Pular para conteúdo

Pular para sumário

Eles “viram” as coisas prometidas

Eles “viram” as coisas prometidas

‘Não receberam o cumprimento das promessas, mas viram-nas de longe.’ — HEB. 11:13.

1. Como somos beneficiados por nossa capacidade de criar imagens mentais? (Veja a gravura no início do artigo.)

JEOVÁ nos deu a capacidade de criar imagens mentais de coisas que nunca vimos. Isso nos ajuda a planejar o futuro com sabedoria e aguardar coisas boas com grande expectativa. Jeová pode prever acontecimentos futuros. Por meio da Bíblia, muitas vezes ele nos diz o que acontecerá, e nós podemos imaginar essas coisas que ainda não podemos ver. Essa capacidade de criar imagens mentais nos ajuda a ter fé. — 2 Cor. 4:18.

2, 3. (a) Como a imaginação pode nos ajudar? (b) Que perguntas vamos considerar neste artigo?

2 Imagens mentais de coisas que nunca vimos nem sempre se baseiam na realidade. Por exemplo, se uma menina se imagina voando numa borboleta, isso não passa de uma fantasia. Mas pense em Ana, mãe de Samuel. Ela com certeza ficava imaginando o momento em que levaria seu filho para servir no tabernáculo. Essa imagem mental tinha uma base real, isto é, a decisão que ela havia tomado. Isso a ajudou a ter forças para atingir seu objetivo. (1 Sam. 1:22) Que dizer de nós?  Quando visualizamos o que Deus prometeu, estamos pensando em algo que certamente acontecerá. — 2 Ped. 1:19-21.

3 Sem dúvida, muitas pessoas fiéis dos tempos bíblicos criavam imagens mentais de coisas que Deus havia prometido. Como elas foram beneficiadas por visualizar bênçãos futuras? E como nós podemos ser beneficiados por pensar nas coisas maravilhosas que Deus prometeu para a humanidade obediente?

FORTALECIDOS POR “VER” SUA ESPERANÇA

4. Que base Abel tinha para criar uma imagem mental do futuro?

4 Será que Abel, o primeiro humano fiel a Deus, “viu” alguma coisa que Jeová prometeu? Abel não sabia exatamente como Deus cumpriria as palavras ditas à serpente: “Porei inimizade entre ti e a mulher, e entre o teu descendente e o seu descendente. Ele te machucará a cabeça e tu lhe machucarás o calcanhar.” (Gên. 3:14, 15) Mas Abel provavelmente pensou bastante nessa promessa. Ele deve ter concluído que, para que a humanidade fosse restaurada à condição perfeita que Adão e Eva perderam, alguém precisaria ser ‘machucado no calcanhar’. Não importa o que Abel tenha visualizado, sua fé se baseava na promessa de Deus, e por isso Jeová aceitou seu sacrifício. — Leia Gênesis 4:3-5; Hebreus 11:4.

5. Por que deve ter sido de ajuda para Enoque visualizar o futuro?

5 Enoque era um homem de fé, mesmo convivendo com pessoas ímpias que falavam coisas chocantes contra Deus. Enoque foi inspirado a profetizar que Jeová viria “com as suas santas miríades, para executar o julgamento contra todos e para declarar todos os ímpios culpados de todas as suas ações ímpias que fizeram de modo ímpio, e de todas as coisas chocantes que os pecadores ímpios falaram contra ele”. (Judas 14, 15) Visto que tinha forte fé, Enoque deve ter criado uma imagem mental de um mundo livre da impiedade. — Leia Hebreus 11:5, 6.

6. Depois do Dilúvio, o que Noé talvez tenha imaginado?

6 Noé sobreviveu ao Dilúvio por causa de sua fé. (Heb. 11:7) Ao sair da arca, sua fé o motivou a fazer sacrifícios de animais. (Gên. 8:20) Assim como Abel, ele com certeza tinha fé em que a humanidade por fim seria libertada da escravidão ao pecado e à morte. Depois do Dilúvio, durante o tempo sombrio em que Ninrode agiu em oposição a Jeová, Noé ainda tinha fé e esperança. (Gên. 10:8-12) É bem provável que ele tenha sido fortalecido por imaginar a humanidade livre de governos opressivos, do pecado herdado e da morte. Nós também podemos “ver” uma época maravilhosa — e ela está muito perto! — Rom. 6:23.

“VIRAM” O CUMPRIMENTO DAS PROMESSAS

7. Que futuro Abraão, Isaque e Jacó “viram”?

7 Abraão, Isaque e Jacó podiam visualizar um futuro maravilhoso porque Deus tinha prometido que todas as nações da Terra seriam abençoadas por meio da descendência deles. (Gên. 22:18; 26:4; 28:14) Os descendentes desses patriarcas se tornariam numerosos e morariam na Terra Prometida, dada por Deus. (Gên. 15:5-7) Pela fé, esses homens tementes a Deus puderam “ver” seus descendentes tomar posse daquela terra. Desde que os humanos perderam a perfeição, Jeová tem garantido a seus  servos leais que as bênçãos perdidas por Adão serão recuperadas.

8. O que ajudou Abraão a demonstrar sua fé de maneiras impressionantes?

8 Abraão criava imagens mentais das promessas de Deus. É provável que isso o tenha ajudado a demonstrar sua fé de maneiras impressionantes. A Bíblia diz que, embora Abraão e outros servos leais de Deus ‘não tivessem recebido o cumprimento das promessas’ durante sua vida, eles “viram-nas de longe e acolheram-nas”. (Leia Hebreus 11:8-13.) Abraão tinha muitas provas que o convenciam de que as coisas que ele aguardava eram reais. Ele tinha tanta certeza disso que era como se visse o que na verdade não via!

9. Como Abraão se beneficiou por ter fé nas promessas de Deus?

9 A fé que Abraão tinha nas promessas de Deus fortaleceu sua determinação de fazer a vontade Dele. Motivado pela fé, ele deixou a cidade de Ur e se recusou a estabelecer residência em qualquer cidade de Canaã. Aquelas cidades, assim como Ur, estavam fundadas em alicerces frágeis, porque seus governantes não adoravam a Deus. (Jos. 24:2) Pelo resto da sua longa vida, Abraão aguardou “a cidade que tem verdadeiros alicerces, cujo construtor e fazedor é Deus”. (Heb. 11:10) Abraão “via” a si mesmo morando num lugar permanente, governado por Jeová. Abel, Enoque, Noé, Abraão e outros acreditavam na ressurreição dos mortos e aguardavam viver na Terra sob o Reino de Deus, “a cidade que tem verdadeiros alicerces”. Meditar nessas bênçãos aumentou sua fé em Jeová. — Leia Hebreus 11:15, 16.

10. Que imagem mental Sara talvez tenha criado com base na promessa de Jeová a Abraão?

10 Que dizer de Sara, esposa de Abraão? Quando tinha 90 anos de idade, ainda sem filhos, ela agiu com fé, pois tinha um conceito positivo do futuro. Ela “viu” sua descendência recebendo as bênçãos prometidas por Jeová. (Heb. 11:11, 12) Por que ela esperava isso? Jeová tinha dito ao marido dela: “Vou abençoar [Sara] e também dar-te dela um filho; e vou abençoá-la e ela se tornará nações; reis de povos procederão dela.” (Gên. 17:16) Depois que Isaque nasceu, Sara tinha bons motivos para visualizar o restante do cumprimento daquela promessa. Como é bom termos a capacidade de formar imagens mentais das boas coisas que Deus promete e que certamente se cumprirão!

ELE OLHAVA ATENTAMENTE PARA A RECOMPENSA

11, 12. Como Moisés cultivou amor por Jeová?

11 Moisés também exerceu fé em Jeová e cultivou profundo amor por ele. Quando Moisés era jovem e fazia parte da família real do Egito, ele facilmente poderia ter desenvolvido amor pelo poder e pelas riquezas. Mas, pelo visto, seus pais biológicos o ensinaram sobre Jeová e Seu propósito de libertar os hebreus da escravidão e dar-lhes a Terra Prometida. (Gên. 13:14, 15; Êx. 2:5-10) Se Moisés tinha o costume de pensar nas bênçãos que o povo de Deus receberia, o que você acha que cresceu no coração dele — o desejo de ter destaque ou o amor por Jeová?

12 A Bíblia diz: “Pela fé Moisés, quando cresceu, negou-se a ser chamado filho da filha de Faraó, escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus do que ter o usufruto temporário do pecado, porque estimava o vitupério do Cristo como riqueza maior do que os tesouros  do Egito, pois olhava atentamente para o pagamento da recompensa.” — Heb. 11:24-26.

13. Como Moisés foi beneficiado por meditar profundamente nas promessas de Deus?

13 À medida que Moisés meditava profundamente nas promessas de Jeová para os israelitas, sua fé e seu amor por Deus aumentavam. Assim como outros humanos que temiam a Deus, é provável que ele conseguisse imaginar o tempo em que Jeová libertaria a humanidade da morte. (Jó 14:14, 15; Heb. 11:17-19) Não é de admirar que Moisés tenha desenvolvido amor pelo Deus que tinha tanta compaixão pelos hebreus e por toda a humanidade! A fé e o amor motivaram Moisés durante toda a sua vida. (Deut. 6:4, 5) Mesmo quando Faraó ameaçou matar Moisés, ele enfrentou isso com coragem. O que lhe deu força? Sua fé, seu amor a Deus e provavelmente a imagem mental que ele tinha do belo futuro que o aguardava. — Êxo. 10:28, 29.

VISUALIZE AS REALIDADES DO REINO

14. Que imagens mentais não passam de fantasias?

14 Hoje, muitas pessoas criam imagens mentais irrealistas do futuro. Por exemplo, pessoas pobres sonham em ficar muito ricas e ter segurança absoluta; mas, segundo a Bíblia, a vida no mundo de Satanás sempre vai estar cheia de dificuldades e tristeza. (Sal. 90:10) Elas se imaginam vivendo num mundo sem ansiedades, debaixo de um governo humano, ao passo que a Bíblia retrata o Reino de Deus como a única esperança para a humanidade. (Dan. 2:44) Muitos acham que Deus não vai destruir este sistema perverso, mas a Bíblia diz algo totalmente diferente. (Sof. 1:18; 1 João 2:15-17) As perspectivas daqueles que desconsideram o propósito de Jeová não passam de fantasias.

Você consegue se imaginar no novo mundo? (Veja o parágrafo 15.)

15. (a) Como somos beneficiados por visualizar nossa esperança? (b) Mencione algo que você aguarda com grande expectativa.

15 Por outro lado, nós, como cristãos, nos sentimos encorajados quando visualizamos nossa esperança, seja ela celestial, seja terrestre. Consegue se imaginar aproveitando as coisas que Deus prometeu? Sem dúvida, você se sente alegre ao pensar no que poderá fazer à medida que Deus for cumprindo Suas promessas. Você talvez se “veja” vivendo para sempre na Terra. Imagine-se trabalhando lado a lado com seus amigos para transformar este planeta num paraíso. Todos à sua volta amam a Jeová, assim como você ama. Você está saudável, cheio de disposição e livre de preocupações. Aqueles que supervisionam a obra de restauração realmente se importam com você, tornando sua vida agradável. E você fica feliz ao usar seus talentos e habilidades, visto que tudo que faz ajuda outros e honra a Deus. Por exemplo, você está ajudando os recém-ressuscitados a conhecer a Jeová. (João 17:3; Atos 24:15) Não, isso não é um sonho. Essa linda imagem mental se baseia em verdades bíblicas sobre o futuro. — Isa. 11:9; 25:8; 33:24; 35:5-7; 65:22.

FALE SOBRE SUA ESPERANÇA

16, 17. Como somos beneficiados por falar sobre nossa esperança?

16 Quando conversamos com nossos irmãos sobre o que queremos fazer no Paraíso, nossa imagem mental do futuro fica mais real. É verdade que nenhum de nós pode ter certeza de como serão suas circunstâncias no novo mundo.  Mas, quando falamos sobre as possibilidades, nós nos encorajamos e expressamos fé nas promessas de Deus. Quando o apóstolo Paulo visitou seus irmãos em Roma, eles com certeza gostaram do “intercâmbio de encorajamento”, e o mesmo se dá conosco nos tempos aflitivos em que vivemos. — Rom. 1:11, 12.

17 Visualizar o futuro também pode nos ajudar a controlar pensamentos negativos sobre dificuldades atuais. Pode ser que pensamentos desse tipo tenham levado o apóstolo Pedro a perguntar a Jesus: “Eis que abandonamos todas as coisas e te seguimos; o que haverá realmente para nós?” Para ajudar Pedro e os outros ali presentes a imaginar o futuro, Jesus respondeu: “Deveras, eu vos digo: Na recriação, quando o Filho do homem se assentar no seu glorioso trono, vós, os que me seguistes, também estareis sentados em doze tronos, julgando as doze tribos de Israel. E todo aquele que tiver abandonado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou filhos, ou terras, por causa do meu nome, receberá muitas vezes mais e herdará a vida eterna.” (Mat. 19:27-29) Pedro e os outros discípulos puderam assim refletir no papel que teriam no governo que trará bênçãos emocionantes à humanidade obediente.

18. Como somos beneficiados por pensar no cumprimento das promessas de Deus?

18 Os servos de Jeová sempre foram beneficiados por pensar no cumprimento das Suas promessas. Abel tinha conhecimento suficiente dos propósitos de Deus para enxergar um futuro melhor, exercer fé e se apegar a uma esperança confiável. Abraão demonstrou sua fé de maneiras impressionantes porque “viu” o cumprimento da promessa de Deus sobre o “descendente” prometido. (Gên. 3:15) Moisés “olhava atentamente para o pagamento da recompensa”; por isso agiu com fé, e seu amor por Jeová aumentou. (Heb. 11:26) No nosso caso, a fé em Deus e o amor por ele também podem aumentar à medida que usamos nossa capacidade de visualizar o cumprimento das promessas de Jeová. O próximo artigo considerará como podemos fazer bom uso dessa capacidade dada por Deus.