora estão em forma de versos

Por que há mais capítulos em forma de versos? Várias partes da Bíblia foram escritas originalmente como poesia. Em línguas modernas, a poesia geralmente é caracterizada pela rima. Na poesia hebraica, porém, os elementos mais importantes são o paralelismo e o contraste; também, o ritmo não vem da métrica e da rima, mas sim da ordem lógica dos pensamentos.

As edições anteriores da Tradução do Novo Mundo já continham os livros de Jó e Salmos em forma de versos, para mostrar que no passado eles eram cantados ou recitados. Esse formato destaca os elementos poéticos e ajuda a memorização. Na edição revisada de 2013, Provérbios, Cântico de Salomão e vários capítulos dos livros proféticos agora também estão em forma de versos, para mostrar quais passagens foram escritas como poesia e para destacar os paralelismos e contrastes. Um exemplo disso é Isaías 24:2, em que cada linha contém um contraste e adiciona uma informação à linha anterior; isso enfatiza que ninguém será excluído do julgamento de Deus. Ao reconhecer essas passagens como poesia, o leitor entende que o escritor bíblico não está simplesmente repetindo ideias, mas está usando uma técnica poética para destacar a mensagem de Deus.

Às vezes não é tão clara a distinção entre a prosa e a poesia hebraica; assim, as traduções da Bíblia nem sempre apresentam as mesmas passagens como poéticas. Cabe ao tradutor decidir que versículos serão apresentados como poesia. Alguns versículos são escritos em prosa com fraseado poético e usam bastante linguagem figurada, jogos de palavras e paralelismo para enfatizar bem uma ideia.

Outra ferramenta nova, o “Conteúdo do livro”, é de grande ajuda para identificar as frequentes mudanças de personagens no antigo poema do Cântico de Salomão.

Como o estudo de manuscritos nas línguas originais afetou a revisão? A Tradução do Novo Mundo original se baseou no texto massorético hebraico e no respeitado texto grego de Westcott e Hort. Mas o estudo de antigos manuscritos bíblicos continuou progredindo, o que esclareceu o sentido de alguns versículos. Além disso, cópias dos Rolos do Mar Morto se tornaram disponíveis. Também foram estudados manuscritos gregos adicionais. Muitas informações atualizadas de manuscritos foram disponibilizadas em formato eletrônico, e assim ficou mais fácil analisar as diferenças entre os manuscritos e determinar que versão do hebraico ou do grego tinha mais base. A Comissão da Tradução do Novo Mundo da Bíblia aproveitou esses novos recursos para estudar certos versículos, o que resultou em algumas mudanças.

Por exemplo, em 2 Samuel 13:21, a Septuaginta grega contém um trecho que pode ser traduzido da seguinte maneira: “Mas ele não queria ferir os sentimentos de Amnon, seu filho, porque o amava, visto que ele era seu primogênito.” Versões anteriores da Tradução do Novo Mundo não incluíam essa frase porque ela não aparecia no texto massorético. Mas os Rolos do Mar Morto contêm essas palavras, que agora foram incluídas na revisão de 2013. Por motivos similares, o nome de Deus foi restaurado cinco vezes no livro de Primeiro Samuel. O estudo de textos gregos também resultou em uma mudança na ordem das ideias em Mateus 21:29-31. Assim, algumas mudanças foram feitas com base em fortes evidências contidas em manuscritos; não nos apegamos estritamente a um único texto-padrão grego.

Muitos consideram a Tradução do Novo Mundo como um presente do Deus da comunicação, e essas mudanças são apenas algumas que tornaram a leitura da Bíblia mais agradável e fácil de entender para essas pessoas.

^ parágrafo 9 Veja a Tradução do Novo Mundo — com Referências, Apêndice 3C, “Verbos hebraicos indicativos de ação contínua ou progressiva”.

Medidas

Calendário hebraico