Pular para conteúdo

Pular para sumário

Mantenha em foco a bondade da organização de Jeová

Mantenha em foco a bondade da organização de Jeová

 Mantenha em foco a bondade da organização de Jeová

“Havemos de ficar satisfeitos com a bondade da tua casa.” — SALMO 65:4.

1, 2. (a) Que efeito os arranjos ligados ao templo teriam sobre o povo de Deus? (b) Que provisões Davi fez para a construção do templo?

DAVI, do Israel antigo, é um dos mais notáveis personagens apresentados nas Escrituras Hebraicas. Esse pastor, músico, profeta e rei confiava incondicionalmente em Jeová. Seu forte apego a Jeová despertou nele o desejo de construir uma casa para Deus. Essa casa, ou templo, passaria a ser o centro da adoração verdadeira em Israel. Davi sabia que os arranjos ligados ao templo trariam alegria e bênçãos para o povo de Deus. Assim, ele cantou: “Feliz aquele a quem tu [Jeová] escolhes e fazes chegar perto para que resida nos teus pátios. Havemos de ficar satisfeitos com a bondade da tua casa, o lugar santo do teu templo.” — Salmo 65:4.

2 Davi não recebeu permissão de supervisionar a construção da casa de Jeová. Esse privilégio foi reservado para seu filho Salomão. Davi não reclamou do fato de que outra pessoa recebeu o privilégio que ele tanto desejava. Para ele, o mais importante era que o templo fosse construído. Ele apoiou de coração o projeto entregando a Salomão os planos arquitetônicos que havia recebido de Jeová. Além disso, Davi organizou milhares de levitas em grupos de trabalho e doou uma enorme quantia de ouro e de prata para a construção do templo. — 1 Crônicas 17:1, 4, 11, 12; 23:3-6; 28:11, 12; 29:1-5.

3. Qual é a atitude dos servos de Deus com relação aos arranjos para a adoração verdadeira?

3 Os israelitas fiéis apoiaram os arranjos para a prática da adoração verdadeira na casa de Deus. Como atuais servos de Jeová, também apoiamos os arranjos para adoração no âmbito terrestre da organização de Jeová. Mostramos, assim, que temos a mesma atitude de Davi. Não temos um espírito de queixa. Em vez disso, mantemos em foco a bondade da organização de Deus. Você já meditou  alguma vez nas muitas coisas boas pelas quais podemos ser realmente gratos? Vejamos algumas delas.

Gratos pelos que tomam a dianteira

4, 5. (a) Como o “escravo fiel e discreto” cumpre a sua missão? (b) O que pensam certas Testemunhas de Jeová a respeito do alimento espiritual que recebem?

4 Temos sólidas razões para sermos gratos pelo “escravo fiel e discreto” designado por Jesus Cristo para administrar Seus bens na Terra. A classe-escravo, composta de cristãos ungidos por espírito, toma a dianteira na pregação das boas novas, programa reuniões para adoração e publica literatura bíblica em mais de 400 idiomas. Milhões de pessoas em toda a Terra recebem com gratidão esse “alimento [espiritual fornecido] no tempo apropriado”. (Mateus 24:45-47) Certamente não há razão para resmungar desse trabalho.

5 Já por muitos anos, uma Testemunha de Jeová idosa, chamada Elfi, encontra consolo e apoio aplicando os conselhos bíblicos apresentados nas publicações da classe-escravo. O profundo apreço levou-a a escrever: “Que seria de mim sem a organização de Jeová?” Peter e Irmgard também são servos de Deus há décadas. Irmgard expressa gratidão por todas as provisões da “amorosa e prestimosa organização de Jeová”. Essas publicações incluem as que são preparadas para pessoas com necessidades especiais, tais como as que têm deficiência de visão ou de audição.

6, 7. (a) Como são supervisionadas as atividades das congregações em toda a Terra? (b) Cite algumas declarações a respeito da parte terrestre da organização de Jeová.

6 O “escravo fiel” é representado pelo Corpo Governante das Testemunhas de Jeová, um pequeno grupo de homens ungidos por espírito que servem na sede mundial das Testemunhas de Jeová em Brooklyn, Nova York. O Corpo Governante designa servos de Jeová experientes para servir em filiais ou congêneres que supervisionam as atividades de mais de 98 mil congregações em toda a Terra. Homens que preenchem os requisitos bíblicos são designados como anciãos e servos ministeriais nessas congregações. (1 Timóteo 3:1-9, 12, 13) Os anciãos tomam a dianteira e pastoreiam com amor o rebanho de Deus aos seus cuidados. Que bênção é ser parte desse rebanho e sentir o amor e a união existentes na “associação inteira dos irmãos”! — 1 Pedro 2:17; 5:2, 3.

7 Em vez de se queixarem, as pessoas muitas vezes expressam apreço pela amorosa orientação espiritual que recebem dos anciãos.  Veja o caso de Birgit, uma cristã casada de 30 e poucos anos. Na adolescência, ela envolveu-se com más companhias e, por pouco, não cometeu transgressões sérias. Mas os claros conselhos bíblicos dos anciãos e o apoio de irmãos na fé ajudaram-na a sair de uma situação potencialmente perigosa. Como Birgit se sente agora? Ela diz: “Sou muito grata de que ainda pertenço à maravilhosa organização de Jeová.” Andreas, de 17 anos, diz: “Essa é realmente a organização de Jeová, a melhor organização do mundo.” Não devemos ser gratos pela bondade da parte terrestre da organização de Jeová?

Os que tomam a dianteira são imperfeitos

8, 9. Como agiram alguns dos contemporâneos de Davi, e como ele reagiu a esse comportamento?

8 Naturalmente, os que são designados para tomar a dianteira na adoração verdadeira são imperfeitos. Todos eles cometem enganos, e alguns têm fraquezas persistentes contra as quais lutam arduamente. Deve isso nos abalar? Não. Até mesmo pessoas a quem se confiou muita responsabilidade no Israel antigo cometeram erros graves. Davi, por exemplo, quando ainda era jovem, foi convocado para servir como músico para acalmar o aflito Rei Saul. Mais tarde, Saul tentou matar Davi, que por fim teve de fugir para salvar a vida. — 1 Samuel 16:14-23; 18:10-12; 19:18; 20:32, 33; 22:1-5.

9 Outros israelitas agiram traiçoeiramente. Por exemplo, Joabe, comandante militar de Davi, assassinou Abner, parente de Saul. Absalão conspirou contra o reinado de seu pai, Davi. E Aitofel, conselheiro de confiança de Davi, o traiu. (2 Samuel 3:22-30; 15:1-17, 31; 16:15, 21) No entanto, Davi não se tornou um queixoso amargurado; tampouco rejeitou a adoração verdadeira. Ao contrário, as adversidades levaram-no a se apegar a Jeová e a manter a excelente atitude que tinha quando fugiu por causa de Saul. Naquela ocasião, Davi cantou: “Mostra-me favor, ó Deus, mostra-me favor, porque em ti se refugiou a minha alma; e na sombra das tuas asas me refugio até passarem as adversidades.” — Salmo 57:1.

10, 11. Quando era jovem, que situação enfrentou uma cristã chamada Gertrud, e o que ela disse a respeito das falhas de irmãos na fé?

10 Não temos motivo para nos queixar de traição na organização de Deus hoje. Nem Jeová, nem seus anjos, tampouco os pastores espirituais, toleram a presença de indivíduos traidores ou maus na congregação cristã. Não obstante, todos nós nos confrontamos com a imperfeição humana — a nossa própria e a de outros servos de Deus.

11 Quando Gertrud, uma veterana adoradora de Jeová, era jovem, foi acusada falsamente de ser impostora, e não proclamadora do Reino por tempo integral. Como ela reagiu? Será que reclamou desse tratamento? Não. Pouco antes de morrer em 2003, aos 91 anos, ela refletiu a respeito de sua vida e disse: “Aquelas experiências e algumas posteriores ensinaram-me que, apesar de erros cometidos por pessoas, Jeová dirige a sua grande obra, na qual usa a nós, humanos imperfeitos.” Quando se confrontava com as imperfeições de outros servos de Deus, Gertrud orava fervorosamente a Jeová.

12. (a) Que mau exemplo deram alguns cristãos do primeiro século? (b) Em que devemos fixar os nossos pensamentos?

12 Visto que até mesmo os cristãos mais leais e dedicados são imperfeitos, quando um servo designado comete um erro, continuemos a “fazer todas as coisas livres de resmungos”. (Filipenses 2:14) Seria muito lamentável se imitássemos o mau exemplo de uns poucos na congregação cristã do primeiro século! Segundo o discípulo Judas, os falsos instrutores daqueles dias ‘desconsideravam o  senhorio e falavam de modo ultrajante dos gloriosos’. Além disso, aqueles transgressores eram “resmungadores, queixosos de sua sorte na vida”. (Judas 8, 16) Rejeitemos o proceder dos resmungadores queixosos e fixemos nossos pensamentos nas boas coisas que recebemos por meio do “escravo fiel”. Apreciemos a bondade da organização de Jeová e ‘persistamos em fazer todas as coisas livres de resmungos’.

“Esta palavra é chocante”

13. Como alguns reagiram a certos ensinos de Jesus Cristo?

13 Ao passo que alguns no primeiro século resmungavam contra os servos designados, outros o faziam contra os ensinos de Jesus. Conforme registrado em João 6:48-69, Jesus declarou: “Quem se alimenta de minha carne e bebe meu sangue tem vida eterna.” Ao ouvirem essas palavras, “muitos dos seus discípulos . . . disseram: ‘Esta palavra é chocante; quem pode escutar isso?’” Jesus sabia que “seus discípulos estavam resmungando sobre isso”. Além do mais, “devido a isso, muitos [deles] foram embora para as coisas deixadas atrás e não andavam mais com ele”. Mas nem todos os discípulos resmungaram. Note o que aconteceu quando Jesus perguntou aos 12 apóstolos: “Será que vós também quereis ir?” O apóstolo Pedro respondeu: “Senhor, para quem havemos de ir? Tu tens declarações de vida eterna; e nós cremos e viemos a saber que tu és o Santo de Deus.”

14, 15. (a) Por que uns poucos ficam descontentes com algum aspecto dos ensinos cristãos? (b) O que podemos aprender do caso de um homem chamado Emanuel?

14 Nos tempos modernos, um número bem pequeno de pessoas entre o povo de Deus ficou descontente com algum aspecto do ensino cristão e tem resmungado contra a parte terrestre da organização de Jeová. Por que isso acontece? Esse tipo de resmungo muitas vezes é causado por não entenderem o modo de Deus fazer as coisas. O Criador progressivamente revela a verdade ao seu povo. Assim, é certo que o nosso entendimento das Escrituras será refinado de tempos em tempos. A vasta maioria do povo de Jeová alegra-se com tais refinamentos. Uns poucos se tornam ‘justos demais’ e se ressentem das mudanças. (Eclesiastes 7:16) Um dos fatores pode ser o orgulho, e alguns caem na armadilha do modo de pensar independente. Seja qual for a razão, resmungar assim é perigoso, pois pode arrastar-nos de volta para o mundo e seus costumes.

15 Emanuel, por exemplo, era uma Testemunha de Jeová que criticava certas coisas que lia nas publicações do “escravo fiel e discreto”. (Mateus 24:45) Ele parou de ler as nossas publicações cristãs e, por fim, disse aos anciãos da congregação local que não queria mais ser Testemunha de Jeová. Mas, dentro de pouco tempo, Emanuel veio a entender que, na realidade, os ensinos da organização de Jeová estavam certos. Ele procurou os anciãos, admitiu seu erro e foi readmitido como Testemunha de Jeová. Com isso, ele voltou a ser um homem feliz.

16. O que pode nos ajudar a esclarecer dúvidas sobre certos ensinos cristãos?

16 Que dizer se nos sentimos tentados a resmungar por causa de dúvidas sobre certos ensinos do povo de Jeová? Não fiquemos impacientes. O “escravo fiel” oportunamente talvez publique algo que responda às nossas perguntas e esclareça as nossas dúvidas. É sensato buscar a ajuda de anciãos cristãos. (Judas 22, 23) A oração, o estudo pessoal e a associação com irmãos na fé de mentalidade espiritual também podem ajudar a eliminar dúvidas e a aprofundar nosso apreço pelas verdades bíblicas que fortalecem a fé, que aprendemos por meio do canal de comunicação de Jeová.

 Mantenha um espírito positivo

17, 18. Em vez de resmungar, que atitude devemos ter, e por quê?

17 Admitidamente, os humanos imperfeitos têm uma tendência herdada para o pecado, e alguns têm uma forte inclinação para expressar queixas infundadas. (Gênesis 8:21; Romanos 5:12) Mas se criarmos o hábito de resmungar, estaremos colocando em risco a nossa relação com Jeová Deus. Assim, é preciso controlar qualquer possível inclinação para resmungar.

18 Em vez de resmungar sobre coisas que acontecem na congregação, faremos bem em preservar uma atitude positiva e seguir uma rotina que nos mantém ocupados, alegres, reverentes, equilibrados e sãos na fé. (1 Coríntios 15:58; Tito 2:1-5) Jeová tem o controle de tudo na sua organização e Jesus sabe o que acontece em cada congregação, assim como era o caso no primeiro século. (Revelação [Apocalipse] 1:10, 11) Espere pacientemente em Deus e em Cristo, o Cabeça da congregação. Pastores responsáveis podem ser usados para corrigir assuntos que talvez precisem ser reajustados. — Salmo 43:5; Colossenses 1:18; Tito 1:5.

19. Até o Reino exercer pleno controle sobre os assuntos da humanidade, o que devemos focalizar?

19 Em breve, o atual sistema mundial perverso chegará ao fim, e o Reino messiânico assumirá pleno controle dos assuntos da humanidade. Até lá, é muito importante que cada um de nós mantenha um espírito positivo! Isso nos ajudará a reconhecer as virtudes de nossos irmãos na fé, em vez de focalizar as suas falhas. Focalizar os bons aspectos da personalidade deles nos tornará felizes. Em vez de ficarmos emocionalmente esgotados por causa de resmungos, seremos encorajados e edificados espiritualmente.

20. Que bênçãos resultarão de termos uma atitude positiva?

20 Um espírito positivo também nos ajudará a ter em mente as muitas bênçãos que recebemos por nos associarmos com a parte terrestre da organização de Jeová. É a única organização no mundo que é leal ao Soberano do Universo. O que você acha dessa realidade e do privilégio de participar na adoração do único Deus verdadeiro, Jeová? Tenha a mesma atitude de Davi, que cantou: “Ó Ouvinte de oração, sim, a ti chegarão pessoas de toda carne. Feliz aquele a quem tu escolhes e fazes chegar perto para que resida nos teus pátios. Havemos de ficar satisfeitos com a bondade da tua casa.” — Salmo 65:2, 4.

Lembra-se?

• Por que devemos ser gratos pelos que tomam a dianteira na congregação?

• Qual deve ser a nossa reação quando irmãos de responsabilidade cometem erros?

• Como devemos encarar os refinamentos no entendimento das Escrituras?

• O que pode ajudar o cristão a esclarecer dúvidas?

[Perguntas de Estudo]

[Foto na página 20]

Davi entregou para Salomão o projeto da construção do templo e apoiou plenamente a adoração verdadeira

[Foto na página 23]

Os anciãos cristãos têm prazer em dar ajuda espiritual